Random Access Memories

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Random Access Memories
Álbum de estúdio de Daft Punk
Lançamento 17 de maio de 2013 (2013-05-17)
Gravação 2008–2012
Estúdio(s)
Gênero(s)
Duração 74:30
Idioma(s) inglês
Formato(s)
Gravadora(s) Columbia
Produção
Cronologia de Daft Punk
Tron: Legacy Reconfigured
(2011)
Singles de Random Access Memories
  1. "Get Lucky"
    Lançamento: 19 de abril de 2013 (2013-04-19)
  2. "Lose Yourself to Dance"
    Lançamento: 13 de agosto de 2013 (2013-08-13)
  3. "Doin' It Right"
    Lançamento: 3 de setembro de 2013 (2013-09-03)
  4. "Instant Crush"
    Lançamento: 22 de novembro de 2013 (2013-11-22)
  5. "Give Life Back to Music"
    Lançamento: 31 de janeiro de 2014 (2014-01-31)

Random Access Memories é o quarto álbum de estúdio da dupla francesa de música eletrônica Daft Punk, lançado em 17 de maio de 2013, pela Columbia Records.[1]

Sendo o primeiro trabalho inédito do grupo desde Human After All (2005), o álbum conta com colaborações de vários artistas, incluindo Nile Rodgers, Paul Williams, Giorgio Moroder, Pharrell Williams, Todd Edwards, DJ Falcon, Panda Bear e Julian Casablancas. O trabalho no álbum começou a ser desenvolvido na mesma época em que a dupla criava a trilha sonora do filme Tron Legacy, em 2010, sem um único plano de como seria estruturado. Pouco depois que a banda assinou contrato com a gravadora Columbia Records, foi iniciado um gradual lançamento promocional do novo álbum, incluindo outdoors, comerciais de televisão e até séries de internet, como The Collaborators.

O disco possui uma forte influência setentista, principalmente no estilo funk/soul, com diversas passagens que lembram o disco Songs in the Key of Life, de Stevie Wonder, e Off the Wall, de Michael Jackson. É perceptível também a forte influência do musico Giorgio Moroder, principalmente na canção Giorgio by Moroder que utiliza a faixa The Chase da trilha sonora de Midnight Express (1978) como base para a canção em tributo ao musico italiano. Ainda, possui uma forte inclinação para o pop, principalmente nas canções com participação de Pharrell Williams. É o álbum com conteúdo mais diverso da dupla, não primando apenas pela musica eletrônica. A recepção crítica foi em maior parte positiva. O álbum teve seu prêmio no Grammy como o melhor do ano de 2013.[2] O disco também atingiu o primeiro lugar de vendas em diversas paradas ao redor do mundo, incluindo a Billboard 200 dos Estados Unidos, sendo esse um feito inédito na carreira do duo. Em 2020, o álbum foi nomeado pela Rolling Stone como um dos "500 Maiores Álbuns de Todos os Tempos", ficando na 295ª posição.[3]

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Pouco depois de terminar sua turnê Alive 2006/2007, Daft Punk começou a trabalhar em um novo material em 2008, gravando demos por aproximadamente seis meses. Eles ficaram satisfeitos com as composições, mas insatisfeitos com o uso de samples e loops: Como Thomas Bangalter afirmou, "Poderíamos tocar alguns riffs e outras coisas, mas não mantê-los por quatro minutos seguidos". Daft Punk deixou essas demos de lado e começou a trabalhar na trilha sonora do filme Tron: Legacy.[4] que Bangalter descreveu como "muito humilde".[5]

Para esse álbum, Daft Punk decidiu trabalhar extensivamente com músicos ao vivo: "Queríamos fazer o que costumávamos fazer com máquinas e samplers, mas com pessoas." Evitaram o uso de samples, com exceção da faixa de encerramento "Contact".[6]

Gravação e produção[editar | editar código-fonte]

As gravações ocorreram no Henson Recording Studios, Conway Recording Studios e Capitol Studios na Califórnia, Electric Lady Studios em Nova York e Gang Recording Studio em Paris, França. Tendo trabalhado com o tecladista e arranjador Chris Caswell em Tron: Legacy, a dupla o alistou e se conectou com engenheiros e outros músicos para seu próximo álbum.[7] Daft Punk lembrou que desejava evitar os sons mais compactados das baterias eletrônicas em favor das baterias "abertas" das décadas de 1970 e 80[4], que a dupla considera a era mais atraente. Bangalter esclareceu que "não é que não possamos fazer coisas com um som futurístico louco, mas queríamos brincar com o passado". A dupla notou que os músicos da sessão estavam entusiasmados em se reunir no contexto do novo álbum e no prestígio percebido das locações de estúdio.[6][8]

A maior parte das sessões vocais ocorreu em Paris, enquanto as seções rítmicas foram gravadas nos Estados Unidos.[6] O álbum incorpora uma variedade de performances de acompanhamento, incluindo uma seção de sopro, instrumentos de sopro, uma orquestra de cordas e coro.[9][10] As partes orquestrais em particular foram gravadas para quase todas as faixas, mas foram incluídas apenas em algumas músicas no produto final.[11] O uso de tais performers e locais acarretava um grande gasto financeiro, conforme observado por Bangalter: "Houve uma época em que as pessoas que tinham meios para experimentar faziam isso, sabe? É sobre isso que trata este álbum".[9] Ele estimou um custo de mais de um milhão de dólares, mas sentiu que o número não era importante.[12] Bangalter afirmou que as sessões foram financiadas pelo próprio Daft Punk, o que lhes permitiu o luxo de abandonar o projeto se assim o desejassem. Ele também especificou que "há músicas no álbum que chegaram a cinco estúdios ao longo de dois anos e meio".[6]

Daft Punk fez este álbum com a colaboração do escritor e cantor Paul Williams e com o guitarrista da banda Chic, o aclamado produtor Nile Rodgers. Williams mencionou essa colaboração em duas entrevistas, que o projeto estaria em produção desde 2010.[13] Durante uma entrevista com Rodgers, ele disse que se encontraria com a dupla para discutir o próximo álbum.[14] O cantor e compositor Nile Rodgers possui uma participação especial no álbum, tocando guitarra em "Get Lucky".

Composição[editar | editar código-fonte]

Bangalter descreveu o título do álbum como encapsulando o interesse de Daft Punk no passado, referindo-se tanto à tecnologia de memória de acesso aleatório quanto à experiência humana: "Estávamos traçando um paralelo entre o cérebro e o disco rígido - a maneira aleatória como as memórias são armazenadas".[6] Daft Punk sentiu que, embora a tecnologia atual permita uma capacidade ilimitada de armazenar material gravado, o conteúdo produzido por artistas contemporâneos diminuiu em qualidade. Seu objetivo era, portanto, maximizar o potencial de armazenamento infinito, registrando uma grande quantidade de elementos. A dupla apontou o processo como uma inspiração adicional para o título do álbum, na medida em que buscavam fazer conexões fora da série aleatória de ideias.[15]

Recepção[editar | editar código-fonte]

Críticas profissionais
Pontuações agregadas
Fonte Avaliação
Metacritic 87/100[16]
Avaliações da crítica
Fonte Avaliação
AllMusic 5 de 5 estrelas.[17]
The A.V. Club B+[18]
Entertainment Weekly A[19]
The Guardian 4 de 5 estrelas.[20]
NME 10/10[21]
Pitchfork Media 8.8/10[22]
Rolling Stone 4 de 5 estrelas.[23]
Spin 8/10[24]

Random Access Memories foi amplamente aclamado pela crítica. No Metacritic, que atribui uma classificação média ponderada de 100 às resenhas dos críticos convencionais, o álbum obteve uma pontuação média de 87, com base em 47 resenhas. O álbum teve pontuação mais alta do que qualquer outro álbum da dupla.[16]

A revista Q se referiu ao disco como "por alguma margem o melhor álbum do Daft Punk em uma carreira que já redefiniu a dance music pelo menos duas vezes. É, em suma, uma explosão mental".[25] O The Independent afirmou: "Random Access Memories dá vida à música segura que domina as paradas de hoje, com sua ambição absoluta ... É uma jornada emocionante e que, apesar de todas as voltas musicais, tem os pés plantados na pista de dança".[26] Melissa Maerz da Entertainment Weekly chamou-o de "um álbum de fones de ouvido em uma era de singles de rádio; uma bravura ao vivo que se destaca contra o girar de botões pro forma; um ataque jazzístico da batida house básica; uma colaboração completa em um momento em que o superstar DJ está sozinho". Ela concluiu sua análise dizendo que "se a EDM está transformando humanos em robôs, Daft Punk está trabalhando duro para fazer o robô pop parecer humano novamente".[19]

Random Access Memories venceu o Grammy Awards 2014 nas três categorias a que foi indicado: "Álbum do Ano", "Melhor Álbum de Dance/Eletrônica" e "Melhor Produção de Álbum, não clássico", enquanto seu primeiro single, "Get Lucky", com Pharrell Williams, llevou a melhor nas categorias "Gravação do Ano" e "Melhor Performance de pop em duo ou grupo".[2]

Desempenho comercial[editar | editar código-fonte]

Random Access Memories estreou na primeira posição na parada de álbuns da França, com vendas de 195.013 cópias na primeira semana, sendo o primeiro trabalho do duo a atingir a ponta das tabelas em seu país de origem.[27] O álbum também estreou em primeiro lugar no Reino unido, tendo vendido 165.091 cópias na semana de lançamento no país.[28] O mesmo desempenho se repetiu nos Estados Unidos, com o álbum tendo liderado a Billboard 200, vendendo 339.000 cópias em sua semana de estreia.[29]

Lista de faixas[editar | editar código-fonte]

Todas as faixas produzidas por Thomas Bangalter e Guy-Manuel de Homem-Christo.[1][30][31]

Random Access Memories – Edição padrão
N.º TítuloCompositor(es) Duração
1. "Give Life Back to Music"   4:35
2. "The Game of Love"  
  • Bangalter
  • de Homem-Christo
5:22
3. "Giorgio by Moroder"  
9:04
4. "Within"  
  • Bangalter
  • Jason "Chilly Gonzales" Beck
  • de Homem-Christo
3:48
5. "Instant Crush" (com part. de Julian Casablancas)
5:37
6. "Lose Yourself to Dance" (com part. de Pharrell Williams)
  • Bangalter
  • de Homem-Christo
  • Rodgers
  • Pharrell Williams
5:53
7. "Touch" (com part. de Paul Williams)
  • Bangalter
  • Christopher Paul Caswell
  • de Homem-Christo
  • Paul Williams Jr.
8:18
8. "Get Lucky" (com part. de Pharrell Williams)
  • Bangalter
  • de Homem-Christo
  • Rodgers
  • Pharrell Williams
6:07
9. "Beyond"  
  • Bangalter
  • Caswell
  • de Homem-Christo
  • Paul Williams Jr.
4:50
10. "Motherboard"  
  • Bangalter
  • de Homem-Christo
5:41
11. "Fragments of Time" (com part. de Todd Edwards)
  • Bangalter
  • de Homem-Christo
  • Todd Imperatrice
4:39
12. "Doin' It Right" (com part. de Panda Bear)
4:11
13. "Contact"  
  • Bangalter
  • de Homem-Christo
  • Stéphane Quême
  • Garth Porter
  • Tony Mitchell
  • Daryl Braithwaite
6:23
Duração total:
74:30
Random Access Memories – Faixa bônus da edição japonesa[32]
N.º TítuloCompositor(es) Duração
14. "Horizon"  
  • Bangalter
  • de Homem-Christo
4:24
Duração total:
78:54
Random Access Memories – Faixas bônus do box deluxe[33]
N.º TítuloCompositor(es) Duração
14. "Horizon"  
  • Bangalter
  • de Homem-Christo
4:24
15. "Get Lucky" (Daft Punk Remix)
  • Bangalter
  • de Homem-Christo
  • Rodgers
  • Pharrell Williams
10:33
Duração total:
89:27

Notas

  • "Contact" contém uma amostra de "We Ride Tonight", escrita por Garth Porter, Tony Mitchell e Daryl Braithwaite, e interpretada por The Sherbs; e um trecho da missão Apollo 17, realizada por Eugene Cernan, cortesia da NASA.[34]

Desempenho nas paradas[editar | editar código-fonte]

Certificações[editar | editar código-fonte]

País Certificação Vendas
Alemanha (BVMI)[92] Platina 200.000+
Austrália (ARIA)[93] 2× Platina 70.000+
Áustria (IFPI)[94] Platina 15.000+
Bélgica (BEA)[95] Platina 30.000+
Canadá (Music Canada)[96] 2× Platina 160.000+
Dinamarca (IFPI)[97] Ouro 10.000+
Espanha (PROMUSICAE)[77] Ouro 20,000+
Estados Unidos (RIAA)[98] Platina 1.000.000+
Finlândia (IFPI)[99] Ouro 17.178[99]
França (SNEP)[100] Diamante 769.300[101]
Irlanda (IRMA)[102] Platina 15.000+
Itália (FIMI)[103] 2× Platina 120,000+
Japão (RIAJ)[104] Ouro 100.000+
México (AMPROFON)[105] 4× Platina+ Ouro 270.000+
Nova Zelândia (RMNZ)[106] Platina 15,000+
Polônia (ZPAV)[107] 2× Platina 40.000+
Portugal (AFP)[108] Platina 15.000+
Reino Unido (BPI)[109] Platina 300,000+
Suécia (GLF)[110] Platina 40.000+
Suíça (IFPI)[111] Platina 20.000+

Referências

  1. a b «Random Access Memories». iTunes US. Apple. Consultado em 24 de março de 2013 
  2. a b «56th Annual GRAMMY Awards Winners & Nominees». GRAMMY.com. Cópia arquivada em 1 de fevereiro de 2014 
  3. «500 Greatest Albums of All Time Rolling Stone's definitive list of the 500 greatest albums of all time». Rolling Stone 
  4. a b Torres, Andre. "Quantum Leap", Wax Poetics, Edição 55 (Verão 2013)
  5. Lee, Chris (6 de janeiro de 2011). «Tron: Legacys orchestral score reveals a new side of Daft Punk». PopMatters. Cópia arquivada em 26 de abril de 2013 
  6. a b c d e Weiner, Jonah (13 de abril de 2013). «Exclusive: Daft Punk Reveal Secrets of New Album». Rolling Stone 
  7. «Icons: Mick Guzauski on Engineering and Mixing Daft Punk's Random Access Memories». sonicscoop.com. Cópia arquivada em 3 de fevereiro de 2014 
  8. Manouvere, Philippe (Maio de 2013). «En couverture: Daft Punk» 549 ed. Rock & Folk (em francês): 74-81. Cópia arquivada em 2 de abril de 2013 
  9. a b Baron, Zach (Maio de 2013). «Daft Punk Is (Finally!) Playing at Our House» 5 ed. GQ. 83: 76-82. Cópia arquivada em 26 de julho de 2013 
  10. Stevenson, Nick (30 de abril de 2013). «Nick Stevenson: Random Access Memories Review». Mixmag. Cópia arquivada em 5 de maio de 2013 
  11. Dombal, Ryan (14 de maio de 2013). «Cover Story: Daft Punk». Pitchfork Media 
  12. Weiner, Jonah (21 de maio de 2013). «Daft Punk: All Hail Our Robot Overlords». Rolling Stone. Cópia arquivada em 22 de maio de 2013 
  13. Pitchfork. «Listen: Lost Daft Punk Track "Drive"» (em inglês) 
  14. «Disco legend Nile Rodgers talks about cancer, Broadway & his Daft Punk connection» (em inglês) 
  15. Ghosn, Joseph, e Wicker, Olivier (Maio de 2013). «Nous avons tenté une aventure humaine» (em francês) 10 ed. Le Nouvel Observateur. pp. 53–59. Cópia arquivada em 7 de agosto de 2013 
  16. a b «Reviews for Random Access Memories by Daft Punk». Metacritic. Cópia arquivada em 28 de maio de 2013 
  17. Phares, Heather. «Random Access Memories – Daft Punk». AllMusic. Cópia arquivada em 9 de maio de 2013 
  18. Mincher, Chris (21 de maio de 2013). «Daft Punk: Random Access Memories». The A.V. Club. Cópia arquivada em 21 de maio de 2013 
  19. a b Maerz, Melissa (14 de maio de 2013). «Random Access Memories». Entertainment Weekly. Cópia arquivada em 3 de abril de 2015 
  20. Petridis, Alexis (15 de maio de 2013). «Daft Punk: Random Access Memories – review». The Guardian. Cópia arquivada em 18 de dezembro de 2013 
  21. Perry, Kevin EG (17 de maio de 2013). «Daft Punk – 'Random Access Memories'». NME. Cópia arquivada em 3 de março de 2016 
  22. Richardson, Mark (20 de maio de 2013). «Daft Punk: Random Access Memories». Pitchfork Media. Cópia arquivada em 7 de junho de 2013 
  23. Hermes, Will (23 de maio de 2013). «Daft Punk's Human Touch». Rolling Stone. Cópia arquivada em 4 de junho de 2013 
  24. Kamps, Garrett (17 de maio de 2013). «Daft Punk, 'Random Access Memories' (Columbia)». Spin. Cópia arquivada em 7 de junho de 2013 
  25. Harrison, Andrew (Junho de 2013). «Total Recall» 323 ed. Q: 88-89 
  26. Bray, Elisa (3 de maio de 2013). «Album review: Daft Punk, Random Access Memories (Sony Music)». The Independent. Cópia arquivada em 7 de maio de 2013 
  27. Decant, Charles (31 de maio de 2013). «Top Albums : Daft Punk écrase Maître Gims, Zaz passe devant Paradis, Shy'm s'envole». Charts in France 
  28. Jones, Alan (27 de maio de 2013). «Official Charts Analysis: Daft Punk LP sells 165k to hit No.1». Music Week. Cópia arquivada em 13 de junho de 2013 
  29. Caulfield, Keith (28 de maio de 2013). «Official: Daft Punk's 'Random' Debuts at No. 1 on Billboard 200 With 339,000». Billboard 
  30. Billboard (24 de março de 2013). «Daft Punk 'Get Funky' in New Teaser Ad for 'Random Access Memories'» (em inglês). 24 de março de 2013. Consultado em 13 de abril de 2013 
  31. «Daft Punk - Random Access Memories» 
  32. Tower Records. «Daft Punk - Random Access Memories» (em jp) 
  33. Daft Punk. «Columbia records presents Random Access Memories Deluxe Box Set Edition». Columbia Records (em inglês). Sony Music. Consultado em 17 de junho de 2021 
  34. Daft Punk (18 de abril de 2013). «Daft Punk revient avec "Random Access Memories"». L'Obs (em francês). Groupe Nouvel Observateur. Consultado em 17 de junho de 2021 
  35. «Offiziellecharts.de – Daft Punk – Random Access Memories» (em alemão). Offizielle Deutsche CHarts 
  36. «Daft Punk – Random Access Memories». australian-charts.com 
  37. «ARIA Dance – Week Commencing 27th May 2013» (PDF). ARIA Charts. p. 17 
  38. «Daft Punk – Random Access Memories» (em alemão). austriancharts.at 
  39. «Daft Punk – Random Access Memories» (em holandês). Ultratop.be 
  40. «Daft Punk – Random Access Memories» (em francês). Ultratop.be 
  41. «Daft Punk Chart History (Billboard Canadian Albums)». Billboard 
  42. «2013년 23주차 Album Chart» (em coreano). Gaon Music Chart 
  43. «Top Stranih - Tjedan 25. 2013» (em croata). Top Lista HR. Cópia arquivada em 28 de setembro de 2013 
  44. «Daft Punk – Random Access Memories». danishcharts.dk 
  45. «Official Scottish Albums Chart Top 100 (26 May 2013 - 01 June 2013)». Official Charts Company 
  46. «Daft Punk – Random Access Memories». spanishcharts.com 
  47. «Daft Punk Chart History (Billboard 200)». Billboard 
  48. «Daft Punk Chart History (Top Dance/Electronic Albums)». Billboard 
  49. «R2 Eesti müügitabel, nädal 21/2013» (em estoniano). Raadio 2. Cópia arquivada em 4 de junho de 2013 
  50. «Daft Punk: Random Access Memories» (em finlandês). IFPI Finlândia 
  51. «Daft Punk – Random Access Memories» (em francês). lescharts.com 
  52. «Official IFPI Charts – Top-75 Albums Sales Chart (Εβδομάδα: 21/2013)» (em grego). IFPI Greece. Cópia arquivada em 25 de junho de 2013 
  53. «Daft Punk – Random Access Memories» (em holandês). dutchcharts.nl 
  54. «Album Top 40 slágerlista. 2013.21. hét» (em húngaro). Magyar Hanglemezkiadók Szövetsége 
  55. «TOP 100 ARTIST ALBUM, WEEK ENDING 23 May 2013». GfK Chart Track. Cópia arquivada em 16 de setembro de 2018 
  56. «Daft Punk – Random Access Memories». italiancharts.com 
  57. «2013年05月20日~2013年05月26日のCDアルバム週間ランキング» (em japonês). Oricon. Cópia arquivada em 4 de junho de 2013 
  58. «Top 100 México – Semana Del 13 al 19 de Mayo 2013» (PDF) (em espanhol). Asociación Mexicana de Productores de Fonogramas y Videogramas. Cópia arquivada (PDF) em 23 de agosto de 2013 
  59. «Daft Punk – Random Access Memories». norwegiancharts.com 
  60. «Daft Punk – Random Access Memories». charts.org.nz 
  61. «Oficjalna lista sprzedazy (03 czerwca 2013 – sprzedaż w okresie 20.05.2013 - 26.05.2013)» (em polonês). OLiS. Polish Society of the Phonographic Industry 
  62. «Daft Punk – Random Access Memories». portuguesecharts.com 
  63. «Random Access Memories - Official Charts Search». Official Charts Company 
  64. «Top 50 Prodejní» (em tcheco). ČNS IFPI 
  65. «Daft Punk – Random Access Memories». swedishcharts.com 
  66. «Daft Punk – Random Access Memories». swisscharts.com 
  67. «Top 100 Album-Jahrescharts – 2013» (em alemão). Offizielle Detusche Charts 
  68. «El álbum más vendido durante 2013 en Argentina: "Violetta – Hoy somos más» (em espanhol). Cámara Argentina de Productores de Fonogramas y Videogramas. Cópia arquivada em 12 de dezembro de 2014 
  69. «ARIA Charts – End Of Year Charts – Top 100 Albums 2013». Australian Recording Industry Association 
  70. «ARIA Charts – End Of Year Charts – Top 50 Dance Albums 2013». Australian Recording Industry Association. Cópia arquivada em 26 de janeiro de 2014 
  71. «Jahreshitparade Alben 2013» (em alemão). austriancharts.at 
  72. «Jaaroverzichten 2013 – Albums» (em holandês). ultratop.be 
  73. «Rapports Annuels 2013 – Albums» (em francês). ultratop.be 
  74. «Canadian Albums: Year End 2013». Billboard 
  75. «2013년 Album Chart» (em coreano). Gaon Music Chart 
  76. «Album Top-100 2013» (em dinamarquês). Hitlisten. Cópia arquivada em 4 de fevereiro de 2014 
  77. a b «Top Year 2013 – Albums». El Portal de Música. Cópia arquivada em 12 de junho de 2014 
  78. «Billboard 200 Albums: Year End 2013». Billboard 
  79. «Dance/Electronic Albums: Year End 2013». Billboard. Cópia arquivada em 13 de dezembro de 2013 
  80. «Daft Punk : 600.000 ventes pour l'album "Random Access Memories" en France» (em francês). Charts in France 
  81. «Jaaroverzichten – Album 2013» (em holandês). dutchcharts.nl 
  82. «Összesített album- és válogatáslemez-lista – eladási darabszám alapján – 2013» (em húngaro). Magyar Hanglemezkiadók Szövetsége 
  83. «Best of 2013 - Albums». Irish Recorded Music Association 
  84. «Classifiche annuali 2013 Top of the Music by FIMI GfK» (Clique em "Scarica allegato" e faça o download do arquivo em ZIP para abrir o PDF) (em italiano). Federazione Industria Musicale Italiana. Cópia arquivada em 9 de maio de 2015 
  85. «アルバム TOP100» (em japonês). Oricon. Cópia arquivada em 20 de dezembro de 2013 
  86. «Los Más Vendidos 2013» (em espanhol). Asociación Mexicana de Productores de Fonogramas y Videogramas. Cópia arquivada em 3 de fevereiro de 2014 
  87. «Top Selling Albums of 2013». The Official NZ Music Charts 
  88. «Najchętniej kupowane płyty roku 2013 – podsumowanie listy OLiS» (em polonês). OLiS. Cópia arquivada em 22 de fevereiro de 2014 
  89. «The Official Top 40 Biggest Artist Albums Of 2013». Official Charts Company 
  90. «Årslista Album – År 2013» (PDF) (em sueco). Sverigetopplistan. Cópia arquivada em 11 de setembro de 2014 
  91. «Swiss Year-End Charts 2013». swisscharts.com 
  92. «Gold-/Platin-Datenbank (Daft Punk; 'Random Access Memories')» (em alemão). Bundesverband Musikindustrie 
  93. «ARIA Charts - Accreditations - 2013 Albums». Australian Recording Industry Association. Consultado em 12 de fevereiro de 2014. Cópia arquivada em 10 de agosto de 2020 
  94. «Daft Punk – Random Access Memories» (em alemão). IFPI Áustria 
  95. «Goud en Platina 2014». Belgian Entertainment Association. Consultado em 12 de fevereiro de 2014 
  96. «Gold/Platinum». Music Canada 
  97. «Danmarks officielle hitlister». IFPI Dinamarca 
  98. «Gold & Platinum». Recording Industry Association of America 
  99. a b «Daft Punk». IFPI Finlândia 
  100. «Certifications Albums – Année 2013» (PDF) (em francês). Syndicat National de l'Édition Phonographique. p. 8 
  101. «Les meilleures ventes d'albums de l'année 2014 en France» (em francês). Charts in France. 19 de janeiro de 2015 
  102. «2013 Certification Awards - Platinum». The Irish Charts 
  103. «Certificazioni» (em italiano). Federazione Industria Musicale Italiana. Consultado em 12 de fevereiro de 2014 
  104. «ゴールドディスク認定» (em japonês). Recording Industry Association of Japan. Selecione ano 2015, mês 4 para consultar a certificação do álbum 
  105. «Certificaciones». Asociación Mexicana de Productores de Fonogramas y Videogramas. Digite "Random Access Memories" no campo título para consultar a certificação do álbum 
  106. «NZ Top 4- Albums Chart - 10 February 2014». Recorded Music NZ. Consultado em 12 de fevereiro de 2014 
  107. «Platynowe płyty CD - Archiwum 2013» (em polonês). Związek Producentów Audio Video 
  108. «Notícias, Top & Agenda». Artistas & Espectáculos. Cópia arquivada em 25 de junho de 2013. Ver se(c)ção "Top AFP - Semana_21 2013" 
  109. «BRIT Certified - bpi». British Phonographic Industry. Consultado em 12 de fevereiro de 2014 
  110. «Veckolista Album – Vecka 34, 23 augusti 2013» (em sueco). Sverigetopplistan. Cópia arquivada em 24 de setembro de 2015 
  111. «Daft Punk - Random Access Memories Awards». swisscharts.com