Ranking Folha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Ranking da Folha é um sistema de classificação dos clubes de futebol brasileiros instituído pelo Jornal Folha de S.Paulo em 1996. A partir de 2012, a Folha passou a adotar a unificação de títulos brasileiros, implantada pela CBF no fim de 2010. Sendo assim, o jornal deixou de fazer distinções entre títulos do Torneio Roberto Gomes Pedrosa, da Taça Brasil e da versão moderna do Brasileiro, iniciada em 1971. Com isso, Santos e Palmeiras passam a ser considerados os maiores campeões brasileiros da história, com oito troféus cada. A decisão foi tomada durante revisão dos critérios do Ranking Folha, em consulta realizada com os colunistas de futebol Juca Kfouri, Tostão, Xico Sá e Lúcio Ribeiro. Apesar disso, o ranking continua diferenciando a pontuação de cada um desses torneios, devido às dificuldades e formatos de disputa de cada competição. O campeão do Brasileiro acumula 25 pontos, o vencedor do Roberto Gomes Pedrosa, 20, e o da Taça Brasil, 15.

Na edição de 2013, ocorreu a adição de uma faixa intermediária de pontuação para os campeonatos estaduais. Com a alteração, apenas os campeonatos Gaúcho e Mineiro continuaram distribuindo sete pontos para o campeão e três para o vice. Baiano, Cearense, Goiano, Pernambucano, Paranaense e Catarinense tiveram suas pontuações rebaixadas: o campeão passou a contabilizar seis pontos e o vice, apenas dois. Minas Gerais e Rio Grande do Sul somam sete títulos Brasileiros, dez da Copa do Brasil e seis Copas Libertadores da América. Os seis Estados que antes ganhavam sete pontos ao conquistar o torneio estadual venceram quatro Brasileiros, duas Copas do Brasil e nenhuma Libertadores. O Ranking Folha conta títulos e vices obtidos na elite do futebol nacional, regional, estadual e internacional.[1] O Corinthians foi o clube que mais cresceu desde 2011, chegando a ganhar duas posições, ultrapassando seus rivais históricos, o Santos e o Palmeiras[2].

Na edição de 2014, entretanto, após a FIFA reconhecer a Copa Rio Internacional de 1951 como o primeiro título a nível mundial entre clubes[3], o Palmeiras - vencedor daquela competição -, voltou a figurar entre os três primeiros do ranking, uma vez que o título foi equiparado à categoria dos intercontinentais e passou a contabilizar 30 (trinta) pontos ao campeão[4].

Critério de pontuação[editar | editar código-fonte]

A pontuação
Competição Campeão Vice
Rio e São Paulo 10 7
Minas Gerais e Rio Grande do Sul 7 3
BA, CE, GO, PE. PR e SC 6 2
Outros estaduais 5 1
Torneio Rio-São Paulo 10 5
Primeira Liga e Demais Regionais 7 3
Copa dos Campeões (de 2000 a 2002) 7 3
Taça Brasil (de 1959 a 1968) 15 10
Copa do Brasil (desde 1989) 15 10
Roberto Gomes Pedrosa (de 1967 a 1970) 20 13
Campeonato Brasileiro (desde 1971) 25 15
Sul-Americano (desde 1948) 15 -
Recopa Sul-Americana (desde 1988) 5 -
Supercopa (de 1988 a 1997) 15 10
Copa Conmebol (de 1992 a 1999) 15 10
Copa Mercosul (de 1998 a 2001) 15 10
Copa Sul-Americana (desde 2002) 15 10
Libertadores (desde 1960) 35 20
Torneios Intercontinentais e Copa Rio de 1951 30 -
Mundial de Clubes (desde 2000) 40 25
Fonte: Folha de S.Paulo

Ranking atual[editar | editar código-fonte]

Pos. Clube UF Pontos
Em 2016[5][6] Comparados aos de 2015
Estável São Paulo São Paulo SP 946
Estável Flamengo Rio de Janeiro RJ 941
Estável Palmeiras São Paulo SP 908
Aumento (1) Santos[7] São Paulo SP 868
Baixa (1) Corinthians São Paulo SP 862
Estável Cruzeiro Minas Gerais MG 797
Estável Vasco da Gama Rio de Janeiro RJ 743
Estável Internacional Rio Grande do Sul RS 731
Estável Grêmio Rio Grande do Sul RS 685
10º Estável Fluminense Rio de Janeiro RJ 656
11º Estável Atlético Mineiro Minas Gerais MG 617
12º Estável Botafogo Rio de Janeiro RJ 512
13º Estável Bahia Bahia BA 401
14º Estável Sport Pernambuco PE 373
15º Estável Ceará Ceará CE 329
16º Estável Fortaleza Ceará CE 323
17º Estável Coritiba Paraná PR 312
18º Estável Paysandu Pará PA 294
19º Estável Vitória Bahia BA 284
20º Estável Atlético Paranaense Paraná PR 252
21º Estável Goiás Goiás GO 229
22º Estável CSA Alagoas AL 217
23º Estável Náutico Pernambuco PE 200
24º Estável Figueirense Santa Catarina SC 126
25º Estável Portuguesa São Paulo SP 98
26º Estável Criciúma Santa Catarina SC 95
27º Estável Bangu Rio de Janeiro RJ 70
28º Estável Guarani São Paulo SP 69
29º Estável São Caetano São Paulo SP 67
30º Aumento Chapecoense Santa Catarina SC 55
31º Baixa (1) Brasiliense Distrito Federal (Brasil) DF 53
32º Baixa (1) Ponte Preta São Paulo SP 45
33º Baixa (1) Juventude Rio Grande do Sul SP 43
34º Baixa (1) Bragantino São Paulo SP 25
35º Baixa (1) Paulista São Paulo SP 22
36º Baixa (1) Santo André São Paulo SP 22

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Folha passa a adotar unificação de títulos brasileiros da CBF». Consultado em 25 de dezembro de 2012 
  2. «Folha passa a adotar unificação de títulos brasileiros da CBF». Consultado em 04 de janeiro de 2014  Verifique data em: |access-date= (ajuda)
  3. Esporte Interativo (9 de agosto de 2014). «'Palmeiras foi campeão do mundo de clubes', diz Blatter». Consultado em 9 de agosto de 2014 
  4. Folha (3 de janeiro de 2015). «Vice brasileiro isola o São Paulo na ponta do Ranking Folha 2014». Consultado em 15 de fevereiro de 2015 
  5. Folha (27 de dezembro de 2015). «Ranking Folha: Paulistas dominam lista só com títulos nacionais». Consultado em 9 de janeiro de 2016 
  6. Folha (24 de dezembro de 2016). «RANKING FOLHA NACIONAL 2016». Consultado em 25 de dezembro de 2016 
  7. Folha (24 de dezembro de 2016). «Santos ultrapassa o Corinthians e assume 4ª posição do Ranking Folha». Consultado em 24 de dezembro de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]