Raia-viola-de-espinhos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Como ler uma infocaixa de taxonomiaRaia-viola-de-espinhos
Rhina ancylostoma
Rhina ancylostoma
Estado de conservação
Espécie vulnerável
Vulnerável
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Chondrichthyes
Ordem: Rajiformes
Família: Rhinidae
Género: Rhina
Espécie: R. ancylostoma
Nome binomial
Rhina ancylostoma
Bloch & Schneider, 1801

Conhecida como raia-viola-de-espinhos ou raia-tubarão[1] (Rhina ancylostoma), é uma espécie de raia-viola que habita a região do Indo-Pacífico tropical.[2] É a única espécie conhecida que pertence ao gênero Rhina, e pertence á família Rhinidae.[3] É considerada uma espécie dócil para os humanos. Embora suas grandes nadadeiras dorsais e cauda forte o façam parecer um tubarão, ela é na verdade um tipo de raia, tanto que sempre é confundido com um tubarão.[4]

Descrição[editar | editar código-fonte]

Possui a cabeça de uma raia e a cauda de tubarão, as raias-violas-de-espinhos se parecem com uma guitarra ou violão. Essa espécie possui espinhos ao longo da crista em seu dorso.[1] A espécie pode chegar á medir 300 cm e pesar 135.0 kg.[2]

Biologia[editar | editar código-fonte]

Este animal vive próximo ao leito oceânico, usa suas fileiras de dentes com cristas para quebrar carapaças de caranguejos e outros invertebrados.[1] Quando se sente ameaçado, a raia-viola-de-espinhos pode usar sua cabeça pontiaguda defensivamente para dar cabeçada em predadores e pode ser uma espécie problemática para os pescadores que o capturam acidentalmente.[5] A espécie pode ser vista sendo limpada por bodiões-limpadores (Labroides sp.) em estações de limpeza em recifes de corais.

Mandíbula.

Distribuição[editar | editar código-fonte]

A raia-viola-de-espinhos é amplamente distribuída nas águas tropicais costeiras do Indo-Pacífico ocidental. No Oceano Índico, é encontrada de KwaZulu-Natal na África do Sul ao Mar Vermelho (incluindo Seychelles), através do subcontinente indiano e sudeste da Ásia (incluindo as Maldivas ), até Shark Bay na Austrália Ocidental. Sua distribuição no Pacífico se estende ao norte até a Coreia e sul do Japão, a leste até a Nova Guiné e ao sul até Nova Gales do Sul. [6]

Rhina ancylostoma rangemap.png

Em cativeiro[editar | editar código-fonte]

Pode ser encontrada sendo exibida em vários aquários públicos, como o Okinawa Charaumi Aquarium, Japão[7] e no Georgia Aquarium, Atlanta.[5]

Em 2014, o Newport Aquarium, Kentucky, foi o primeiro aquário que conseguiu reproduzir a espécie em cativeiro. Um fêmea deu a luz á sete filhotes, um dos filhotes era uma fêmea pequena que não sobreviveu. O peso dos filhotes eram 2,1 a 2,4 libras.[8]

A primeira fêmea da espécie que reproduziu a espécie em cativeiro no Newport Aquarium, Kentucky.

Referências

  1. a b c McMillan, Beverly (2008). Em foco tubarões. Ciranda Cultural. p. 32 
  2. a b «Rhina ancylostoma, Bowmouth guitarfish : fisheries». www.fishbase.se. Consultado em 19 de outubro de 2020 
  3. «FAMILY Details for Rhinidae - Wedgefishes». www.fishbase.se. Consultado em 19 de outubro de 2020 
  4. «Bowmouth Guitarfish». Ocean Park Hong Kong (em inglês). 21 de novembro de 2017. Consultado em 19 de outubro de 2020 
  5. a b «Bowmouth Guitarfish». Georgia Aquarium (em inglês). Consultado em 19 de outubro de 2020 
  6. «Rhina ancylostoma». Wikipedia (em inglês). 27 de maio de 2020. Consultado em 19 de outubro de 2020 
  7. «Bowmouth guitarfish». Okinawa Churaumi Aquarium (em japonês). Consultado em 19 de outubro de 2020 
  8. January 2014, Jennifer Viegas 30. «Captive Shark Ray Gives Birth to Septuplets». livescience.com (em inglês). Consultado em 19 de outubro de 2020 


Ícone de esboço Este artigo sobre peixes é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.