Ranking da CBF

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Ranking da CBF é um sistema de classificação dos clubes brasileiros de futebol, instituído pela Confederação Brasileira de Futebol, composto por dois rankings, atualizados anualmente pela CBF: o Ranking Nacional de Clubes (RNC) e o Ranking Nacional de Federações (RNF). Seu objetivo é servir como critério para o preenchimento de vagas na Copa do Brasil,[1] e na última divisão do Campeonato Brasileiro de Futebol, que desde 2009 é a Série D[2].

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Ranking de Pontos[editar | editar código-fonte]

Até 2002, a CBF utilizava como ranking histórico para os clubes de futebol brasileiros o chamado Ranking de Pontos, que simplesmente somava os pontos ganhos pelos clubes em todas as edições do Campeonato Brasileiro de Futebol [3].

Apesar da vantagem da simplicidade, este ranking tinha um problema grave: em 36 anos de história, o Campeonato Brasileiro de Futebol variou imensamente de tamanho e, portanto, de número de jogos. Por exemplo, em 1979, alguns times disputaram menos de dez jogos e chegaram às semifinais, ao passo que outros jogaram 19 jogos (conquistando muito mais pontos) e não atingiram a mesma fase.

Além disso, a própria contagem de pontos variou ao longo do tempo: cada vitória valia dois pontos até 1994 e, por determinação da FIFA, passou a valer três pontos a partir de 1995. Nos campeonatos de 1975 a 1978, vitórias por dois ou mais gols de diferença davam pontos extras ao vencedor. Assim como nestes, outras edições tiveram outras características. (Para mais detalhes, veja o artigo Campeonato Brasileiro de Futebol.)

Ranking de Colocações da Placar[editar | editar código-fonte]

Para contornar estes problemas, a revista Placar instituiu no final dos anos 1980 o Ranking de Colocações, que consiste em dar sempre dez pontos para o campeão, nove pontos para o vice e assim sucessivamente até o décimo colocado em cada campeonato, que recebe um ponto [4].

Este critério resolvia o problema das disparidades históricas entre os campeonatos, mas desconsiderava outras competições, como a Copa do Brasil, que existe desde 1989, além da Taça Brasil, disputada de 1959 a 1968 e do Robertão (1967-1970). Estes dois últimos passaram a ser considerado pela CBF como parte do Campeonato Brasileiro em 2010.

Outras classificações não oficiais[editar | editar código-fonte]

Mais recentemente, outros órgãos de imprensa criaram outros rankings, em geral considerando não apenas as competições nacionais mas também as internacionais e, num movimento contrário, igualmente as competições estaduais e regionais. É o caso do Ranking Placar [5], do Ranking Folha [6], etc.

Estes rankings são sem dúvida mais abrangentes, mas geram o problema da crescente subjetividade: como criar pontuações comparativamente justas entre diferentes competições, de âmbitos diferentes, em épocas diferentes?

Ranking da CBF (2003-2012)[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Ranking da CBF (2003-2012)

Em 2003, a CBF criou um novo ranking histórico do futebol brasileiro, considerando apenas as competições nacionais organizadas pela própria CBF [7]. Com um critério de pontuação muito criticado desde o seu lançamento [8], e após as mudanças na contagem decorrentes da unificação do Campeonato Brasileiro de Futebol em dezembro de 2010, aquele Ranking terminou sendo substituído em novembro de 2012.

Sistema atual[editar | editar código-fonte]

A partir de 2013, a CBF resolveu mudar totalmente os critérios de elaboração do seu ranking nacional. O Ranking Nacional de Clubes deixou de ser um ranking histórico, passando a levar em conta o desempenho dos clubes apenas nos últimos cinco anos, e foi dado maior peso para os anos mais recentes.[9] Diretamente derivado do RNC, a mudança foi refletida no Ranking Nacional das Federações (RNF). Para a classificar as federações, a cada ano, feitas as contas para atualização do número de pontos de cada clube do RNC, somam-se os pontos dos clubes filiados a cada federação estadual, obtendo-se a pontuação de cada estado no RNF. As federações com mais pontos têm direito a mais vagas na Copa do Brasil e na Série D do Campeonato Brasileiro.[10]

Critério de pontuação[editar | editar código-fonte]

Os campeões das Série A, B, C e D recebem 800, 400, 200 e 100 pontos respectivamente.

O vice-campeão de cada divisão receberá sempre 80% dos pontos do campeão, o terceiro recebe 75%, o quarto 70%. Do quinto colocado em diante cada posição perde 1 ponto percentual em relação ao colocado imediatamente anterior. A pontuação máxima de cada série representa o dobro da pontuação máxima da série inferior. Deste modo o quinto colocado recebe 69% dos pontos campeão reduzindo até 51% para o 23º colocado (quando houver mais participantes o percentual se mantém), seguido pelo campeão da divisão inferior com 50%.

Os clubes que participam da Copa do Brasil, serão pontuados de acordo com a fase alcançada: título (600), vice-campeão (480), semifinais (450), quartas-de-final (400) e oitavas-de-final (200). Clubes que alcançam a 3ª fase a partir de 2013 (2ª fase até 2012) recebem 100 pontos. Participantes eliminados na 2ª fase após 2013 (1ª fase até 2012) recebem 50 pontos. Eliminados da 1ª fase a partir de 2013 recebem 25 pontos.

Participantes da Copa Libertadores que não participaram da Copa do Brasil até 2012 recebiam 400 pontos, independente do estágio que tenham alcançado na competição internacional.

Pontuações conquistadas no ano vigente tem peso igual a 5, no ano anterior peso 4 e assim sucessivamente, considerando apenas participações nos últimos 5 anos.

Classificações atuais[editar | editar código-fonte]

Ranking Nacional de Clubes[editar | editar código-fonte]

Abaixo se encontram os 223 clubes classificados no ranking da CBF, divulgado em 12 de dezembro de 2016.[11] Os 90 primeiros estão na ordem atualizada conforme o Ranking da CBF 2017.

Ranking Nacional das Federações[editar | editar código-fonte]

Abaixo estão classificadas as federações estaduais no ranking da CBF, divulgado em 12 de dezembro de 2016.[12][13]

Posição Federação Pontos Vagas na
Copa do Brasil
Vagas na
Copa do Nordeste
Vagas na
Copa Verde[14]
Vagas na
Série D
Em 2016 Comparados aos de 2015 Em 2016 Comparados aos de 2015
1 Estável São Paulo São Paulo 91.732 Baixa (772) 5 4
2 Estável Rio de Janeiro Rio de Janeiro 52.493 Baixa (5.327) 3
3 Estável Minas Gerais Minas Gerais 45.798 Aumento (2.151) 4
4 Aumento (1) Rio Grande do Sul Rio Grande do Sul 39.598 Aumento (4.728)
5 Baixa (1) Santa Catarina Santa Catarina 35.595 Aumento (82)
6 Estável Paraná Paraná 30.373 Baixa (202) 3
7 Estável Pernambuco Pernambuco 23.479 Aumento (855) 3
8 Estável Goiás Goiás 19.926 Baixa (1.460)
9 Estável Bahia Bahia 17.323 Baixa (360) 3
10 Estável Ceará Ceará 13.433 Baixa (1.194) 2 2
11 Estável Rio Grande do Norte Rio Grande do Norte 11.471 Baixa (1.965)
12 Aumento (1) Pará Pará 9.708 Aumento (482) 3
13 Baixa (1) Alagoas Alagoas 9.633 Aumento (176) 2
14 Estável Mato Grosso Mato Grosso 8.291 Aumento (502) 2
15 Aumento (1) Paraíba Paraíba 5.651 Aumento (672) 2 2
16 Baixa (1) Maranhão Maranhão 5.639 Aumento (576)
17 Aumento (2) Sergipe Sergipe 3.216 Aumento (626)
18 Baixa (1) Distrito Federal (Brasil) Distrito Federal 2.963 Baixa (44) 2
19 Aumento (2) Piauí Piauí 2.687 Aumento (868) 2
20 Baixa (2) Amazonas Amazonas 2.466 Baixa (137) 2
21 Baixa (1) Acre Acre 2.362 Aumento (170)
22 Estável Mato Grosso do Sul Mato Grosso do Sul 1.876 Aumento (119)
23 Estável Espírito Santo (estado) Espírito Santo 1.701 Aumento (32) 1 1
24 Aumento (2) Rondônia Rondônia 1.556 Aumento (370)
25 Baixa (1) Tocantins Tocantins 1.488 Aumento (67)
26 Baixa (1) Amapá Amapá 1.447 Aumento (196)
27 Estável Roraima Roraima 1.420 Aumento (256)

Melhores por região[editar | editar código-fonte]

Região Norte
Pos. Clube UF Pontos
Na região Em 2017
30º Paysandu Pará PA 5 340
57º Remo Pará PA 1 627
61º Águia de Marabá Pará PA 1 479
63º Nacional-AM Amazonas AM 1 410
67º Rio Branco-AC Acre AC 1 291
72º Santos-AP Amapá AP 990
78º Princesa do Solimões Amazonas AM 855
83º Náutico-RR Roraima RR 812
87º Genus Rondônia RO 760
10º 99º Atlético Acreano Acre AC 614
Região Nordeste
Pos. Clube UF Pontos
Na região Em 2017
17º Sport Pernambuco PE 8 019
20º Vitória Bahia BA 7 547
21º Bahia Bahia BA 6 698
23º Ceará Ceará CE 5 904
26º Santa Cruz Pernambuco PE 5 730
29º Náutico Pernambuco PE 5 401
31º ABC Rio Grande do Norte RN 5 044
34º América de Natal Rio Grande do Norte RN 4 397
36º Sampaio Corrêa Maranhão MA 4 024
10º 37º CRB Alagoas AL 3 952
Região Centro-Oeste
Pos. Clube UF Pontos
Na região Em 2017
18º Goiás Goiás GO 7 856
27º Atlético Goianiense Goiás GO 5 443
35º Luverdense Mato Grosso MT 4 154
44º Vila Nova Goiás GO 3 106
52º Cuiabá Mato Grosso MT 2 357
70º CRAC Goiás GO 1 094
74º Aparecidense Goiás GO 923
75º Goianésia Goiás GO 916
85º Gama Distrito Federal (Brasil) DF 770
10º 91º Brasiliense Distrito Federal (Brasil) DF 688
Região Sudeste
Pos. Clube UF Pontos
Na região Em 2017
Palmeiras São Paulo SP 14 720
Santos São Paulo SP 14 574
Corinthians São Paulo SP 14 328
Atlético Mineiro Minas Gerais MG 14 312
Cruzeiro Minas Gerais MG 14 202
São Paulo São Paulo SP 12 430
Flamengo Rio de Janeiro RJ 11 952
10º Fluminense Rio de Janeiro RJ 11 668
12º Botafogo Rio de Janeiro RJ 10 936
10º 13º Vasco da Gama Rio de Janeiro RJ 10 040
Região Sul
Pos. Clube UF Pontos
Na região Em 2017
Grêmio Rio Grande do Sul RS 15 038
Internacional Rio Grande do Sul RS 13 126
11º Atlético Paranaense Paraná PR 11 012
14º Coritiba Paraná PR 9 414
16º Figueirense Santa Catarina SC 9 002
19º Chapecoense Santa Catarina SC 7 596
24º Criciúma Santa Catarina SC 5 788
25º Avaí Santa Catarina SC 5 769
28º Joinville Santa Catarina SC 5 409
10º 33º Paraná Paraná PR 4 446

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Regulamento oficial da Copa do Brasil, artigo 2º» (PDF). Consultado em 13 de maio de 2012 
  2. «Regulamento da Série D, artigos 2º e 3º» (PDF). Consultado em 13 de maio de 2012 
  3. No "Anuário Placar 2003", editora Abril, pp. 76-77, o "Ranking de pontos" ainda é chamado de "Ranking CBF"
  4. Revista Placar especial "Guia do Brasileirão", julho de 2001, Editora Abril, pp. 124-125
  5. «Atualização do Ranking Placar em 02/02/2011». Consultado em 13 de maio de 2012 
  6. «Notícia sobre atualização do Ranking Folha em 25/12/2011». Consultado em 13 de maio de 2012 
  7. «Notícia no UOL Esporte sobre o Ranking da CBF, fevereiro de 2004». Consultado em 29 de novembro de 2012 
  8. «Clic RBS, 11/12/2008: "Ranking da CBF, critérios equivocados"». Consultado em 13 de maio de 2012 
  9. «Convenção de pontos do Ranking Nacional de Clubes» (PDF). Consultado em 7 de novembro de 2012 
  10. «Trivela, 18/04/2012: "Quem irá disputar a série D dop Brasileirão?"». Consultado em 13 de maio de 2012 
  11. http://www.cbf.com.br/noticias/a-cbf/ranking-da-cbf-2016-corinthians-e-novo-lider
  12. «Ranking da CBF 2017: Grêmio é o novo líder». Consultado em 12 de dezembro de 2016 
  13. «RNF - RANKING NACIONAL DAS FEDERAÇÕES 2017» (PDF). Consultado em 12 de dezembro de 2016 
  14. «Regulamento Específico da Copa Verde 2016» (PDF). Regulamento Específico da Copa Verde 2016. Confederação Brasileira de Futebol. 08/12/2015. Consultado em 28/08/2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]