Raio Negro (Gedeone Malagola)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Raio Negro
Outro(s) nome(s) Roberto Salles
Espécie humano
Terra Natal São Paulo
Criado por Gedeone Malagola
Primeira aparição Raio Negro #1, GEP (1966)
Editora(s) GEP/Grafipar/Phenix
Espécie humano
Terra natal São Paulo
Parceria Lid
Personagem de Marajoara Campos
Habilidades Poderes oriundos do Anel de Luz Negra oriundo de Saturno

Raio Negro é um super-herói brasileiro criado por Gedeone Malagola e lançado em 1966 pela GEP de Miguel Penteado.[1][2] Sua origem é parecida com a do Lanterna Verde da Era de Prata[nota 1] e seu uniforme do herói se assemelha ao do Cíclope dos X-Men.[4] Curiosamente, o próprio Malagola roteirizou histórias dos X-Men publicadas na revista Edições GEP.[5]

Criação[editar | editar código-fonte]

Raio Negro foi criado por Gedeone Malagola a pedido de Jayme Cortez. Inicialmente, Gedeone mostrou o Homem-Lua mas esse personagem foi recusado. Para mostrar o que queria, Cortez apresentou a Gedeone revistas dos heróis da DC Comics: Flash, Lanterna Verde e Adam Strange. Dos três, o Lanterna Verde foi o personagem que mais agradou Gedeone e assim ele elaborou a origem do Raio Negro baseada na desse herói. Uma diferença é que enquanto o americano Hal Jordan (identidade do Lanterna Verde) era um aviador civil, o brasileiro Roberto Salles (o Raio Negro) era um piloto militar (da FAB - Força Aérea Brasileira),[6] segundo Gedeone Malagola, o visor usado pelo Raio Negro nada tem a ver com o do Ciclope, sua inspiração teria sido um óculos do vilão Slits da tira Terry e os piratas de Milton Caniff.[6][7]

Para completar a revista Raio Negro #1 foi incluída uma história solo do Homem-Lua (inspirado em O Fantasma de Lee Falk). [8] A revista também publicaria histórias do Hydroman (inspirado no Namor da Marvel) e até mesmo um crossover com o Homem-Lua e um com o Hydroman.[6]

História das publicações[editar | editar código-fonte]

A primeira série de revistas teve início em 1966 e durou 15 edições consecutivas publicadas pela Gráfica Editora Penteado (GEP). Todas desenhadas e roteirizadas por Gedeone Malagola, exceto a # 13 que teve Edmundo Rodrigues como ilustrador. Além das 13 edições houve um almanaque e edições especiais ainda pela GEP. Em Raio Negro #15, o herói luta ao lado de Unus, um vilão dos X-Men.[9]

Em 1982 o Raio Negro ganhou uma edição especial de 100 páginas pela editora Grafipar do estado do Paraná[10].

Já em 1989, a Editora Phenix lançou uma edição com história inédita[11].

No início dos anos 90 teve dois números publicados pela Editora ICEA.

Em 1998, teve uma história publicada na revista Metal Pesado.

Em 2005 participou de um crossover com o super-herói Cometa de Samicler Gonçalves na versão brasileira da Revista Wizard editada pela Panini Comics.[12]

No ano seguinte, o herói participou da sexta edição da revista do herói, onde encontra com outros heróis: Nova, de Emir Ribeiro e Escorpião, de Wilson Fernandes e Rodolfo Zalla.[13][14].

Biografia do herói[editar | editar código-fonte]

Tenente Roberto Salles é um piloto da FAB e é enviado da Barreira do Inferno ao espaço numa missão secreta em voo orbital. Encontra e é capturado por um disco voador. No interior da nave está um ser agonizante chamado Lid, oriundo do planeta Saturno.

A espaçonave tinha sido atingida por um meteoro.

Roberto Salles recebe as instruções do alienígena e consegue desviar a nave e chegar até Saturno.

Recebe como recompensa de Lid (por ter arriscado a vida para salvar a do alienígena) o anel de luz negra feito com a energia magnética de Saturno que contém super-poderes, e, finalmente, volta à Terra, prometendo só usar o anel para o bem, assumindo uma nova identidade para combater os criminosos.

Roberto namora Marajoara Campos, filha do Coronel Campos.

Seu principal inimigo é o Capitão Op-Art, cujo nome verdadeiro é Duarte Rodrigues, cientista especializado em robótica, formado na Alemanha e que foi afastado das Forças Armadas por desequilíbrio mental. Op-Art é inspirado fisicamente em Gedeone. O nome Op-Art é uma alusão ao movimento artístico homônimo, por conta do vilão usar ilusões psicodélicas para atacar seus inimigos[15].


Características[editar | editar código-fonte]

  • Traje todo preto
  • Botas e luvas douradas
  • Visor Dourado
  • Anel oriundo de Saturno

Poderes concedidos pelo anel[editar | editar código-fonte]

  • Superforça
  • Voo
  • Supervelocidade
  • Raios de energia que saem do anel

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas

  1. Este Lanterna Verde era nova versão de um herói da chamada Era de Ouro das histórias em quadrinhos e fazia parte de uma polícia intergalática, conceito previamente visto na série literária Lensman de E. E. Smith.[3]

Referências

  1. Raio Negro
  2. Ota e Francisco Ucha (janeiro de 2011). "Jornal da ABI #362 - A Cronologia dos Quadrinhos - Parte 2
  3. Cesar Silva (30 de agosto de 2003). «Super-heróis e superpoderes na Ficção Científica». Universo HQ 
  4. Almanaque dos quadrinhos - 100 anos de uma mídia popular, Carlos Patati, Flávio Braga, Ediouro Publicações, 2006, ISBN 9788500016905
  5. Roberto Guedes (19 de maio de 2008). «Matéria: A Incrível História Dos X-Men». site HQManiacs. Consultado em 9 de agosto de 2009 
  6. a b c José Salles, Manoel de Souza e Fransérgio Rodrigues (2007). Clássico Nacional - Revista Mundo dos Super-Heróis # 5. [S.l.]: Editora Europa. pp. 70 a 74 
  7. Guimarães, Edgard (2016). «Raio Negro» (PDF). QI (141) 
  8. Franco de Rosa (2008). «Homenagem a Gedeone Malagola, uma lenda dos gibis brasileiros». Wizmania. 2 (6). São Paulo: Panini Comics. pp. 56 a 59. ISSN 1679-5598 
  9. A saga dos Super-Heróis Brasileiros São Paulo, Roberto Guedes, 2005 Opera Graphica, p. 88 ISBN 8589961230
  10. Roberto Guedes (30 de junho de 2005). «Os 40 anos de Raio Negro». Bigorna;net 
  11. Franco de Rosa, Revista Comix - 1º trimetre de 2001, Editora Escala/Opera Graphica
  12. Eloyr Pacheco (5 de dezembro de 2005). «Raio Negro e Cometa na Wizard #27». site Bigorna.net. Consultado em 7 de outubro de 2009 
  13. Roberto Guedes. «Entrevista - Rodolfo Zalla». OperaGraphica.com.br 
  14. Sidney Gusman (23 de novembro de 2006). «O Cometa encontra outros super-heróis nacionais». Universo HQ 
  15. Marcio Baraldi (21 de junho de 2010). «Gedeone Malagola: o Capitão Op-Art dos Quadrinhos». Bigorna.net 
Bibliografia
  • Franco de Rosa (2008). «Homenagem a Gedeone Malagola, uma lenda dos gibis brasileiros». Wizmania. 2 (6). São Paulo: Panini Comics. pp. 56 a 59. ISSN 1679-5598 
  • Franco de Rosa (2001). «Comix Book Shop Magazine». Raio Negro, Um herói carismático. São Paulo: Editora Escala 


Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) personagem de Banda desenhada é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.