Real Club Celta de Vigo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde setembro de 2018). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Celta de Vigo
Celta de Vigo.png
Nome Real Club Celta de Vigo
Alcunhas Os Célticos
Os Celestes
O Celtiña
Fundação 23 de agosto de 1923
Estádio Balaídos
Capacidade 30.000
Localização Vigo, Galiza, Espanha
Presidente Carlos Mouriño
Treinador Antonio Mohamed
Patrocinador Estrella Galicia
Material (d)esportivo Adidas
Competição La Liga
Copa do Rei
Website www.celtavigo.net
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
titular
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Uniforme
alternativo
Temporada atual
editar

O Real Club Celta de Vigo (Em galego, Real Clube Celta de Vigo) é um clube de futebol sediado na cidade de Vigo, na Galiza (noroeste da Espanha). Foi fundado em 23 de agosto de 1923 com a fusão de dois clubes, o Real Vigo Sporting e o Real Fortuna. Atualmente disputa a Primeira Divisão Espanhola. Os seus jogos em casa são disputados no Estádio Balaídos, que tem uma capacidade para receber 30.000 espectadores.

O Celta é um dos 11 clubes com mais de 50 temporadas na Primeira Divisão do Campeonato Espanhol.​ Na Copa do Rei da Espanha foi 3 vezes finalista 1948,1994 e 2001, tendo alcançado as semifinais da competição 8 vezes. A nível continental, disputou oito edições da Copa UEFA/Liga Europa e uma edição da Liga dos Campeões,(2003/04), Conquistou o seu primeiro título europeu em 2000, a Taça Intertoto da UEFA.

História[editar | editar código-fonte]

As origens[editar | editar código-fonte]

No início do século XX, os fãs de Vigo foram divididos entre duas equipes, o Vigo Sporting e o Fortuna de Vigo. Mas por que uma cidade como Vigo, capital do futebol galego, não poderia unir forças e criar uma única equipe, mais poderosa? Esta foi a pergunta que foi feita no início dos anos 20 por alguns dos homens mais influentes da cidade. Nesse época, já começou a se falar sobre a fusão do Vigo Sporting e o Fortuna de Vigo como a forma mais satisfatória e positiva para alavancar o futebol de Vigo.

Entre os homens que defendiam a criação de um único clube estavam Manuel de Castro 'Handicap' e o advogado John Baliño Ledo, que seriam os principais promotores da fusão. Depois de inúmeras reuniões, algumas delas em segredo, pelos administradores de ambas as equipes, e após diligências adequadas pela Federação Galega de Futebol, em 22 de junho de 1923, a assembleia nacional da federação aprovou por unanimidade a fusão, dando um período de pouco mais de dois meses para confeccionar a regulamentação da nova entidade.

Então começou o trabalho para encontrar um nome e um uniforme adequado para um clube que nasceria em breve. Depois de algumas propostas, o nome do clube foi apresentado: Celta de Vigo (embora o nome 'Breogán' ter sido um dos que mais agradaram). Além disso foi solicitado ao Rei Alfonso XIII a denominação "real". Embora no início ter se falado nas cores vermelho e preto para o uniforme, logo os dirigentes do RCCelta Vigo decidiram pela azul celeste, cor da bandeira galega.

Um novo clube, maior, mais forte e com 64 jogadores. Um número surpreendente de atletas, resultado de uma fusão de duas equipes.

1923-1930[editar | editar código-fonte]

As primeiras partidas amistosas[editar | editar código-fonte]

A partida de apresentação da equipe seria em 16 de setembro de 1923 no Campo de Coia, frente a equipe portuguesa do Boavista, o resultado da partida foi de 8 a 2 pró Vigo. Em seguida o Cracóvia atual campeão polaco na época, vencido pela equipe galega também. Celta de Vigo, logo com alguns meses de idade já demonstrava grande potência.

Primeira competição oficial[editar | editar código-fonte]

Pela primeira vez o Celta de Vigo ingressava em uma competição oficial (Campeonato Galego) em 7 de outubro de 1923. Com um número limitado de equipes regionais (Eiriña de Pontevedra, Unión Sporting e Racing de Ferrol), os celtistas conseguiram vitória após vitória. Os números mostram, 29 gols a favor e apenas 3 contra, em seis jogos.

Estréia em competição nacional[editar | editar código-fonte]

Em 23 março de 1924 o Real Clube Celta de Vigo estreou pela primeira vez numa competição nacional, a Copa da Espanha. No primeiro encontro foi contra o até então atual campeão, Athletic Bilbao. O resultado foi um empate depois do árbitro ter anulado dois gols injustamente. O jogo de volta, no San Mamés foi outro desastre. O Celta perdeu por 6-1, com uma atuação da arbitragem muito discutida.

Primeira vez contra o Deportivo da Corunha[editar | editar código-fonte]

Temporada 1924/1925. O Celta enfrenta pela primeira vez o Deportivo em um torneio oficial. O Celta saiu derrotado por 3-0. Mas no jogo de volta, realizado em Coia no dia 8 de janeiro de 1925, serviu para o Celta recuperar o resultado. Ruiz, Juanito, Pasarín, Bienvenido, Balbino, Hermida, Reigosa, Gerardito, Chicha, Polo e Casal foram os onze que conseguiram derrotar o Deportivo por 3-0. Ao final da temporada o Celta de Vigo se sagrou novamente o campeão do Campeonato da Galiza, embora não sem esforço e luta, pois no final do torneio Celta e Deportivo somavam os mesmo 16 pontos, o campeão foi decidido no número de gols.

Um passo frustrado para o profissionalismo[editar | editar código-fonte]

Na temporada 28/29, temporada em que o Celta foi vice-campeão galego (título conquistado pelo Deportivo), foi marcada pela criação da Liga Profesional de Fútbol da Espanha. No início de 1928 os clubes mais importantes do país foram selecionados para participar da Primera División.

O Celta foi negado pela Federación Española de Fútbol, o Vigo foi condenado a participar de um campeonato promocional para preencher uma vaga na mais principal categoria do futebol espanhol. Apesar de atingir as semifinais o Celta foi derrotado pelo Sevilla e teve que se ingressar na recém criada Segunda Divisão.

Primeiro título oficial[editar | editar código-fonte]

No ano 2000, o Celta conquista seu primeiro título oficial, a Copa Intertoto da UEFA de 2000, depois de eliminar o FK Pelister por 5-1 no resultado agregado, enfrentou o Aston Villa, eliminando a equipe inglesa, ganhando de 1-0 na ida e 2-1 na volta. Na final enfrentou o Zenit, ganhando de 2-1 na ida, e empatando por 2-2 no jogo de volta, conquistando seu primeiro título oficial.

Títulos[editar | editar código-fonte]

Continentais
Competição Títulos Temporadas
UEFA Intertoto Cup.svg
Copa Intertoto da UEFA 1 2000
Nacionais
Competição Títulos Temporadas
Liga trophy (adjusted).png
Campeonato Espanhol - 2ª Divisão 3 1935–36, 1981–82 e 1991–92
Liga trophy (adjusted).png
Campeonato Espanhol - 2ª Divisão B 1 1980–81
Liga trophy (adjusted).png
Campeonato Espanhol - 3ª Divisão 1 1930–31
Regionais
Competição Títulos Temporadas
Flag of Galicia.svg
Campeonato da Galiza 6 1923–24, 1924–25, 1925–26, 1929–30, 1931–32 e 1933–34
Flag of Galicia.svg
Campeonato Galego 1 1934–35
Flag of Galicia.svg
Copa Xunta da Galiza 1 2007
Flag of Galicia.svg
Copa Galiza 1 2008
Torneios Amistosos
Competição Títulos Temporadas
Espanha Troféu Cidade de Vigo 22 1972, 1973, 1975, 1976, 1980, 1984, 1986, 1988, 1991, 1992, 1993, 1994, 1997, 1998, 1999, 2000, 2002, 2005, 2006, 2008, 2009 e 2012
Espanha Troféu Memorial Quinocho 20 1995, 1996, 1998, 1999, 2000, 2001, 2002, 2003, 2004, 2005, 2006, 2007, 2008, 2009, 2011, 2012, 2013, 2014, 2015 e 2016
Espanha Troféu Cidade de Zamora 1 2008
Espanha Troféu Teresa Herrera 1 1999
Itália Troféu TIM 1 2016
Espanha Troféu Colombino 1 2001
Portugal Copa Ibérica 1 2002

Celta B[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Real Club Celta de Vigo B

O Celta de Vigo B é uma divisão de categoria de base do clube que disputa a Terceira Divisão Espanhola.

Elenco atual[editar | editar código-fonte]

  • Atualizado em 7 de janeiro de 2018.
Legenda
  • Capitão: Capitão
  • Lesionado: Jogador lesionado


Goleiros
Jogador
1 Espanha Sérgio Álvarez
13 Espanha Rubén Blanco
Defensores
Jogador Pos.
4 México Néstor Araujo Z
20 Espanha Kevin Vázquez Z
22 Argentina Gustavo Cabral Z
24 Argentina Facundo Roncaglia Z
25 Paraguai Junior Alonso Z
2 Espanha Hugo Mallo Capitão LD
15 Eslováquia Róbert Mazáň LE
Meio-campistas
Jogador Pos.
5 Turquia Okay Yokuşlu V
6 Sérvia Nemanja Radoja V
14 Eslováquia Stanislav Lobotka V
16 Espanha Jozabed V
8 Chile Pablo Hernández M
18 Dinamarca Daniel Wass M
19 Marrocos Sofiane Boufal M
23 Espanha Brais Méndez M
Atacantes
Jogador
7 Uruguai Maxi Gómez
9 Argentina Lucas Boyé
10 Espanha Iago Aspas
11 Dinamarca Pione Sisto
21 Turquia Emre Mor
Comissão técnica
Nome Pos.
Argentina Antonio Mohamed T


Recordes individuais[editar | editar código-fonte]

Mais partidas[editar | editar código-fonte]

# País Nome Período Jogos
1 Espanha Manolo 1966-1982 475
2 Espanha Atilano Vecino 1982-1994 339
3 Espanha Javier Maté 1981-1993 331
4 Espanha Juan Fernández 1969-1980 325
5 Espanha Vicente Álvarez 1980-1981, 1983-1995 319
6 Espanha Hugo Mallo 2009- 311
7 Espanha Santiago Castro 1970-1980 303
8 Argentina Gustavo López 1999-2007 295
10 Espanha Iago Aspas 2008-2013, 2015- 293
10 Rússia Aleksandr Mostovoy 1996-2004 290

Maiores artilheiros[editar | editar código-fonte]

# País Nome Período Gols
1 Espanha Iago Aspas 2008-2013, 2015- 127
2 Espanha Hermidita 1945-1956 113
3 Bósnia e Herzegovina Vladimir Gudelj 1991-1999 105
4 Espanha Abel Fernández 1965-1970 92
5 Espanha Pahiño 1943-1948 91
6 Espanha Pichi Lucas 1981-1990 73
7 Rússia Aleksandr Mostovoy 1996-2004 72
8 Espanha Mauro Rodríguez 1953-1958 71
9 Espanha Francisco Roig 1940-1949 66
10 Espanha Juan Aretio 1943-1949 62

Ídolos do clube[editar | editar código-fonte]

Espanha[editar | editar código-fonte]

Estrangeiros[editar | editar código-fonte]

Treinadores de destaque[editar | editar código-fonte]

Espanha[editar | editar código-fonte]

Estrangeiros[editar | editar código-fonte]

Presidentes[editar | editar código-fonte]

Período Nome
1923–28 Manuel de Barcena y Andrés
1928–29 Manuel Prieto González
1929–32 Alfredo Escobar
1932–33 Luis de Vicente Sasiáin
1933–34 Indalecio Vázquez
1934–35 Cesáreo González
1935–39 Rodrigo de la Rasilla
1939–40 Pedro Braña Merino
1940–41 Manuel Núñez González
Período Nome
1941–42 Fernando de Miguel Rodríguez
1942–48 Luis Iglesias Fernández
1948–50 Avelino Ponte García
1950–52 Faustino Álvarez Álvarez
1952–56 Manuel Prieto Pérez
1956–58 Antonio Herrero Montero
1958–59 Antonio Alfageme
1959–61 Celso Lorenzo Vila
1961–63 Carlos Barreras Barret
Período Nome
1963–64 Antonio Crusat Pardiñas
1964–65 Manuel Rodríguez Gómez
1965–69 Daniel Alonso González
1969–70 Ramón de Castro
1970–73 Rodrigo Alonso Fariña
1973–77 Antonio Vázquez Gómez
1977–80 Jaime Arbones Alonso
1980 Rodrigo Arbones Alonso
1980 Elías Posada
Período Nome
1980–82 Elías Alonso Riego
1982–90 José Luis Rivadulla García
1990–91 José Luis Alejo Álvarez
1991 Eloy de Francisco
1991–95 José Luis Núñez Gallego
1995–2006 Horacio Gómez Araujo
2006– Carlos Mouriño Atanes

Uniformes[editar | editar código-fonte]

Uniformes atuais[editar | editar código-fonte]

  • 1º - Camisa azul claro, calção branco e meias azuis claro;
  • 2º - Camisa azul escuro, calção e meias azuis escuros;
  • 3º - Camisa cinza, calção e meias cinzas.
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Primeiro Uniforme
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Segundo Uniforme
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
Terceiro Uniforme

Uniformes dos goleiros[editar | editar código-fonte]

  • Camisa vermelha, calção e meias vermelhas;
  • Camisa amarela, calção e meias amarelas;
  • Camisa verde, calção e meias verdes.
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
'
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
'
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
'

Uniformes anteriores[editar | editar código-fonte]

  • 2015-16
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
'
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
'
  • 2014-15
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
'
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
'
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
'
  • 2013-14
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
'
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
'
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
'
  • 2012-13
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
'
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
'
  • 2011-12
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
'
Cores do Time Cores do Time Cores do Time
Cores do Time
Cores do Time
'

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]