Saltar para o conteúdo

Raquel Lyra

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Raquel Lyra
Raquel Lyra
Raquel Lyra, em 2022, após vencer eleições estaduais em Pernambuco.
58.ª Governadora de Pernambuco
Período 1° de janeiro de 2023 até a atualidade
Vice-governadora Priscila Krause
Antecessor(a) Paulo Câmara
62.ª Prefeita de Caruaru
Período 1° de janeiro de 2017 até 31 de março de 2022 (2 mandatos consecutivos)
Vice-prefeito Rodrigo Pinheiro
Antecessor(a) José Queiroz de Lima
Sucessor(a) Rodrigo Pinheiro
Deputada estadual por Pernambuco
Período 1° de fevereiro de 2011 até 1° de janeiro de 2017 (2 mandatos consecutivos)
Legislatura 17.ª
18.ª
Secretária da Criança e da Juventude de Pernambuco
Período fevereiro de 2011
a dezembro de 2012
Governador Eduardo Campos
Antecessor(a) Cargo Criado
Sucessor(a) Pedro Eurico
1° Vice-presidente Nacional do PSDB
Período 1° de fevereiro de 2023 até 30 de novembro de 2023
Presidente Eduardo Leite
Sucessor(a) Paula Mascarenhas
Dados pessoais
Nome completo Raquel Teixeira Lyra Lucena
Nascimento 2 de dezembro de 1978 (45 anos)
Recife, Pernambuco, Brasil
Nacionalidade brasileira
Progenitores Pai: João Lyra Neto
Alma mater Universidade Federal de Pernambuco
Parentesco Fernando Lyra (tio)
João Soares Lyra Filho (avô)
Partido PSB (2007–2016)
PSDB (2016–presente)
Profissão advogada
Residência Palácio do Campo das Princesas

Raquel Teixeira Lyra Lucena (Recife, 2 de dezembro de 1978) é uma advogada e política brasileira que exerce o cargo de governadora do estado de Pernambuco desde 1.º de janeiro de 2023. Representante da terceira via, iniciou sua carreira política alinhada à esquerda, sendo atualmente mais próxima da posição de centro-direita.

Membro de uma família com influência política em Pernambuco, Raquel é formada em Direito pela Universidade Federal de Pernambuco e pós-graduada em Direito Econômico e de Empresas pela Fundação Getúlio Vargas, tendo iniciado sua carreira como advogada do Banco do Nordeste, depois se tornando delegada da Polícia Federal e Procuradora-Geral do estado. Em 2010 foi eleita deputada estadual com a maior votação entre as mulheres e a mais votada em Caruaru. Foi secretária da Criança e da Juventude do estado de 2011 a 2012. Na Assembleia Legislativa de Pernambuco, foi presidente da Comissão de Constituição, Legislação e Justiça, vice-presidente da Comissão de Meio Ambiente, membra titular da Comissão de Negócios Municipais e suplente da Comissão de Ética. Foi reeleita em 2014 com a terceira maior votação do estado.

Raquel foi filiada ao Partido Socialista Brasileiro de 2007 a 2016, ano em que foi desautorizada a concorrer à prefeitura de Caruaru; em resposta, ingressou no Partido da Social Democracia Brasileira. Na eleição municipal, foi para o segundo turno e elegeu-se com 53,15% dos votos válidos, sendo a primeira mulher escolhida para governar a cidade. Em 2020, foi reeleita no primeiro turno com 66,86% dos votos. Em 2022, Raquel concorreu à eleição para o governo de Pernambuco. No segundo turno, adotou uma postura de neutralidade na eleição presidencial, dando um foco maior na política local em seus posicionamentos. Venceu a eleição obtendo 58,70% dos votos válidos, tornando-se na primeira mulher eleita para o cargo.

Família, educação e carreira[editar | editar código-fonte]

Nascida no Recife em 2 de dezembro de 1978,[1] Raquel Lyra é a caçula de três filhas de Mércia Teixeira Lyra e João Lyra Neto, ex-prefeito de Caruaru e ex-governador de Pernambuco. Em sua família, o avô João Lyra Filho trabalhou no ramo de transportes, sendo proprietário da rodoviária de Caruaru, município do qual também foi prefeito,[2][3][4] e seu tio Fernando Lyra foi ministro da justiça.[5] Por meio de seu avô, tem ascendência portuguesa, açoriana e de indígenas umãs.[6][7] Por ser de uma família ligada à política, Raquel se interessou pela área desde cedo, participando aos nove anos de campanhas eleitorais, como a presidencial em 1989 de Leonel Brizola, cujo vice era seu tio.[5] É viúva do empresário Fernando Lucena, com quem teve os filhos Fernando e João. Seu marido morreu no dia da realização do primeiro turno das eleições de 2022.[8]

Raquel fez Direito na Universidade Federal de Pernambuco.[5] Começou a exercer a advocacia aos 21 anos, foi advogada do Banco de Desenvolvimento Regional e do Banco do Nordeste.[9] Foi delegada da Polícia Federal, atuando no Recife e no Rio de Janeiro, também sendo, em 2003, pós-graduada em Direito Econômico e de Empresas pela Fundação Getúlio Vargas, e depois foi aprovada para a Procuradoria-Geral do estado.[10][11] Foi chefe da Procuradoria de Apoio Jurídico e Legislativo do governo de Eduardo Campos em Pernambuco.[5][12] Entre 2021 e 2022, participou de um curso de liderança e gestão pública promovido pela Bloomberg Center for Cities, da Universidade Harvard, sendo a única mulher e única prefeita do Brasil convidada entre quarenta pessoas.[13][14]

Início da carreira política[editar | editar código-fonte]

Deputada estadual[editar | editar código-fonte]

Raquel em 2010

Em 2010, Raquel foi eleita deputada estadual pelo Partido Socialista Brasileiro, com a maior votação entre as mulheres de Pernambuco e como a mais votada em Caruaru, com 49 610 votos.[9] Em sua campanha prometeu trabalhar para diminuir as desigualdades sociais no estado.[15] Foi reeleita em 2014, com pouco mais de 80 mil votos, a terceira maior votação do pleito.[16][17] Entre os projetos de lei que apresentou e foram promulgados pela Assembleia Legislativa de Pernambuco, estão o que estabelece a obrigatoriedade de detectores de metais em concursos públicos, o que cria a reserva de 10% das vagas nos contratos de aprendizagem em órgãos públicos estaduais para pessoas com deficiência e o que determina a disponibilização de leitos para estas ou pessoas com mobilidade reduzida em estabelecimentos como hotéis e pousadas.[18][19][20]

Em 6 de fevereiro de 2013, Raquel foi eleita a primeira mulher presidente da Comissão de Constituição, Legislação e Justiça da ALEPE, exercendo o cargo nos biênios 2013–2015 e 2015–2017.[21][22] Nas comissões permanentes, também foi vice-presidente da Comissão de Meio Ambiente, titular da Comissão de Negócios Municipais e suplente da Comissão de Ética;[23][24][25] nas especiais, foi membra de uma para elaborar o plano de assistência estudantil de Pernambuco e relatora de uma relacionada com a mobilidade urbana.[26][27] Integrou também da Frente Parlamentar de Proteção e Defesa da Pessoa Idosa e da Frente Parlamentar da Primeira Infância.[28][29] Raquel foi uma dos sete deputados estaduais que encerrou o mandato na ALEPE após serem eleitos prefeitos em 2016.[30]

Secretária da Criança e da Juventude de Pernambuco[editar | editar código-fonte]

Em fevereiro de 2011, Raquel assumiu a Secretaria da Criança e da Juventude de Pernambuco.[31] Durante a sua gestão, criou os projetos Minha Certidão, Casas da Juventude e Esporte Educacional Seguro e Inclusivo.[32] Em 10 de fevereiro de 2012, foi eleita presidente do Fórum Nacional de Secretários e Gestores de Juventude para o biênio 2012–2014, tomando posse em 31 de maio.[33][34] Deixou a secretaria e retornou ao seu mandato na ALEPE em 18 de dezembro de 2012.[32]

Candidatura a prefeita de Caruaru em 2016[editar | editar código-fonte]

Raquel, Aécio Neves e João Lyra Neto em 2014

Desde agosto de 2015, Raquel revelava a intenção de ser candidata a prefeita de Caruaru.[35] Porém, o PSB era aliado do então prefeito José Queiroz, rompido politicamente com a família Lyra.[36][37] Apesar de ela ter assumido a presidência do partido em Caruaru em novembro de 2015, o PSB recusou sua candidatura à prefeitura,[37] situação que resultou no saída de sua família do partido. Tanto Raquel como João Lyra Neto afirmaram que foram expulsos, e em discurso na ALEPE ela acusou o PSB de ter feito um acordo com o PDT, partido de José Queiroz, em troca do apoio à releição do prefeito Geraldo Júlio no Recife.[38][39] Em 17 de março de 2016, Raquel e Lyra Neto filiaram-se ao Partido da Social Democracia Brasileira.[40][41] Em 5 de agosto, a convenção do partido lançou a candidatura dela em uma chapa com o empresário Rodrigo Pinheiro, também do partido.[42][43] O principal tema de sua campanha foi a segurança pública, adotado devido aos elevados índices de violência de Caruaru.[44][45]

Os principais adversários de Raquel no primeiro turno foram o ex-prefeito Tony Gel e o estreante na política Erick Lessa, com quem disputava o segundo lugar nas pesquisas de opinião.[46][47][48] Tony venceu o primeiro turno com 63 697 votos (37,1%) e Raquel ficou em segundo com 44 776 (26,08%), passando em uma margem apertada de Lessa, que obteve 41 102 (23,94%); a disputa foi para o segundo turno, o primeiro realizado na cidade.[a][52][53] Nesta fase da campanha, houve um acirramento com pouca diferença percentual entre os dois candidatos na maioria das pesquisas.[54][55] Raquel venceu o segundo turno com 93 803 votos (53,15%),[56][57] uma pouco mais de 11 mil sobre Tony,[54] tornando-se a primeira mulher eleita prefeita de Caruaru e a única a ter vencido no segundo turno em 2016.[58][59]

Prefeita de Caruaru[editar | editar código-fonte]

Primeiro mandato[editar | editar código-fonte]

Entrega do certificado Cidade Pacífica de Caruaru pelo Ministério Público de Pernambuco em 2019

Após ser eleita, Raquel anunciou seus secretários de governo em 28 de dezembro, reduzindo de 18 para 13 a quantidade de secretarias municipais.[60] Assumiu o cargo em cerimônia na Prefeitura de Caruaru em 1.º de janeiro de 2017, tornando-se a primeira mulher chefe do executivo municipal;[b] em seu discurso de posse prometeu uma gestão de vanguarda e participativa.[62]

Em 2017, Raquel implementou o programa Juntos pela Segurança, que reduziu o número de homicídios em 50% e o de crimes violentos contra o patrimônio em 70%.[63] Durante sua gestão, Caruaru passou a ficar em 6.º lugar no levantamento do projeto Cidade Pacífica, do Ministério Público de Pernambuco (MPPE), que também deu um certificado e o selo de cidade pacífica para o município.[64][65] Porém, em 2022, adversários de Raquel deram crédito à melhoria da situação de Caruaru na área da segurança pública para ações do governo estadual e para o trabalho das polícias civil e militar de Pernambuco.[66][67]

Na infraestrutura, o então Secretário de Infraestrutura Urbana e Obras da cidade Rodrigo Miranda disse em uma entrevista de abril de 2021 que a gestão de Raquel teria entregado mais de 600 obras no município ao longo do primeiro mandato, como o calçamento de ruas e obras no Parque 18 de Maio e o projeto Via Parque, o principal projeto da gestão no setor.[68] Uma das promessas de campanha em 2016, o projeto foi anunciado em agosto de 2018, sendo dividido em três eixos: centro, leste e oeste.[69] A primeira etapa foi inaugurada em novembro do ano seguinte.[70] O Via Parque recebeu dois prêmios nacionais em 2021.[71] Em uma entrevista seis meses após o início de seu mandato, Raquel afirmou que seu governo havia aberto 2 600 vagas nas escolas municipais, 600 destas na educação infantil.[72] Em outubro de 2019, a prefeitura de Caruaru e a United Way Brasil lançaram a campanha Unidos pela Primeira Infância.[73]

Na área da saúde, uma das promessas de campanha de Raquel foi a municipalização do Hospital São Sebastião, fechado desde 2004 devido à problemas de infraestrutura.[74][75] Em 2017, o governo de Pernambuco alegou que a prefeitura havia perdido o interesse em assumir a gestão, o que foi negado.[75] Em 22 de agosto, o governo do estado decidiu que assumiria a gestão do hospital, reinaugurado pouco mais de um ano depois e que ficou sob a gestão da organização social HCP Gestão, que administra o Hospital do Câncer de Pernambuco.[76][77] Também prometeu que faria a transferência da Feira da Sulanca, ideia que estava no debate público local desde 2011.[78][79] Uma lei autorizando a transferência foi aprovada pela Câmara Municipal de Caruaru em 2014 e sancionada pela administração anterior no ano seguinte, porém a mudança não havia sido colocada em prática.[80][78] Apesar de prometer que a transferência seria feita até o fim do seu primeiro mandato, saiu da prefeitura sem realizá-la.[81][82]

Em 2020, a gestão de Raquel realizou uma série de medidas para lidar com a pandemia de COVID-19. Em março foi feita uma parceria entre a prefeitura e a Câmara Municipal para que a TV Câmara transmitisse programas educativos aos alunos da rede municipal de ensino.[83][84] Em maio a gestão planejou um isolamento intensivo para evitar a maior proliferação do vírus utilizando de medidas de restrição de circulação na cidade e colocou no ar a plataforma digital Sulanca Delivery.[85][86] Houve também o cancelamento do São João, que foi substituído por um evento online.[87][88] Em junho, criticou o governo de Pernambuco por decretar um lockdown de dez dias em Caruaru, dizendo que via a decisão com "estranhamento", pois a restrição não foi decretada em outras cidades do agreste.[89]

Campanha à reeleição em 2020[editar | editar código-fonte]

Em 2020, em meio à pandemia de COVID-19, Raquel disputou a reeleição fazendo campanha de forma majoritária nas mídias sociais, principalmente no Instagram, onde levantou como principais bandeiras o empreendedorismo feminino, políticas públicas de prevenção e combate à violência contra a mulher, a valorização da cultura, a inovação e o crescimento.[90]

Como consequência da pandemia, o primeiro turno da eleição foi adiado para 15 de novembro.[91] A candidatura de Raquel foi oficializada em uma convenção partidária transmitida nas mídias sociais em 13 de setembro.[92] A eleição foi marcada, além da pandemia, pela falta de candidatos históricos como José Queiroz e Tony Gel.[93][94] Nas pesquisas de intenção de voto em que constavam os dois, ela aparecia na liderança, porém sem maioria para vencer a eleição no primeiro turno.[95][96] Tendo como principal adversário Erick Lessa, que concorreu à prefeitura pela segunda vez,[94] ela apareceu nas pesquisas com vantagem suficiente para ganhar a eleição no primeiro turno.[96][97] Em 2022, Raquel criticou a ausência de Marília Arraes em debates na eleição estadual, porém, ela própria não participou de debates em 2020.[98] Raquel foi reeleita no primeiro turno com 114 466 votos (66,86%), seguida de Lessa, que teve 32 910 (19,22%).[99][100]

Segundo mandato[editar | editar código-fonte]

Um dia após ser reeleita, Raquel afirmou que a primeira medida de seu segundo mandato seria "trabalhar o pós-pandemia".[101] Em 19 de janeiro de 2021, a prefeitura de Caruaru iniciou a campanha de vacinação contra a COVID-19 e no final de maio pediu doses extras de vacina para o governo de estado com o objetivo de conter o avanço do vírus no agreste.[102][103]

Em 2021, sua gestão recebeu cinco prêmios, dois deles relacionados à Via Parque.[71] Na edição daquele ano do Ranking Connected Smart Cities, Caruaru apareceu pela primeira vez, destacando-se em três indicadores: saúde, governança e tecnologia de informação (TI) e inovação.[71][104]

Em março de 2022, os professores da rede municipal de ensino deflagraram uma greve devido ao reajuste em 10,16% de seu salário, abaixo do estipulado em lei federal (33,24%), dado apenas a professores que recebessem abaixo do piso salarial. Durante a greve houve um protesto em frente à prefeitura e um panelaço.[105] Ao defender a decisão, Raquel disse que a Lei de Responsabilidade Fiscal a impediria de conceder um reajuste maior, argumento que foi considerado invalido em decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ).[106][107] Após a decisão do STJ, a prefeitura recuou da proposta inicial e a retirou.[108]

Raquel renunciou ao cargo de prefeita em 31 de março de 2022 para ser candidata ao governo de Pernambuco.[109] Seu último ato como prefeita, naquele mesmo dia, foi a entrega da Maternidade Municipal Santa Dulce dos Pobres (MMC).[67][110]

Candidatura à governadora de Pernambuco em 2022[editar | editar código-fonte]

Em junho de 2021, já estava sendo cotada para a disputa ao governo do estado; porém, ao comentar o assunto, disse que achava muito cedo para discutir a questão.[111] Enquanto não anunciava publicamente sua intenção de concorrer ao governo, especulou-se que Lyra poderia concorrer como vice na chapa de Sérgio Moro à presidência.[112] Anunciou publicamente que entraria na disputa em 21 de março de 2022, em um evento da Federação PSDB Cidadania.[113]

Em 30 de julho, a convenção do PSDB oficializou a sua candidatura, com a então deputada estadual Priscila Krause (Cidadania) sendo sua vice.[114] O seu plano de governo abordou 13 eixos estratégicos que abordavam diversas áreas de maneira "interdependente" e de acordo com levantamento do G1, ela realizou 42 promessas de campanha.[115][116] Uma delas foi a criação de um auxílio emergencial de trezentos reais para pessoas em vulnerabilidade social.[117] Os seus principais adversários foram Marília Arraes (SD), que liderava as pesquisas de opinião, Anderson Ferreira (PL), Danilo Cabral (PSB) e Miguel Coelho (UNIÃO), disputando o segundo lugar com os três últimos de maneira acirrada.[118] Marília Arraes venceu o primeiro turno com 1 175 651 votos (23,97%), Lyra ficou em segundo lugar com 1 009 556 (20,58%) e Anderson Ferreira em terceiro com 890 220 (18,15%).[119][120] Raquel e Marília disputaram o segundo turno.[121]

Com a morte do marido de Raquel no dia do primeiro turno, afastou-se das atividades políticas devido ao luto e a campanha dela ficou sob o comando de Priscila Krause.[122] Em 5 de outubro, a campanha pediu para a coligação "Pernambuco na Veia" que o início do programa eleitoral gratuito fosse adiado, porém a campanha de Marília Arraes negou, se solidarizando pelo momento vivido pela candidata.[123] Em 13 de outubro, a agenda eleitoral de Lyra foi suspensa porque o filho mais velho dela passou por uma cirurgia de apendicite.[124][125]

Quanto a disputa nacional do segundo turno, entre Lula (PT) e Bolsonaro (PL), Lyra optou por não declarar seu voto e por uma postura de neutralidade.[124][126] Decisão que abriu margem para que fosse acusada por Marília e apoiadores de ser bolsonarista.[126][127][128] Em resposta às acusações, afirmou que o objetivo de sua candidatura era "unir Pernambuco", usou um discurso de afastamento da disputa local da política nacional,[129] teceu criticas à Bolsonaro e ao bolsonarismo[130] e alegou que Marilia estava "se escorando" em Lula por falta de propostas e realizações.[126][131][132] Apesar disso, a sua campanha conseguiu ter apoios dos dois lados: entre os apoiadores de Lula estiveram Túlio Gadêlha (REDE)[133] e a prefeita de Serra Talhada Márcia Conrado (PT)[134] e entre os de Bolsonaro estiveram Júnior Tércio, Clarissa Tércio e Cleiton Collins.[131][135][136] Lyra foi eleita governadora de Pernambuco no dia 30 de outubro, após obter 3 113 415 de votos (58,70%) no segundo turno e Marília Arraes obteve 2 190 264 (41,30%). Ela foi a primeira mulher a ser eleita governadora de Pernambuco.[137][138][nota 1]

Governadora de Pernambuco[editar | editar código-fonte]

Raquel e Priscila Krause na posse do procurador-geral de Justiça do MPPE Marcos Antônio Matos de Carvalho (à direita). Foto de 11 de janeiro de 2023

A equipe de transição de Raquel começou a atuar no dia seguinte a eleição, a sua coordenadora foi a vice-governadora eleita Priscila Krause.[142][143] Ao apresentar um balanço dos trabalhos, a equipe de transição anunciou que a situação de Pernambuco estaria "dificílima" e que haveria "urgência em arrumar a casa", o que o governo estadual rebateu afirmando que deu colaboração irrestrita ao grupo e que a Krause não teria descido do palanque.[144] O anuncio dos futuros secretários de governo começou a ser feito no dia 29 de dezembro, faltando poucos dias para a posse, os secretários de governo tiveram a posse marcada para o dia seguinte à da governadora.[145][146] A sua posse aconteceu em 1º de janeiro de 2023 na sede da ALEPE às 16h30, em seu discurso Lyra falou que a prioridade máxima de seu governo seria o combate a fome.[147]

O seu primeiro ato como governadora foi assinar um decreto que estendeu até 31 de março a situação de emergência em saúde pública devido a Pandemia de COVID-19, medida que dá ao governo estadual acesso facilitado à recursos financeiros.[148] Em 20 de junho, ela decretou novamente emergência de saúde pública no estado, dessa vez devido a um aumento dos casos de síndrome respiratória aguda grave que provocou superlotação em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) neonatais e pediátricas.[149][150] Dois dias depois, circulou nas redes sociais um vídeo mostrando funcionários da secretaria estadual de saúde celebrando uma em festa junina no dia da assinatura do decreto. Cinco dias depois, Raquel comentou a situação afirmando não ter conhecimento da festa e classificando-a como algo "absolutamente inadequado".[151] Na mesma entrevista, ela afirmou que a saúde é o principal problema de Pernambuco e apontou a falta de infraestrutura física e organizacional na área.[152]

Em um decreto assinado no dia seguinte à sua posse, demitiu servidores comissionados do governo e retirou funções gratificadas de servidores efetivos.[153] Além disso, o decreto revogou a concessão de licenças, a cessão de servidores para outros entes (como a prefeitura de Recife, por exemplo) e suspendeu o trabalho remoto até que a modalidade fosse regulamentada no estado. A medida foi considerada polêmica porque resultaria na demissão em massa de 2754 funcionários comissionados.[153][154][155] No dia 4 de janeiro, o decreto foi corrigido para que fossem mantidos os gestores de escolas estaduais.[156]

Na área da educação, o governo Raquel Lyra enviou para a assembleia legislativa o projeto de lei Nº 712/2023, que aumentava em 14,95% o piso estadual dos professores para seis mil efetivos e 19 mil contratados, a proposta não teve o apoio dos docentes por não abarcar todos os 52 mil profissionais da educação e a governadora é criticada por falta de diálogo com a categoria.[157][158] Apesar do projeto ter sido rejeitado nas comissões de Finanças e Educação e Cultura, ele foi aprovado pelo plenário da Alepe por 30 votos favoráveis e 15 contrários.[159][160][161]

Em sua primeira semana de governo, propôs uma reforma administrativa no estado. A reforma foi feita a reorganizar a estrutura das secretarias, criar novos cargos comissionados e aumentar a remuneração de cargos em comissão e de servidores com função gratificada. A reforma foi aprovada pela ALEPE em 17 de janeiro e sancionada no dia seguinte.[162][163][164] Em fevereiro de 2023, Lyra decretou um sigilo de cinco anos nas informações a respeito do efetivo da Polícia Militar de Pernambuco, que estava em déficit naquele momento, a justificativa adotada foi a de que o conhecimento público das informações poderia ser um risco para a segurança e comprometer atividades de inteligência.[165][166] Em março, ela anunciou concursos públicos na área da segurança.[167] Em junho, ela anunciou que a implantação estadual do Juntos pela Segurança, que estava prevista inicialmente para abril, seria lançado em julho.[157][158] O programa foi lançado oficialmente no dia 31 de julho.[168]

Em janeiro de 2024, Pernambuco fechou o mês com 359 mortes violentas intencionais, maior número desde março de 2020, com aumentos nos números da Região Metropolitana do Recife e do Sertão e diminuições nos números do Agreste e da Zona da Mata.[169] O período também foi marcado pela pressão do Sindicato dos Policiais Civis de Pernambuco (Sinpol-PE) e da Associação de Delegados de Polícia por reajustes salariais, maior diálogo com o governo estadual e melhores condições de trabalho,[169] troca nos comandos das polícias e uma paralisação parcial das atividades pelos policiais civis durante 24 horas no dia 24 de janeiro.[170] Os policiais civis chegaram a aprovar uma paralisação que se iniciaria no dia 9 de fevereiro, vespera do Carnaval daquele ano, porém após uma decisão do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) que determinou que a greve não fosse iniciada (e multa diária de 300 mil reais em caso de descumprimento) e uma negociação que contou com intermediação do presidente da Alepe Alvaro Porto (PSDB) e do presidente da Comissão de Segurança Pública da assembléia Joel da Harpa (PL), foi anunciada a suspensão da deflagração da greve.[171][172][173]

No saneamento básico, a principal ação foi o início de um processo de concessão administrativa da Compesa, estatal de água e esgoto de Pernambuco, por meio de uma contratação de projeto ao BNDES.[174] Em novembro de 2023, ela afirmou em um evento a pretensão de leiloar concessões da empresa na bolsa de valores em 2024, ressaltando que o capital fechado da empresa seria mantido.[175] Seus criticos à esquerda[176] e veículos de imprensa[174] tratam a concessão como uma forma de privatização da Compesa, o que é negado oficialmente.[177][178][179] Durante uma entrevista em 2022, Raquel comentou que "a água deve ser prioridade de um governante" ao comentar problemas de acesso à agua e falta de saneamento básico no estado e defendeu a concessão de PPPs como forma de lidar com a problemática.[180]

Ao completar 100 dias, o governo Raquel Lyra apresentou um relatório diagnóstico sobre a situação administrativa de Pernambuco, apresentado como o "ponto de partida para se fazer as mudanças que o Estado precisa".[181] Raquel afirmou que a situação do estado seria "talvez a mais desafiadora da história" e no relatório foi afirmado que o governo encontrou uma situação de desequilíbrio nas contas públicas, com um déficit primário de 567 milhões de reais em 2022, apesar do balanço fiscal do estado no primeiro bimestre indicar um superávit de 2,8 bilhões.[182][183] Em resposta, a líder da oposição na Alepe Dani Portela (PSOL) fez um levantamento próprio sobre o governo Raquel Lyra, no qual afirmou que a exoneração em massa de servidores comissionados ocorrida em janeiro prejudicou o funcionamento de serviços públicos estaduais.[184] Além disso, o líder do PSB Sileno Guedes, afirmou que o relatório do governo seria um modo de fazer política "olhando pelo retrovisor".[185] No mesmo período o governo começou a adotar o slogan "Estado de Mudança" e foi divulgada uma pesquisa da Quaest sobre popularidade digital. Nela, Raquel Lyra foi avaliada como segunda a governadora mais popular do país, atrás apenas do governador de São Paulo Tarcísio de Freitas.[186][187] Em um índice que vai de 0 a 100, Tarcísio obteve 75,6 e Raquel 44,6.[187][188] Porém, em janeiro de 2024, Raquel foi avaliada como a governadora mais impopular do Brasil em uma pesquisa da AtlasIntel, com 49% de desaprovação, 36% de aprovação e 15% que não souberam avaliar. A pesquisa atribui a impopularidade a uma crise de governabilidade devido a um desgaste da relação entre o governo estadual e a Assembleia Legislativa.[189][190][191]

Como governadora, Raquel Lyra ao mesmo tempo possui um relacionamento de diálogo amigável com o governo Lula e tem na sua base aliada o PL, partido de Jair Bolsonaro. Raquel já participou de eventos ao lado de Lula e afirmou buscar alianças junto a ele e a seus ministros para "reconstruir Pernambuco".[192] Em um evento com ambos no dia 22 de março de 2023, Lula defendeu Raquel após ela ter sido vaiada pela plateia. A aliança de Raquel com o PL envolve indicações do partido para cargos no governo estadual, sendo as principais delas Ivaneide Dantas como Secretária de Educação[193] e Anselmo de Araújo Lima como Secretario Executivo de Justiça e Promoção dos Direitos do Consumidor.[194][195][196] Porém, no primeiro semestre de 2024 o governo Raquel Lyra têm adotado uma relação mais distante do PL é mais próxima do PT de Lula. Na assembleia legislativa, 3 dos 5 deputados estaduais do PL estão na oposição ao governo e apenas 1 é aliado, já os deputados PT, embore a posição do partido seja de oposição, frequentemente votam em alinhamento ao governo do estado. Em 30 de abril de 2024 o governo exonerou indicados do PL no Detran (Departamento Estadual de Trânsito) e no ProRural (Programa Estadual de Apoio ao Pequeno Produtor Rural).[197]

Posições políticas[editar | editar código-fonte]

Lyra (ao centro), junto à senadora Teresa Leitão e ao presidente Lula (da esquerda à direita), durante a entrega de viaturas policiais.

Raquel se enquadra no campo da terceira via.[198] Apesar de ter iniciado a sua carreira política no PSB, um partido de esquerda,[129][199] e ter posicionamentos ligados a este campo, é descrita como de centro e possui aliados de direita, e sua ascensão ao poder é vista como um fortalecimento do espectro em Pernambuco.[200][201] Em 2022, apoiou a presidenciável Simone Tebet no primeiro turno e ficou neutra no segundo.[198]

Em uma sabatina no UOL em outubro de 2022, Raquel opinou sobre questões em evidência no debate político. Defende os direitos da população LGBTQIAP+, contudo durante o primeiro turno da eleição de 2022, foram feitas análises que concluiram que tanto ela como os outros principais candidatos não apresentavam propostas para a comunidade de maneira significativa.[130][202][203] Posicionou-se a favor das cotas raciais e de sua ampliação, contra a legalização do aborto, exceto em casos previstos em lei, e a descriminalização da maconha e afirmou que o assunto da instalação de câmeras nos uniformes de policiais precisava ser debatido e estudado "com muito cuidado".[130][204]

No campo econômico, Raquel é contrária às privatizações do Metrô do Recife e da Petrobras e favorável à concessão de parques públicos à iniciativa privada caso seja de "interesse público" e à privatização da Arena de Pernambuco, colocando a ideia em prática ao retomar o processo para a outorga do estádio ao setor privado em fevereiro de 2023.[130][204][205] Ela defende concessões de Parcerias Público Privadas (PPP) no saneamento básico desde a campanha eleitoral de 2022 e colocando isso em prática no governo com a Compesa, à qual fez críticas em uma entrevista ao G1 em agosto de 2022, afirmando que era "uma empresa que não consegue cumprir seu fim" e "uma péssima prestadora de serviços" para defender um "choque de gestão na empresa" e mais concessões de PPPs.[180] Em outra entrevista, como governadora, ela afirmou que não seria possível resolver problemas de acesso a água e saneamento básico em Pernambuco com recursos públicos devido a um déficit orçamentário de 400 milhões de reais na Compesa em 2023.[177]

Em uma entrevista dada à revista Veja em novembro de 2022, Raquel comentou que a terceira via não foi competitiva nacionalmente nas eleições daquele ano porque "ficou no campo da política e se esqueceu de falar com o povo" e por Tebet ter tido pouco tempo para viajar pelo Brasil. Sobre a participação de mulheres na política, disse que sua vitória foi relevante para que as novas gerações pudessem se inspirar mais em mulheres, que o machismo estrutural ainda impera na política e que a diferença entre homens e mulheres no exercício do poder seria o costume de elas ouvirem mais e deverem ser mais ouvidas.[198] Em entrevista à CNN Brasil no dia 16 de maio de 2023, ela defendeu mais mulheres ocupando espaços de poder, afirmando que já sofreu violencia política por ser mulher e que sofreu todos os tipos de violência contra a mulher, exceto violência física.[206] Em outra entrevista, em abril de 2024, ela afirmou ser difícil fazer política sendo mulher quando a maioria das lideranças são homens e que qualquer mulher que está na política "sofre também".[207]

Em 26 junho de 2023, foi entrevistada no programa Roda Viva.[157] Na entrevista, ela reafirmou o posicionamento de centro focando-se mais na política de Pernambuco do que na nacional com frases como "Meu partido é Pernambuco".[192] Ao comentar a inelegibilidade de Jair Bolsonaro (que se confirmou oficialmente quatro dias depois),[208] ela disse que seria lamentável um ex-presidente responder por isso no Brasil, que nas palavras dela seria uma "democracia incipiente"; porém, ela não defendeu Bolsonaro, afirmando que ele precisaria ser responsabilizado pelos próprios atos caso o judiciário julgasse que ele cometeu ilegalidades.[209] Ao ser questionada sobre questões raciais, ela defendeu a representatividade e a equidade racial, apesar de terem apenas duas pessoas negras no seu alto escalão, fato sobre o qual se defendeu dizendo que estava tendo dificuldades em encontrar pessoas pretas para compor o governo e que colocar essas pessoas no governo seria algo que demandaria um esforço maior.[210][211]

Histórico eleitoral[editar | editar código-fonte]

Ano Cargo Partido Coligação Partidos Votos para Raquel Resultado Fontes
Total % P.
2010 Deputada estadual PSB Frente Popular de Pernambuco para Deputado Estadual PRB, PP, PDT, PT, PTB, PSC, PR, PSB, PCdoB 49 610 1,10% 18.ª Eleita [212][213]
2014 PSB, PMDB, PCdoB, PR, PSD, PSDB, PPL, DEM, PEN, PTC 80 879 1,76% 3.ª Reeleita [214][215]
2016 Prefeita de Caruaru PSDB Juntos por Caruaru PRB, PSL, PTN, DEM, PRTB, PMN, PSDB, Patriota, PTdoB, PROS, PTB 93 803 53,15% Eleita [57][1]
2020 Todos por Caruaru Cidadania, DEM, PSDB, PTB, PODE, PSC, PL, PRTB, PMB, Avante, PMN e Patriota 114 466 66,86% Reeleita [99][1]
2022 Governadora de Pernambuco Pernambuco quer mudar Federação PSDB Cidadania, PRTB 3 113 415 58,70% Eleita [216][217]

Notas e referências

Notas

  1. Apesar de ser comum tratar Raquel como a "primeira mulher governadora",[11][139][140] tecnicamente ela não o foi de facto. A primeira mulher a governar o que hoje é Pernambuco foi Brites de Albuquerque, que administrou a Capitania de Pernambuco após a morte do marido Duarte Coelho. Além disso, a vice de Paulo Câmara (PSB) no segundo mandato, Luciana Santos (PCdoB) também chegou a governar o estado de forma temporária durante as ausências dele.[141] Lyra foi a primeira governadora eleita para o cargo.
  1. Para ocorrer uma disputa no segundo turno em uma eleição municipal no Brasil, uma cidade precisa ter no mínimo 200 mil eleitores.[49] Caruaru atingiu este número no intervalo entre outubro de 2012 (185 946) e outubro de 2016 (209 898), quando pôde ter um segundo turno.[50][51]
  2. Em 1989, a então presidente da Câmara Municipal de Caruaru Sílvia Antunes Porto (PMDB) assumiu a prefeitura durante uma ausência de João Lyra Neto — o então vice-prefeito Jorge Gomes não pôde assumir porque era candidato a cargo eletivo. Sílvia, porém, assumiu temporariamente na ausência do titular.[61]

Referências

  1. a b c «Raquel Lyra». Divulgação de Candidaturas e Contas Eleitorais. 2020. Consultado em 9 de janeiro de 2023 
  2. «HISTÓRIA DA RODOVIÁRIA CARUARENSE: Uma marca de Caruaru, uma marca no Nordeste». Diário do Transporte. 13 de junho de 2011. Consultado em 9 de março de 2023 
  3. Romero, Pedro (12 de março de 2013). «Centenário de João Lyra Filho é lembrado com homenagens em Caruaru». Jornal do Commercio (JC). Consultado em 9 de março de 2023 
  4. Monteiro, Renata (29 de setembro de 2022). «DEBATE GOVERNADOR DE PERNAMBUCO NA TV JORNAL: Com família dona de empresa de ônibus, Raquel Lyra diz que não haverá conflito de interesse se for governadora». JC. Consultado em 9 de março de 2023 
  5. a b c d Guarda, Adriana (28 de outubro de 2022). «ELEIÇÕES EM PERNAMBUCO: conheça a história de Raquel Lyra, governadora eleita de Pernambuco, para além do seu currículo profissional». JC. Consultado em 9 de março de 2023 
  6. «Angélica Rosa da Silva». Family Search. Consultado em 17 de maio de 2024 
  7. «Mapa etno-histórico do Brasil e regiões adjacentes (Nimuendajú 1981) - Biblioteca Digital Curt Nimuendajú». www.etnolinguistica.org. Consultado em 17 de maio de 2024 
  8. «Morre o empresário Fernando Lucena, marido de Raquel Lyra». Folha de Pernambuco. 2 de outubro de 2022. Consultado em 19 de outubro de 2022 
  9. a b «Raquel: a mais votada de Caruaru para AL». Jornal Vanguarda. 9 de outubro de 2010. Consultado em 13 de novembro de 2016. Arquivado do original em 19 de setembro de 2016 
  10. «Raquel Lyra sobre posse em meio ao luto: 'Firme pela força dos meus filhos'». Universa. 30 de dezembro de 2022. Consultado em 9 de março de 2023 
  11. a b Magalhães, Guilherme (30 de outubro de 2022). «Raquel Lyra será a primeira mulher a governar o estado de Pernambuco». JOTA Info. Consultado em 9 de março de 2023 
  12. «VÍDEO: Conheça a trajetória de Raquel Lyra, nova governadora de Pernambuco». G1. 31 de outubro de 2022. Consultado em 9 de março de 2023 
  13. Dias, Luzimar (26 de setembro de 2021). «Raquel Lyra é um dos 40 nomes escolhidos no mundo para curso de gestão, nos EUA». FOCO Pernambuco. Consultado em 12 de março de 2023 
  14. Fernandes, Luiz (26 de setembro de 2021). «Raquel Lyra é a única mulher e prefeita escolhida no Brasil para fazer curso de liderança e gestão pública promovido pela Universidade de Harvard, nos EUA». Portal de Prefeitura. Consultado em 13 de março de 2023. Arquivado do original em 26 de setembro de 2021 
  15. «Playboy destaca a beleza de Raquel Lyra, deputada eleita pelo PSB para Assembleia Legislativa». Jornal do Commercio. 8 de dezembro de 2010. Consultado em 9 de março de 2023. Arquivado do original em 15 de setembro de 2022 
  16. «Confira os deputados estaduais eleitos por Pernambuco». NE10. 6 de outubro de 2014. Consultado em 13 de novembro de 2016. Cópia arquivada em 20 de julho de 2018 
  17. «Raquel Lyra é terceira deputada estadual mais votada de Pernambuco». NE10. 5 de outubro de 2014. Consultado em 13 de novembro de 2016 
  18. «Lei Nº 15.562». Alepe Legis - Portal da Legislação Estadual. 26 de agosto de 2015. Consultado em 12 de março de 2023 
  19. «Lei Nº 15.798». Alepe Legis - Portal da Legislação Estadual. 3 de maio de 2016. Consultado em 12 de março de 2023 
  20. «Lei Nº 16.319». Alepe Legis - Portal da Legislação Estadual. 26 de março de 2018. Consultado em 12 de março de 2023 
  21. «Comissões parlamentares anunciam presidentes do próximo biênio». ALEPE. 6 de fevereiro de 2013. Consultado em 9 de março de 2023 
  22. «Comissões Técnicas da Alepe iniciam trabalhos». ALEPE. 11 de fevereiro de 2015. Consultado em 2 de maio de 2024 
  23. «Comissão de Meio Ambiente elege novo presidente». ALEPE. 9 de janeiro de 2014. Consultado em 9 de março de 2023 
  24. «Comissões Permanentes definem integrantes para biênio 2013/2015». ALEPE. 7 de fevereiro de 2013. Consultado em 9 de março de 2023 
  25. «Assembleia define integrantes da Comissão de Ética». ALEPE. 25 de fevereiro de 2013. Consultado em 9 de março de 2023 
  26. «Ensino Superior – Comissão Especial para elaborar Plano de Assistência Estudantil do Estado». ALEPE. 4 de setembro de 2013. Consultado em 9 de março de 2023 
  27. «Mobilidade urbana volta a ser tema de Comissão Especial na Alepe». ALEPE. 11 de maio de 2015. Consultado em 9 de março de 2023 
  28. «Ato Nº 816». Alepe Legis - Portal da Legislação Estadual. 18 de fevereiro de 2014. Consultado em 12 de março de 2023 
  29. «Ato Nº 911». Alepe Legis - Portal da Legislação Estadual. 9 de agosto de 2016. Consultado em 12 de março de 2023 
  30. «Parlamentares se despedem da Alepe para assumir prefeituras». ALEPE. 20 de dezembro de 2016. Consultado em 9 de março de 2023 
  31. «Socialista se despede do Parlamento e resume herança política». Assembleia Legislativa de Pernambuco. 9 de fevereiro de 2011. Consultado em 9 de março de 2023 
  32. a b «Tucano Pedro Eurico assume secretaria no governo Eduardo». JC. 18 de dezembro de 2012. Consultado em 9 de março de 2023. Arquivado do original em 9 de março de 2023 
  33. «Raquel Lyra é eleita presidente do Forjuve». Secretaria da Criança e Juventude de Pernambuco. 2012. Consultado em 10 de setembro de 2023 
  34. «Raquel Lyra toma posse no Forjuve». Secretaria da Criança e Juventude de Pernambuco. 31 de maio de 2012. Consultado em 13 de novembro de 2016 
  35. «Raquel Lyra cogita se candidatar à Prefeitura de Caruaru por outro partido caso não seja aceita pelo PSB; Deputada convida para o Dia do Voluntariado». Blog do Alberico Cassiano. 27 de agosto de 2015. Consultado em 10 de março de 2023. Arquivado do original em 30 de setembro de 2020 
  36. «Zé Queiroz declara apoio a Raquel Lyra em Caruaru». JC. 5 de outubro de 2016. Consultado em 10 de março de 2023 
  37. a b Sandes, Giovanni (6 de novembro de 2015). «Raquel Lyra assume PSB de Caruaru, sinal de possível escolha da socialista para 2016». Jornal do Commercio. Consultado em 10 de março de 2023. Arquivado do original em 8 de novembro de 2015 
  38. Veras, Paulo (21 de março de 2016). «Me tiraram do PSB, diz Raquel Lyra na Alepe». JC. Consultado em 10 de março de 2023 
  39. Gouveia, Marília (31 de março de 2016). «"Eu e Raquel fomos expulsos do PSB", disse João Lyra Neto». João Alberto Blog. Consultado em 10 de março de 2023 
  40. Miranda, Ana Maria Santiago de (17 de março de 2016). «Raquel Lyra se filia ao PSDB e será candidata do partido em Caruaru». NE10. Consultado em 10 de março de 2023 
  41. Araújo, Marcela Balbino e Mariana (18 de março de 2016). «Raquel Lyra deixa o PSB e vai para o PSDB». JC. Consultado em 10 de março de 2023 
  42. «Convenção do PSDB lança Raquel Lyra para prefeita de Caruaru, Agreste». G1. 5 de agosto de 2016. Consultado em 10 de março de 2023 
  43. Benites, Franco (5 de agosto de 2016). «Em Caruaru, todos os candidatos a prefeito colocam as cartas na mesa». JC. Consultado em 10 de março de 2023 
  44. Balbino, Marcela (1 de novembro de 2016). «Caruaru: segurança como prioridade da prefeita eleita Raquel Lyra». JC. Consultado em 11 de março de 2023 
  45. «Violência explode em Caruaru». JC. 17 de outubro de 2015. Consultado em 11 de março de 2023 
  46. «Eleições 2016: veja o perfil dos sete candidatos à prefeitura de Caruaru». G1. 29 de setembro de 2016. Consultado em 10 de março de 2023 
  47. Sampaio, Inaldo (28 de setembro de 2016). «Disputa acirrada pelo segundo lugar». Folha de Pernambuco. Consultado em 10 de março de 2023 
  48. «Caruaru - Prefeito - 1º turno – 2016 (Pesquisas)» (PDF). Poder360. 2016. Consultado em 10 de março de 2023. Cópia arquivada (PDF) em 22 de janeiro de 2022 
  49. Marcella Cunha (5 de agosto de 2022). «Eleições: conheça as regras para eventual 2º turno». Senado Federal do Brasil. Consultado em 10 de março de 2023 
  50. «Evolução do eleitorado (outubro 2012 - outubro 2016)». TSE. Consultado em 10 de março de 2023 
  51. Ana Maria Miranda (27 de setembro de 2016). «Caruaru tem chance real de ter segundo turno pela primeira vez». NE10. Consultado em 10 de março de 2023 
  52. «Resultado da apuração das Eleições 2016 em Caruaru para prefeito e vereador». G1. 2016. Consultado em 10 de março de 2023 
  53. «Raquel Lyra e Tony Gel disputam 2º turno em Caruaru; Lessa fica em 3º». G1. 2 de outubro de 2016. Consultado em 10 de março de 2023 
  54. a b «A múltipla vitória de Raquel Lyra em Caruaru». JC. 31 de outubro de 2016. Consultado em 11 de março de 2023 
  55. «Caruaru - Prefeito – 2º turno – 2016» (PDF). Poder360. 2017. Consultado em 10 de março de 2023. Cópia arquivada (PDF) em 10 de março de 2023 
  56. «Com 53,15%, Raquel Lyra vence eleição em Caruaru». Diario de Pernambuco. 30 de outubro de 2016. Consultado em 5 de outubro de 2022 
  57. a b «Caruaru/PE: Segundo turno Tony Gel X Raquel Lyra, apuração dos votos e resultado». UOL. 2016. Consultado em 9 de janeiro de 2023 
  58. «Raquel Lyra, em Caruaru, é a única mulher eleita no segundo turno». Diário de Pernambuco. 30 de outubro de 2016. Consultado em 10 de março de 2023 
  59. «Raquel Lyra é a primeira mulher eleita prefeita de Caruaru». NE10. 30 de outubro de 2016. Consultado em 5 de outubro de 2022 
  60. «Prefeita eleita de Caruaru, Raquel Lyra, anuncia nomes do secretariado». G1. 28 de dezembro de 2016. Consultado em 11 de março de 2023 
  61. «Raquel Lyra dedica vitória à família e garante governar para todos». JC. 30 de outubro de 2016. Consultado em 11 de março de 2023 
  62. «Prefeita eleita Raquel Lyra toma posse na Câmara de Vereadores de Caruaru». G1. 1 de janeiro de 2017. Consultado em 11 de março de 2023 
  63. «Raquel Lyra promete implantar programa Juntos pela Segurança no estado». CBN Recife. 7 de julho de 2022. Consultado em 11 de março de 2023 
  64. D’ávila, Stephanie (21 de março de 2019). «Caruaru ocupa 6º lugar em ranking de cidades pacificadas». Rádio Cultura do Nordeste. Consultado em 11 de março de 2023 
  65. «Prefeitura de Caruaru recebe selo Cidade Pacífica no 2º Fórum Municipal Juntos Pela Segurança». G1. 23 de setembro de 2019. Consultado em 11 de março de 2023 
  66. Pereira, Helenivaldo (14 de abril de 2022). «Tony Gel diz que Raquel Lyra tenta se apropriar dos resultados positivos obtidos pelo Governo do Estado na área da segurança em Caruaru». Rádio Liberdade. Consultado em 11 de março de 2023 
  67. a b «Marília Arraes e Raquel Lyra trocam ataques em debate, e propostas só aparecem após perguntas de jornalistas». Folha de Pernambuco. 20 de outubro de 2022. Consultado em 11 de março de 2023 
  68. Santos, Berg (9 de abril de 2021). «"Mais de 600 obras foram entregues pela prefeitura de Caruaru ao longo da primeira gestão de Raquel Lyra", afirma secretário de obras». JC. Consultado em 11 de março de 2023 
  69. «Em Caruaru, projeto Via Parque é lançado para a população». Metropolitana FM Caruaru. 10 de agosto de 2018. Consultado em 13 de março de 2023 
  70. Pessoa, Marilia (11 de novembro de 2019). «Primeira etapa da Via Parque é inaugurada em Caruaru». JC. Consultado em 13 de março de 2023 
  71. a b c «Gestão Raquel Lyra recebeu cinco prêmios em 2021, além de liderar rankings nacionais». Folha de Pernambuco. 28 de dezembro de 2021. Consultado em 13 de março de 2023 
  72. «Raquel Lyra concede entrevista exclusiva». Portal Thiago Lagos. 2 de junho de 2017. Consultado em 13 de março de 2023 
  73. «Prefeitura de Caruaru e United Way Brasil lançam campanha "Unidos pela Primeira Infância"». RNPI. 4 de outubro de 2019. Consultado em 13 de março de 2023 
  74. «Raquel Lyra promete reabrir Hospital São Sebastião, em Caruaru». JC. 12 de outubro de 2016. Consultado em 13 de março de 2023. Arquivado do original em 13 de março de 2023 
  75. a b «Prefeita de Caruaru diz que espera por diálogo para resolver situação do Hospital São Sebastião». G1. 17 de agosto de 2017. Consultado em 13 de março de 2023 
  76. Miranda, Ana Maria Santiago de (22 de agosto de 2017). «Raquel Lyra vai tentar reverter decisão do Governo sobre São Sebastião». JC. Consultado em 13 de março de 2023 
  77. «Paulo Câmara reabre Hospital São Sebastião, sem municipalizar». JC. 31 de agosto de 2018. Consultado em 13 de março de 2023 
  78. a b «Raquel Lyra, do PSDB, é eleita prefeita de Caruaru no 2º turno das eleições». G1. 30 de outubro de 2016. Consultado em 13 de março de 2023 
  79. Sousa, Jessica Rani Ferreira de; Sá, Márcio Gomes de (2020). «Os significados do projeto "Nova Sulanca" sob a ótica da Teoria do Discurso de Laclau e Mouffe». Cadernos de Estudos Sociais. 35 (1): 3-4, 11-12. Consultado em 13 de março de 2023. Arquivado do original em 13 de julho de 2020 
  80. «Sancionada lei que autoriza transferência da Feira da Sulanca de Caruaru». Diário de Pernambuco. 6 de agosto de 2015. Consultado em 13 de março de 2023 
  81. Miranda, Ana Maria Santiago de (25 de março de 2019). «Raquel Lyra confirma que Feira da Sulanca, em Caruaru, será transferida». JC. Consultado em 13 de março de 2023 
  82. Araújo, Mirella (26 de outubro de 2022). «Marília Arraes convoca Wolney Queiroz, de Caruaru, para confrontar Raquel Lyra sobre ações realizadas na cidade». JC. Consultado em 13 de março de 2023 
  83. «Estudantes da rede municipal de Caruaru poderão assistir aulas pela TV aberta». CBN Caruaru. 12 de março de 2023. Consultado em 13 de março de 2023 
  84. «Prefeitura de Caruaru divulga programação de aulas para alunos da rede municipal na TV Câmara». CBN Caruaru. 12 de março de 2023. Consultado em 13 de março de 2023 
  85. «Prefeitura de Caruaru coloca em prática Plano de Isolamento Social Intensivo». Agência NE9. 26 de maio de 2020. Consultado em 13 de março de 2023 
  86. «Prefeitura de Caruaru lança plataforma digital para Feira da Sulanca». CBN Caruaru. 13 de março de 2023. Consultado em 13 de março de 2023 
  87. «O estrago da covid-19 em cidades do Nordeste que cancelaram festa de São João: 'É quando fazemos pé de meia para resto do ano'». BBC News Brasil. 16 de julho de 2020. Consultado em 13 de março de 2023 
  88. «São João de Caruaru deste ano será online e artistas se apresentarão sem cachê». CNN Brasil. Consultado em 11 de março de 2023 
  89. «Prefeita de Caruaru volta a criticar governador de Pernambuco por Lockdown na cidade». Portal de Prefeitura. 26 de junho de 2020. Consultado em 13 de março de 2023. Arquivado do original em 13 de janeiro de 2021 
  90. Silva, Thalícia Andressa Sousa (2021). «A campanha eleitoral em tempos de pandemia da COVID-19: as estratégias de comunicação de Raquel Lyra no Instagram» (PDF). Universidade Federal de Pernambuco: 41-42, 86, 88. Consultado em 11 de março de 2023 
  91. «Veja como ficam as datas do Novo Calendário Eleitoral 2020». TRE-PE. 2 de julho de 2020. Consultado em 11 de março de 2023 
  92. «PSDB oficializa candidatura de Raquel Lyra à Prefeitura de Caruaru». G1. 13 de setembro de 2020. Consultado em 11 de março de 2023 
  93. Britto, Carlos (22 de setembro de 2020). «Falta de Tony Gel e Jose Queiroz na majoritária desanima a tropa». Folha de Pernambuco. Consultado em 11 de março de 2023 
  94. a b «Campanha morna, mas de». JC. 15 de novembro de 2020. Consultado em 11 de março de 2023 
  95. Hacknen, Douglas (19 de janeiro de 2020). «Confira pesquisa para a Prefeitura de Caruaru». Portal de Prefeitura. Consultado em 11 de março de 2023. Arquivado do original em 26 de fevereiro de 2021 
  96. a b «Raquel Lyra lidera corrida pela Prefeitura de Caruaru, diz pesquisa». Estação Notícias. 28 de agosto de 2020. Consultado em 11 de março de 2023 
  97. «Pesquisa eleitoral: Raquel Lyra lidera com 59,8%». Rádio Cultura do Nordeste. 23 de outubro de 2020. Consultado em 11 de março de 2023 
  98. «Raffiê relembra que Raquel Lyra fugiu de todos debates em 2020». Folha Caruaru. 30 de agosto de 2022. Consultado em 11 de março de 2023. Arquivado do original em 28 de setembro de 2022 
  99. a b «Caruaru/PE: apuração em tempo real de prefeito e vereador (2020)». UOL. 15 de novembro de 2020. Consultado em 9 de janeiro de 2023 
  100. «Em Caruaru, Raquel Lyra (PSDB) é reeleita no primeiro turno». Folha de Pernambuco. 15 de novembro de 2020. Consultado em 11 de março de 2023 
  101. Nascimento, Joalline (16 de novembro de 2020). «Prefeita reeleita de Caruaru, Raquel Lyra diz que primeira medida da gestão em 2021 é 'trabalhar o pós-pandemia'». G1. Consultado em 13 de março de 2023 
  102. «Caruaru começa campanha de vacinação contra a Covid-19». Folha de Pernambuco. 19 de janeiro de 2021. Consultado em 13 de março de 2023 
  103. Nóbrega, Fabio (26 de maio de 2021). «Para tentar conter avanço da Covid-19 no Agreste, Caruaru solicita envio de doses extras de vacina». Folha de Pernambuco. Consultado em 13 de março de 2023 
  104. «Caruaru obtém resultados históricos em ranking nacional». Folha de Pernambuco. 2 de setembro de 2021. Consultado em 13 de março de 2023 
  105. Tenório, Augusto (14 de março de 2022). «Em Caruaru, professores deflagram greve e pressionam Raquel Lyra». JC. Consultado em 13 de março de 2023 
  106. Tenório, Augusto (15 de março de 2022). «Decisão da Justiça pode ser chance de Raquel Lyra resolver situação com professores». JC. Consultado em 13 de março de 2023 
  107. Matos, Karol (16 de março de 2022). «Raquel comenta impasse com professores em Caruaru». Blog Cenário. Consultado em 13 de março de 2023 
  108. Tenório, Augusto (16 de março de 2022). «Após pressão da categoria, Raquel Lyra retira projeto de reajuste para professores». JC. Consultado em 13 de março de 2023 
  109. «Raquel Lyra renuncia à Prefeitura de Caruaru e anuncia pré-candidatura ao Governo de Pernambuco». G1. 31 de março de 2022. Consultado em 2 de janeiro de 2023 
  110. Silva, Joice (1 de abril de 2022). «Em último ato como Prefeita de Caruaru, Raquel Lyra entrega nova Maternidade Municipal Santa Dulce dos Pobres». Portal de Prefeitura. Consultado em 13 de março de 2023. Arquivado do original em 1 de abril de 2022 
  111. «Fico feliz de ter o nome lembrado, disse Raquel Lyra sobre ter seu nome cotado para o governo de PE». Diário de Pernambuco. 16 de junho de 2021. Consultado em 13 de março de 2023 
  112. Melo, Jamildo (14 de dezembro de 2021). «Moro quer uma mulher para vice. Raquel Lyra e Luiza Trajano estão na lista». JC. Consultado em 14 de março de 2023 
  113. «Raquel Lyra é oficialmente pré-candidata ao Governo do estado». CBN Recife. 22 de março de 2022. Consultado em 2 de maio de 2024 
  114. Mazullo, Maria Carla (30 de julho de 2022). «Eleições 2022: convenção do PSDB-PE acontece no Recife e oficializa Raquel Lyra como candidata ao Governo de Pernambuco; assista». Portal de Prefeitura. Consultado em 14 de março de 2023. Arquivado do original em 1 de abril de 2022 
  115. Santana, Betânia; Carvalho, Carlos André. «Os planos de Marília Arraes e de Raquel Lyra para Pernambuco: confira o que dizem os programas de governo». Folha de Pernambuco. Consultado em 14 de março de 2023 
  116. «As promessas de Raquel Lyra». G1. Consultado em 14 de março de 2023 
  117. «Pernambuco confirma criação de novo auxílio emergencial de R$ 300». Sua Finança. 15 de dezembro de 2022. Consultado em 14 de março de 2023 
  118. Monteiro, Renata (3 de agosto de 2022). «PESQUISA PARA GOVERNADOR DE PERNAMBUCO: veja dados do agregador de pesquisas para as eleições 2022». JC. Consultado em 14 de março de 2023 
  119. Moliterno, Danilo; Sapio, Marcello (4 de outubro de 2022). «Resultados das urnas divergem das pesquisas eleitorais em 21 estados e no DF». CNN Brasil. Consultado em 14 de março de 2023 
  120. «Marília Arraes e Raquel Lyra disputarão segundo turno em Pernambuco». Jornal Correio. 2 de outubro de 2022. Consultado em 14 de março de 2023 
  121. Pedro Alves e Ricardo Novelino (2 de outubro de 2022). «Marília Arraes e Raquel Lyra disputam segundo turno em Pernambuco». G1. Consultado em 2 de janeiro de 2023 
  122. Santos, José Matheus (8 de outubro de 2022). «Com Raquel Lyra em luto, campanha se reinventa sob comando da vice em PE». Folha de S.Paulo. Consultado em 15 de março de 2023 
  123. «Coligação de Marília não atende apelo do jurídico de Raquel e começa guia eleitoral na sexta». Folha de Pernambuco. 5 de outubro de 2022. Consultado em 15 de março de 2023 
  124. a b «Raquel Lyra não declara apoio para o segundo turno». CBN Recife. 14 de março de 2023. Consultado em 15 de março de 2023 
  125. «Após cirurgia de urgência, filho de 12 anos de Raquel Lyra passa bem». G1. 12 de outubro de 2022. Consultado em 15 de março de 2023 
  126. a b c «Raquel Lyra utiliza as redes sociais para afastar pecha de bolsonarista». Diario de Pernambuco. 13 de outubro de 2022. Consultado em 15 de março de 2023 
  127. «"Sempre tivemos lado, já a nossa adversária, esconde que vota em Bolsonaro", dispara Marília Arraes». CBN Recife. 14 de março de 2023. Consultado em 15 de março de 2023 
  128. «Justiça Eleitoral manda retirar postagens de redes sociais que associam Raquel Lyra a Bolsonaro». G1. 12 de outubro de 2022. Consultado em 15 de março de 2023 
  129. a b «Raquel Lyra acerta em não declarar apoio na corrida presidencial». CBN Recife. 16 de março de 2023. Consultado em 16 de março de 2023 
  130. a b c d «Veja a íntegra da sabatina com Raquel Lyra (PSDB), candidata em Pernambuco». UOL. 24 de outubro de 2022. Consultado em 16 de março de 2023 
  131. a b Madeiro, Carlos (1 de novembro de 2022). «De azarão a 1ª governadora: como Raquel uniu bolsonaristas e lulistas em PE». UOL. Consultado em 15 de março de 2023 
  132. Pitombo, João Pedro (24 de outubro de 2022). «Raquel Lyra diz que Marília se escora em Lula e faz campanha de 'faz de conta'». Folha de S.Paulo. Consultado em 15 de março de 2023 
  133. «Presidente de Psol-Rede/PE repudia apoio de Gadêlha a tucana». Poder360. 26 de outubro de 2022. Consultado em 15 de março de 2023 
  134. «Fazendo o "L de Lula", Márcia Conrado declara apoio a Raquel». Folha de Pernambuco. 12 de outubro de 2022. Consultado em 15 de março de 2023 
  135. Ramos, Jameson (18 de outubro de 2022). «Raquel e Marília tentam se desvincular de Paulo Câmara». LeiaJá. Consultado em 15 de março de 2023 
  136. Alves, Pedro (30 de outubro de 2022). «Lulistas e bolsonaristas 'votaram com a gente, acreditando na gente', diz Raquel Lyra após ser a primeira mulher eleita governadora de PE». G1. Consultado em 15 de março de 2023 
  137. Madeiro, Carlos (30 de outubro de 2022). «Após morte do marido, Raquel Lyra vence Marília e é 1ª governadora de PE». UOL 
  138. Houldine Nascimento (30 de outubro de 2022). «Raquel Lyra é eleita governadora de Pernambuco». Poder360. Consultado em 2 de janeiro de 2023 
  139. «Raquel Lyra é eleita e será 1ª mulher a governar Pernambuco». Folha de S.Paulo. 30 de outubro de 2022. Consultado em 14 de março de 2023 
  140. «Raquel Lyra eleita a primeira mulher governadora de Pernambuco». Marco Zero Conteúdo. 30 de outubro de 2022. Consultado em 14 de março de 2023 
  141. Nóbrega, Fabio (30 de outubro de 2022). «Pernambuco já foi governado por mulher: veja quem foi a pioneira Brites de Albuquerque». Folha de Pernambuco. Consultado em 14 de março de 2023 
  142. «"Ser a primeira mulher a governar PE é uma honra", diz Raquel Lyra». Exame. 31 de outubro de 2022. Consultado em 15 de março de 2023 
  143. «Confira o perfil da equipe de transição de Raquel Lyra». LeiaJá. 10 de novembro de 2022. Consultado em 15 de março de 2023 
  144. Ferraz, Artur; Santana, Betânia (26 de dezembro de 2022). «Priscila Krause apresenta balanço da transição e diz que fará reforma administrativa». Folha de Pernambuco. Consultado em 15 de março de 2023 
  145. Souza, Elizabeth (29 de dezembro de 2022). «Raquel Lyra anuncia os primeiros secretários de seu governo; Miguel Coelho não foi convidado». Diario de Pernambuco. Consultado em 15 de março de 2023 
  146. «Raquel Lyra anuncia novos secretários». CBN Recife. 15 de março de 2023. Consultado em 15 de março de 2023 
  147. Alves, Pedro (1 de janeiro de 2023). «Raquel Lyra toma posse como primeira governadora de PE, se compromete a combater a fome e pede união em prol do estado». G1. Consultado em 15 de março de 2023 
  148. «Primeiro decreto de Raquel Lyra prorroga estado de emergência por causa da Covid-19 em Pernambuco». G1. 2 de janeiro de 2023. Consultado em 2 de maio de 2024 
  149. «Pernambuco decreta situação de emergência por causa da superlotação de UTIs neonatais e pediátricas». G1. 21 de junho de 2023. Consultado em 2 de julho de 2023 
  150. «Decreto de emergência em PE: entenda a síndrome respiratória aguda grave que deixa lotadas UTIs pediátricas e causa filas por vagas». G1. 22 de junho de 2023. Consultado em 2 de julho de 2023 
  151. «Vídeo de festa na Secretaria de Saúde no dia em que PE decretou emergência por superlotação em UTIs vaza em rede social». G1. 22 de junho de 2023. Consultado em 2 de julho de 2023 
  152. «'Absolutamente inadequado', diz Raquel Lyra sobre festa na Secretaria de Saúde após PE decretar situação de emergência». G1. 27 de junho de 2023. Consultado em 2 de julho de 2023 
  153. a b França, Inácio (4 de janeiro de 2023). «Quatro anos depois, decreto de Raquel Lyra repete pressa e erro do início do mandato de Bolsonaro». Marco Zero Conteúdo. Consultado em 15 de março de 2023 
  154. «Raquel Lyra exonera servidores estaduais em cargo comissionado ou função gratificada e revoga trabalho remoto e licenças». G1. 3 de janeiro de 2023. Consultado em 8 de dezembro de 2023 
  155. «Lista de servidores comissionados exonerados pelo governo de Raquel Lyra tem 2.754 nomes». G1. 3 de janeiro de 2023. Consultado em 8 de dezembro de 2023 
  156. «Raquel Lyra modifica decreto de exoneração e decide manter nos cargos gestores de escolas estaduais; veja outras mudanças». G1. 4 de janeiro de 2023. Consultado em 8 de dezembro de 2023 
  157. a b c Araújo, Mirella (27 de junho de 2023). «Raquel Lyra fala sobre os desafios da gestão em entrevista ao Roda Viva». JC. Consultado em 2 de julho de 2023 
  158. a b «Raquel Lyra promete lançar o Juntos pela Segurança em julho e pede paciência a concursados». Folha de Pernambuco. 26 de junho de 2023. Consultado em 2 de julho de 2023 
  159. Moraes, Lucas (14 de junho de 2023). «PISO DOS PROFESSORES: RAQUEL LYRA sofre derrota na Alepe com rejeições do aumento proposto para PROFESSORES». JC. Consultado em 2 de julho de 2023 
  160. «Sob protestos da categoria, deputados aprovam reajuste do piso dos professores proposto pelo governo de Pernambuco». G1. 27 de junho de 2023. Consultado em 2 de julho de 2023 
  161. Fernandes, Rodrigo (28 de junho de 2023). «PISO DOS PROFESSORES: Como votaram os deputados no projeto que aprovou Piso dos Professores na Alepe». JC. Consultado em 2 de julho de 2023 
  162. Estevam, Tádzio (17 de janeiro de 2023). «Reforma Administrativa proposta por Raquel Lyra é aprovada pela Assembleia Legislativa». Diario de Pernambuco. Consultado em 16 de março de 2023 
  163. «Raquel Lyra sanciona Lei da Reforma Administrativa». Folha de Pernambuco. 19 de janeiro de 2023. Consultado em 16 de março de 2023 
  164. «Raquel Lyra sanciona reforma administrativa que muda secretarias, cria cargos comissionados e aumenta salários». G1. 19 de janeiro de 2023. Consultado em 16 de março de 2023 
  165. Guerra, Raphael (10 de fevereiro de 2023). «Às vésperas do Carnaval 2023, SDS diz que Polícia Militar de Pernambuco tem 'menor efetivo de sua história'». JC. Consultado em 16 de março de 2023 
  166. Guerra, Raphael (27 de fevereiro de 2023). «Gestão Raquel Lyra decreta sigilo de 5 anos de informações sobre o efetivo da Polícia Militar de Pernambuco». JC. Consultado em 16 de março de 2023 
  167. «'Vamos abrir novos concursos Segurança PE', diz governadora». Folha Dirigida. 8 de março de 2023. Consultado em 16 de março de 2023 
  168. Oliveira, Eduarda (31 de julho de 2023). «Pernambuco lança programa Juntos pela Segurança». Diario de Pernambuco. Consultado em 2 de maio de 2024 
  169. a b Guerra, Raphael (6 de fevereiro de 2024). «Pernambuco soma 359 assassinatos em janeiro de 2024; pior resultado desde março de 2020». JC. Consultado em 2 de maio de 2024 
  170. «Policiais civis paralisam atividades parcialmente por 24 horas após não chegarem a acordo com governo». G1. 24 de janeiro de 2024. Consultado em 2 de maio de 2024 
  171. Lucena, Adelmo (6 de fevereiro de 2024). «Policiais Civis de Pernambuco anunciam paralisação durante o carnaval». Diario de Pernambuco. Consultado em 2 de maio de 2024 
  172. «TJPE determina que greve dos policiais civis não seja iniciada; veja de quanto pode ser a multa diária». Folha de Pernambuco. 7 de fevereiro de 2024. Consultado em 2 de maio de 2024 
  173. «Polícia Civil de Pernambuco suspende deflagração da greve durante o Carnaval 2024». Folha de Pernambuco. 9 de fevereiro de 2024. Consultado em 2 de maio de 2024 
  174. a b Melo, Jamildo (17 de agosto de 2023). «Raquel Lyra faz contratação de projeto ao BNDES visando 'privatização' da Compesa». JC. Consultado em 30 de abril de 2024 
  175. Knoth, Pedro (9 de novembro de 2023). «Raquel Lyra: Compesa deve ir a leilão em 2024 e arrecadar R$ 18 bilhões». Inteligência Financeira. Consultado em 30 de abril de 2024 
  176. «Movimento contra privatização da Compesa repercute no Plenário». Assembleia Legislativa de Pernambuco. 29 de agosto de 2023. Consultado em 30 de abril de 2024 
  177. a b Raquel Lyra cita possível privatização do saneamento básico de Pernambuco. Roda Viva. 27 de junho de 2023. Consultado em 30 de abril de 2024 
  178. Melo, Jamildo (18 de março de 2024). «BNDES planejou 'privatização total' da COMPESA entre alternativas para Pernambuco». JC. Consultado em 30 de abril de 2024 
  179. «"Não há intenção nem projeto do Estado de privatizar a Compesa", afirma Alex Campos, presidente da companhia». CBN Recife. 30 de abril de 2024. Consultado em 30 de abril de 2024 
  180. a b «Raquel Lyra promete criar programa de segurança pública, 60 mil vagas em creches e fazer 'choque de gestão' na Compesa». G1. 25 de agosto de 2022. Consultado em 30 de abril de 2024 
  181. Araújo, Mirella (10 de abril de 2023). «100 dias de governo: em meio a críticas sobre ausência de uma marca de gestão, Raquel Lyra apresenta relatório de como encontrou Governo de Pernambuco». JC. Consultado em 28 de abril de 2023 
  182. «Em meio a críticas, Raquel Lyra entrega à Alepe documento sobre os 100 dias de Governo». Folha de Pernambuco. 10 de abril de 2023. Consultado em 28 de abril de 2023 
  183. Melo, Jamildo (10 de abril de 2023). «PSB usa balanço fiscal do Estado contra Raquel Lyra para criticar 'narrativa de estado quebrado'». JC. Consultado em 28 de abril de 2023 
  184. Melo, Jamildo (10 de abril de 2023). «Dani Portela critica duramente os 100 primeiros dias de Raquel Lyra». JC. Consultado em 28 de abril de 2023 
  185. Melo, Jamildo (10 de abril de 2023). «Raquel Lyra culpa Paulo Câmara por não ter dinheiro para pagar o 13° do Bolsa Família». JC. Consultado em 28 de abril de 2023 
  186. Melo, Jamildo (10 de abril de 2023). «Raquel Lyra inaugura novo slogan ao chegar aos 100 dias de gestão». JC. Consultado em 28 de abril de 2023 
  187. a b Pinho, Angela (12 de abril de 2023). «Tarcísio lidera popularidade digital entre governadores; Zema cai, e Raquel Lyra sobe». Folha de S.Paulo. Consultado em 28 de abril de 2023 
  188. «Índice de Popularidade Digital - Governadores» (PDF). Poder360. Quaest. Setembro de 2023. p. 4. Consultado em 30 de abril de 2024 
  189. Melo, Jamildo (6 de janeiro de 2024). «Raquel Lyra teve a pior avaliação entre todos governadores do país, aponta pesquisa da AtlasIntel». JC. Consultado em 2 de maio de 2024 
  190. «Pior avaliada entre governadores, Raquel Lyra vive tempestade perfeita». VEJA. Consultado em 2 de maio de 2024 
  191. «Raquel Lyra enfrenta desafios com a Alepe». Diario de Pernambuco. 28 de outubro de 2023. Consultado em 2 de maio de 2024 
  192. a b Raquel Lyra evita posicionamento sobre polarização política: “Meu partido é Pernambuco”. Roda Viva. Consultado em 2 de maio de 2024 
  193. Azevedo, Margarida (3 de janeiro de 2023). «SECRETÁRIOS RAQUEL LYRA: mais críticas pela escolha de Ivaneide Dantas como secretária de Educação de Pernambuco». JC. Consultado em 3 de julho de 2023 
  194. Araújo, Mirella (27 de junho de 2023). «No Roda Viva, Raquel Lyra gerou curiosidade sobre como consegue se equilibrar entre Lula e o bolsonarismo no governo». JC. Consultado em 3 de julho de 2023 
  195. «Raquel Lyra inicia governo em PE com afagos a Lula e aliança com PL de Bolsonaro». Folha de S.Paulo. 31 de março de 2023. Consultado em 3 de julho de 2023 
  196. «Raquel nomeia mais um aliado de Anderson para o segundo escalão do Governo de Pernambuco». Diario de Pernambuco. 20 de março de 2023. Consultado em 30 de abril de 2024 
  197. José Matheus Santos (30 de abril de 2024). «Raquel Lyra tira cargos do PL e abre caminho para tentar aliança com Lula». Folha de S.Paulo. Consultado em 30 de abril de 2024 
  198. a b c Weinberg, Monica; Ferraz, Ricardo (4 de novembro de 2022). «Raquel Lyra: "É hora de construir pontes"». VEJA. Consultado em 16 de março de 2023 
  199. Monte, Nathália (31 de outubro de 2022). «Raquel Lyra: A promessa de unir Pernambuco». Diario de Pernambuco. Consultado em 16 de março de 2023 
  200. Santos, José Matheus (30 de outubro de 2022). «Raquel Lyra é eleita e será 1ª mulher a governar Pernambuco». Folha de S.Paulo. Consultado em 16 de março de 2023 
  201. Santos, Maria Carolina (31 de outubro de 2022). «Direita tradicional volta ao poder em Pernambuco com eleição de Raquel Lyra e Priscila Krause». Marco Zero Conteúdo. Consultado em 16 de março de 2023 
  202. Barros, Maria Lígia (21 de setembro de 2022). «Pautas LGBTQIA+ aparecem de forma tímida nos programas dos candidatos ao Governo de Pernambuco». Brasil de Fato - Pernambuco. Consultado em 16 de março de 2023 
  203. «Em Pernambuco, maioria das candidaturas ao governo ignora LGBTI+ nos seus planos». Marco Zero Conteúdo. 22 de setembro de 2022. Consultado em 16 de março de 2023 
  204. a b Monteiro, Renata (24 de outubro de 2022). «Aborto, cotas, democracia, LGBTQIA+: veja o que pensa Raquel Lyra sobre temas que geram discordância entre esquerda e direita». JC. Consultado em 16 de março de 2023 
  205. Melo, Jamildo (11 de fevereiro de 2023). «LEGADO DA COPA:: Raquel Lyra retoma processo para conceder ARENA PERNAMBUCO para iniciativa privada». JC. Consultado em 16 de março de 2023 
  206. Porto, Douglas (16 de maio de 2023). «Precisamos fazer com que mais mulheres ocupem espaços de poder, diz Raquel Lyra à CNN». CNN Brasil. Consultado em 2 de maio de 2024 
  207. Fernandes, Rodrigo (26 de abril de 2024). «Em entrevista à CNN, Raquel Lyra diz ser alvo de violência política todos os dias». JC. Consultado em 2 de maio de 2024 
  208. «Por maioria de votos, TSE declara Bolsonaro inelegível por 8 anos». TSE. 30 de junho de 2023. Consultado em 2 de julho de 2023 
  209. «Lamento que um ex-presidente possa ficar inelegível, diz Raquel Lyra». Poder360. 27 de junho de 2023. Consultado em 3 de julho de 2023 
  210. Cavalcanti, Carlos (27 de junho de 2023). «Raquel Lyra defende ampla representatividade no Governo de Pernambuco». Diario de Pernambuco. Consultado em 3 de julho de 2023 
  211. Fernandes, Rodrigo (27 de junho de 2023). «Marília Arraes critica resposta de Raquel Lyra no Roda Viva sobre falta de representatividade racial no governo: 'Ela governa a Noruega?'». JC. Consultado em 3 de julho de 2023 
  212. «Raquel Lyra». Divulgação de Candidaturas e Contas Eleitorais. 2010. Consultado em 9 de janeiro de 2023 
  213. «Apuração de votos e candidatos eleitos (1º turno)». UOL. 2010. Consultado em 9 de janeiro de 2023 
  214. «Raquel Lyra». Divulgação de Candidaturas e Contas Eleitorais. 2014. Consultado em 9 de janeiro de 2023 
  215. «Apuração e resultado das Eleições 2014 PE». UOL. 2014. Consultado em 9 de janeiro de 2023 
  216. «Raquel Lyra». Divulgação de Candidaturas e Contas Eleitorais. 2022. Consultado em 9 de janeiro de 2023 
  217. «Apuração das Eleições 2022 para presidente e governadores». UOL. Consultado em 9 de janeiro de 2023 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre Raquel Teixeira Lyra Lucena:
Wikiquote Citações no Wikiquote
Commons Imagens e media no Commons
Commons Categoria no Commons
Wikidata Base de dados no Wikidata

Precedido por
Paulo Câmara
Pernambuco
58.º Governadora de Pernambuco

2023 – atualmente
Sucedido por
Precedido por
José Queiroz de Lima
Caruaru
62.º Prefeita de Caruaru

2017 – 2022
Sucedido por
Rodrigo Pinheiro