Rafael de Carvalho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde julho de 2015). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Rafael de Carvalho
Nascimento 16 de fevereiro de 1918
Caiçara,  Paraíba
Nacionalidade brasileiro
Morte 3 de maio de 1981 (63 anos)
Salvador,  Rio de Janeiro
Ocupação Ator

Rafael de Carvalho (Caiçara, 16 de fevereiro de 1918 - Salvador, 3 de maio de 1981) foi um ator brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Aos quinze anos deixou seu estado e foi para Salvador e se tornou ator, produtor e dramaturgo, sempre preocupado com a cultura popular e suas manifestações.

Na capital baiana ele venceu festivais interpretando poemas e escreveu o livro Quadra Quadrilha e duas peças. Estreou no cinema em Aguenta o Rojão (1958) e participou de Um Candango na Belacap (1961). Na TV, começou apenas em 1973, na telenovela O Bem-Amado, interpretando o personagem Emiliano Medrado.

Destacou-se nos filmes: Macunaíma, O Doce Esporte do Sexo, Um Homem sem Importância, O Trapalhão na Ilha do Tesouro, Fogo Morto, Crueldade Mortal, Gargalhada Final, Eles não Usam Black-tie e O Homem que Virou Suco.

Na televisão teve papéis marcantes nas telenovelas O Bem-Amado (sua estreia na TV), Gabriela e Saramandaia (TV Globo), Cavalo Amarelo (ao lado de Dercy Gonçalves) e Rosa Baiana (TV Bandeirantes).

Morreu vitimado por enfarte, logo depois de encerrar as filmagens de O Baiano Fantasma, de Denoy de Oliveira. Também estava atuando na novela Rosa Baiana, na trama ele era o personagem Edmundo Lua Nova e seu personagem abandonou sua família

Ícone de esboço Este artigo sobre um ator é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.