Raio Negro (Gedeone Malagola)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Raio Negro
Outro(s) nome(s) Roberto Salles
Espécie humano
Terra Natal São Paulo
Criado por Gedeone Malagola
Primeira aparição Raio Negro #1, GEP (1966)
Editora(s) GEP/Grafipar/Phenix
Espécie humano
Terra natal São Paulo
Parceria Lid
Personagem de Marajoara Campos
Habilidades Poderes oriundos do Anel de Luz Negra oriundo de Saturno

Raio Negro é um super-herói brasileiro criado por Gedeone Malagola e lançado em 1966 pela GEP de Miguel Penteado.[1][2] Sua origem é parecida com a do Lanterna Verde da Era de Prata[nota 1] e seu uniforme do herói se assemelha ao do Cíclope dos X-Men.[4] Curiosamente, o próprio Malagola roteirizou histórias dos X-Men publicadas na revista Edições GEP.[5]

Criação[editar | editar código-fonte]

Raio Negro foi criado por Gedeone Malagola a pedido de Jayme Cortez. Inicialmente, Gedeone mostrou o Homem-Lua mas esse personagem foi recusado. Para mostrar o que queria, Cortez apresentou a Gedeone revistas dos heróis da DC Comics: Flash, Lanterna Verde e Adam Strange. Dos três, o Lanterna Verde foi o personagem que mais agradou Gedeone e assim ele elaborou a origem do Raio Negro baseada na desse herói. Uma diferença é que enquanto o americano Hal Jordan (identidade do Lanterna Verde) era um aviador civil, o brasileiro Roberto Salles (o Raio Negro) era um piloto militar (da FAB - Força Aérea Brasileira),[6] segundo Gedeone Malagola, o visor usado pelo Raio Negro nada tem a ver com o do Ciclope, sua inspiração teria sido um óculos do vilão Slits da tira Terry e os piratas de Milton Caniff.[6][7]

Para completar a revista Raio Negro #1 foi incluída uma história solo do Homem-Lua (inspirado em O Fantasma de Lee Falk). [8] A revista também publicaria histórias do Hydroman (inspirado no Namor da Marvel) e até mesmo um crossover com o Homem-Lua e um com o Hydroman.[6]

História das publicações[editar | editar código-fonte]

A primeira série de revistas teve início em 1966 e durou 15 edições consecutivas publicadas pela Gráfica Editora Penteado (GEP). Todas desenhadas e roteirizadas por Gedeone Malagola, exceto a # 13 que teve Edmundo Rodrigues como ilustrador. Além das 13 edições houve um almanaque e edições especiais ainda pela GEP. Em Raio Negro #15, o herói luta ao lado de Unus, um vilão dos X-Men.[9]

Em 1982 o Raio Negro ganhou uma edição especial de 100 páginas pela editora Grafipar do estado do Paraná[10].

Já em 1989, a Editora Phenix lançou uma edição com história inédita[11].

No início dos anos 90 teve dois números publicados pela Editora ICEA.

Em 1998, teve uma história publicada na revista Metal Pesado.

Em 2005 participou de um crossover com o super-herói Cometa de Samicler Gonçalves na versão brasileira da Revista Wizard editada pela Panini Comics.[12]

No ano seguinte, o herói participou da sexta edição da revista do herói, onde encontra com outros heróis: Nova, de Emir Ribeiro e Escorpião, de Wilson Fernandes e Rodolfo Zalla.[13][14].

Biografia do herói[editar | editar código-fonte]

Tenente Roberto Salles é um piloto da FAB e é enviado da Barreira do Inferno ao espaço numa missão secreta em voo orbital. Encontra e é capturado por um disco voador. No interior da nave está um ser agonizante chamado Lid, oriundo do planeta Saturno.

A espaçonave tinha sido atingida por um meteoro.

Roberto Salles recebe as instruções do alienígena e consegue desviar a nave e chegar até Saturno.

Recebe como recompensa de Lid (por ter arriscado a vida para salvar a do alienígena) o anel de luz negra feito com a energia magnética de Saturno que contém super-poderes, e, finalmente, volta à Terra, prometendo só usar o anel para o bem, assumindo uma nova identidade para combater os criminosos.

Roberto namora Marajoara Campos, filha do Coronel Campos.

Seu principal inimigo é o Capitão Op-Art, cujo nome verdadeiro é Duarte Rodrigues, cientista especializado em robótica, formado na Alemanha e que foi afastado das Forças Armadas por desequilíbrio mental. Op-Art é inspirado fisicamente em Gedeone. O nome Op-Art é uma alusão ao movimento artístico homônimo, por conta do vilão usar ilusões psicodélicas para atacar seus inimigos[15].


Características[editar | editar código-fonte]

  • Traje todo preto
  • Botas e luvas douradas
  • Visor Dourado
  • Anel oriundo de Saturno

Poderes concedidos pelo anel[editar | editar código-fonte]

  • Superforça
  • Voo
  • Supervelocidade
  • Raios de energia que saem do anel

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas

  1. Este Lanterna Verde era nova versão de um herói da chamada Era de Ouro das histórias em quadrinhos e fazia parte de uma polícia intergalática, conceito previamente visto na série literária Lensman de E. E. Smith.[3]

Referências

  1. Raio Negro
  2. Ota e Francisco Ucha (janeiro de 2011). "Jornal da ABI (362) - A Cronologia dos Quadrinhos - Parte 2
  3. Cesar Silva (30 de agosto de 2003). «Super-heróis e superpoderes na Ficção Científica». Universo HQ 
  4. Almanaque dos quadrinhos - 100 anos de uma mídia popular, Carlos Patati, Flávio Braga, Ediouro Publicações, 2006, ISBN 9788500016905
  5. Roberto Guedes (19 de maio de 2008). «Matéria: A Incrível História Dos X-Men». site HQManiacs. Consultado em 9 de agosto de 2009. 
  6. a b c José Salles, Manoel de Souza e Fransérgio Rodrigues (2007). Clássico Nacional - Revista Mundo dos Super-Heróis # 5. [S.l.]: Editora Europa. pp. 70 a 74 
  7. Guimarães, Edgard (2016). «Raio Negro» (PDF). QI (141) 
  8. Franco de Rosa (2008). «Homenagem a Gedeone Malagola, uma lenda dos gibis brasileiros». Wizmania. 2 (6). São Paulo: Panini Comics. pp. 56 a 59. ISSN 1679-5598 
  9. A saga dos Super-Heróis Brasileiros São Paulo, Roberto Guedes, 2005 Opera Graphica, p. 88 ISBN 8589961230
  10. Roberto Guedes (30 de junho de 2005). «Os 40 anos de Raio Negro». Bigorna.net 
  11. Franco de Rosa, Revista Comix - 1º trimetre de 2001, Editora Escala
  12. Eloyr Pacheco (5 de dezembro de 2005). «Raio Negro e Cometa na Wizard #27». site Bigorna.net. Consultado em 7 de outubro de 2009. 
  13. Roberto Guedes. «Entrevista - Rodolfo Zalla». OperaGraphica.com.br 
  14. Sidney Gusman (23 de novembro de 2006). «O Cometa encontra outros super-heróis nacionais». Universo HQ 
  15. Marcio Baraldi (21 de junho de 2010). «Gedeone Malagola: o Capitão Op-Art dos Quadrinhos». Bigorna.net 
Bibliografia
  • Franco de Rosa (2001). «Comix Book Shop Magazine». Raio Negro, Um herói carismático. São Paulo: Editora Escala 


Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) personagem de Banda desenhada é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.