Rave

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para a RAVE, antiga empresa portuguesa do setor dos transportes, veja Rede Ferroviária de Alta Velocidade.
Rave em Belo Horizonte.
Rave em Juiz de Fora.

Rave é um tipo de festa que acontece em sítios (longe dos centros urbanos) ou galpões, com música eletrônica [1] [2]. É um evento de longa duração, normalmente acima de 12 horas, onde DJs e artistas plásticos, visuais e performáticos apresentam seus trabalhos, interagindo, dessa forma, com o público. O termo "rave" foi originalmente usado por caribenhos de Londres em 1960 para denominar sua festa local. Em meados da década de 80, o termo começou a ser usado para descrever uma cultura que cresceu do movimento "acid house" de Chicago e evoluiu no Reino Unido Hoje em dia existe outra denominação que caracteriza Rave de pequeno porte, conhecida como PVT ou seja, "private" (festa privada), na qual a maioria das pessoas que comparecem são convidados e convidados dos convidados, sendo realizados também em sítios, chácaras ou outros lugares ao ar livre.

Sub-Estilos da música eletrônica comumente tocados em Raves: House, Electro, Techno, Minimal, Psy Trance, Drum 'n' Bass, entre outros.

Há também as festas denominadas Indoor, que designam um significado para as raves que acontecem em lugares fechados, o oposto das Open Air que do termo em inglês significa ao ar livre. As musicas executadas pelos DJ's das festas indoors, preferencialmente, são as vertentes do house (o tech house, progressive house, deep house e o electro house), segmentando também às vertentes do Trance (psy trance, progressive trance, full on morning, full on groove, e outras), para as festas Open Air (ao ar livre).

No Brasil, o estado onde mais acontece raves é em Minas Gerais [1] [2]. Atualmente, no Brasil, festas que não possuem características de "rave" são assim denominadas de forma, equivocada, aumentando o preconceito. Trata-se de grandes festivais profissionalmente organizados por grandes produtoras de eventos que trazem atrações e artistas internacionais de peso. Embora exista grande preconceito e desconhecimento por grande parte da população, festas assim possui um público fiel e constantemente frequentador, exigindo sempre mais respeito ao cenário eletrônico, demonstrando à sociedade que as raves são eventos e manifestações artístico-culturais como qualquer outro.

Referências

  1. a b «Rave x Eletrônica». RP Assessoria e Consultoria. Consultado em 30 de junho de 2016. Cópia arquivada em 30 de junho de 2016 
  2. a b Isah Moretti (4 de junho de 2010). «As Melhores Raves do Brasil». mundodastribos. Consultado em 30 de junho de 2016. Cópia arquivada em 17 de agosto de 2010 

Ver também[editar | editar código-fonte]