Rebelião curda na Turquia (1978–presente)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Gnome globe current event.svg
Este artigo ou seção é sobre um conflito armado recente ou ainda em curso.
A informação apresentada pode mudar com frequência. Não adicione especulações, nem texto sem referência a fontes confiáveis. (editado pela última vez em 29 de julho de 2018)
Warfare current.svg
Rebelião curda na Turquia
Conflito curdo-turco
PKK-Conflict-de.png
Mapa temático, visão geral do conflito.
Data 1978 - presente
Local Turquia, Curdistão turco
Desfecho Em andamento
Beligerantes
Flag of Turkey.svg Turquia

Cooperação no passado contra o PKK:
KDP[1][2]
PUK[1][2]

Hizbullahî Kurdî*[3][4][5]
Flag of Kurdistan Workers' Party.svg PKK

KCK
TAK
PJAK[6]
KDP/Norte
PŞK
KKP
PIK
HİK


Cooperação no passado contra a Turquia:
DHKP/C[7]
TKP-ML[8]
DHP[9]
TDP[9]
ASALA(1970-1980)[10]

Hizbullahî Kurdî*[3][11][12][13]
Comandantes
Flag of Turkey.svg Abdullah Gül
Flag of Turkey.svg Recep Tayyip Erdoğan
Flag of Turkey.svg Necdet Özel
Flag of Kurdistan Workers' Party.svg Murat Karayılan
Flag of Kurdistan Workers' Party.svg Bahoz Erdal
Flag of Kurdistan Workers' Party.svg Cemil Bayık
Flag of Kurdistan Workers' Party.svg Zübeyir Aydar
Flag of Partiya Jiyana Azad a Kurdistanê.png Haji Ahmadi [14]
Flag of Jihad.svg Muhammad Salih Mustafa
Flag of Jihad.svg İsa Altsoy

O Conflito Turquia–PKK[nota] é um conflito armado entre a República da Turquia e vários grupos rebeldes curdos, que têm exigido a separação da Turquia para a criação de um Curdistão independente, ou a obtenção de maior autonomia e direitos políticos e culturais para os curdos em território turco.[15] O principal grupo rebelde é o PKK (em curdo: Partiya Karkerên Kurdistan, em português: Partido dos Trabalhadores do Curdistão) que é considerado uma organização terrorista pela Turquia e os Estados Unidos e estava na lista de terroristas da União Europeia, mas foi removido devido à uma ordem judicial.

Embora os insurgentes tenham realizado ataques na região oeste da Turquia, a insurgência está presente principalmente no sudeste da Turquia. A presença militar do PKK na região do Curdistão iraquiano tem sido utilizada como desculpa pelos líderes políticos e militares turcos para a realização de frequentes incursões aéreas e terrestres, alegando como alvo os guerrilheiros do PKK. No entanto, civis curdos no norte do Iraque (sul do Curdistão) também tem sido mortos.[16] O Governo Regional do Curdistão tem afirmado que não têm forças militares suficientes para impedir as operações do PKK. O conflito afetou particularmente a indústria de turismo da Turquia.[17]

Vítimas[editar | editar código-fonte]

Segundo dados oficiais divulgados pelo Exército da Turquia para o período entre 1984-2008, o conflito resultou na captura de 14.000 membros do PKK, e da morte de 32.000 membros do PKK, 6.482 soldados e 5.560 civis,[18] entre os quais 157 professores.[19] De agosto de 1984 a junho de 2007, o governo turco colocou o total de vítimas em 37.979. Os militares turcos disseram ser responsáveis pela morte de 26.128 combatentes do PKK e o PKK disse ser responsável pelas outras 11.851 mortes de pessoas. Um total de 13.327 soldados e 7.620 civis teriam sido feridos e um adicional de 20.000 civis mortos por agressores desconhecidos.[20] Apenas 2.500 pessoas teriam sido mortas entre 1984 e 1991, enquanto mais de 17.500 foram mortas entre 1991 e 1995.[21] O número de assassinatos cometidos por paramilitares entre 1985-1996 é colocado em 296 por estimativas oficiais.[22] O Governo da Turquia afirma que o total de vítimas de 2003 a 2009 está em torno de 2.300, o que inclui 172 civis, 556 militares e 1.380 rebeldes.[23]


Notas[editar | editar código-fonte]

Também é conhecido como Conflito Curdo,[24][25][26][27][28][29] Questão Curda,[30] Insurgência Curda,[31][32][33][34][35][36] Rebelião Curda,[37][38][39][40][41] Conflito Turquia-PKK,[42][43] ou terrorismo PKK[44][45] bem como a última revolta curda[46] ou uma guerra civil.[47][48][49][50]

Referências

  1. a b Iraq – Kurds (1961 – first combat deaths), January 2005
  2. a b Turkey (1984–2002), March 2003
  3. a b The Evolving Threat from Jihadist Terrorism in Turkey, 16 February 2009
  4. Confirmed by former Minister Fikri Sağlar, Cited in the Human Rights Watch report relying on the book of Faik Bulut and Mehmet Farac: Kod Adı: Hizbullah (Code Name: Hizbullah), Ozan Publishing House, March 1999.
  5. Akkoç v. Turkey, Application Nos. 22947/93, 22948/93, Judgement of 10 October 2000 Arquivado em 2 de maio de 2008, no Wayback Machine., European Court of Human Rights judgment concerning Akkoç v. Turkey case, section II, C (em inglês)
  6. «Cópia arquivada». Consultado em 13 de abril de 2015.. Arquivado do original em 2 de abril de 2015 
  7. «Terrorism in Turkey: An Analysis of the Principal Players». 212.150.54.123. 16 de março de 1999. Consultado em 15 de abril de 2011.. Arquivado do original em 24 de julho de 2011 
  8. «Tension high as heinous attack leaves unanswered questions behind». Consultado em 3 de abril de 2015.. Arquivado do original em 28 de julho de 2011 
  9. a b [1]
  10. III. International Sources of Support
  11. http://www.hurriyetdailynews.com/n.php?n=release-of-turkish-hizbullah-members-sparks-controversy-over-its-future-strategy-2011-01-09
  12. http://books.google.com/books?id=ittK1kHjkOQC&pg=PA25&dq=PKK+Hezbollah+cooperation&hl=en&ei=khWQTtulJueG4gSu-czOAQ&sa=X&oi=book_result&ct=result&resnum=2&ved=0CDYQ6AEwAQ#v=onepage&q=PKK%20Hezbollah%20cooperation&f=false
  13. Teymur, Samih (2007). A Conceptual Map for Understanding the Terrorist Recruitment Process: Observation and Analysis of DHKP/C, PKK, and Turkish Hezbollah Terrorist Organizations. [S.l.]: University of North Texas. p. 51. ISBN 9780549315834 
  14. «PJAK attacks along Iran borders decline». Presstv.com. Consultado em 15 de abril de 2011.. Arquivado do original em 16 de junho de 2012 
  15. «Confronto entre curdos e exército turco deixa pelo menos 15 mortos». 6 de Julho de 2010 
  16. BBC (23 de Fevereiro de 2008). «Iraque alerta Turquia sobre operação contra rebeldes curdos» 
  17. PKK: Targets and activities, Ministry of Foreign Affairs (Turkey), Federation of American Scientists.
  18. «Bir dönemin acı bilançosu». Hürriyet (em turco). 16 de setembro de 2008. Consultado em 17 de setembro de 2008. 
  19. «2000 Yılında MEB-Öğretmenlere Yönelik Çalışmalar» (em turco). Ministry of Education. 2000. Consultado em 12 de outubro de 2008. 
  20. Turkey, US, and the PKK, December 21, 2007
  21. «The Kurds in Turkey». Consultado em 3 de junho de 2011.. Arquivado do original em 18 de outubro de 2010 
  22. ISLAM, THE KURDS, AND TURKEY’S PROBLEMS AT HOME AND WITH THE NEIGHBORS
  23. «Turkey (2003 — First deaths for this phase of the conflict)». Ploughshares.ca. Consultado em 15 de abril de 2011. 
  24. «Greener Pastures for Bruce Fein: The Kurdish Conflict in Turkey». Asiantribune.com. Consultado em 15 de abril de 2011. 
  25. «The Kurdish Conflict in Turkey: Obstacles and Chances for Peace and Democracy». Amazon.com. Consultado em 15 de abril de 2011. 
  26. «Turkey in fresh drive to end Kurdish conflict». Middle-east-online.com. 28 de setembro de 2010. Consultado em 15 de abril de 2011.. Arquivado do original em 3 de abril de 2012 
  27. «Turkey looks to Iraq to help end Kurdish conflict». Euronews.net. 16 de junho de 2010. Consultado em 15 de abril de 2011. 
  28. Head, Jonathan (13 de novembro de 2009). «Turkey unveils reforms for Kurds». BBC News. Consultado em 15 de abril de 2011. 
  29. Kinzer, Stephen (3 de janeiro de 2011). «Nudging Turkey toward peace at home». London: Guardian. Consultado em 15 de abril de 2011. 
  30. Today's Zaman Would Turkey intervene in Syria? Arquivado em 5 de fevereiro de 2012, no Wayback Machine., February 5, 2011
  31. A Terrorist's Bitter End
  32. Birch, Nicholas (20 de outubro de 2009). «Kurdish rebels surrender as Turkey reaches out — War in Context». Warincontext.org. Consultado em 15 de abril de 2011. 
  33. «The Kurdish Issue and Turkey's Future». Thewashingtonnote.com. Consultado em 15 de abril de 2011.. Arquivado do original em 15 de maio de 2011 
  34. BBC News Turkey may ban Kurdish DTP party
  35. «Kurdish rebels say they shot down Turkish helicopter». Articles.cnn.com. 7 de março de 1999. Consultado em 15 de abril de 2011. 
  36. «Turkish military's best and brightest now behind bars». Reuters. 6 de janeiro de 2012 
  37. «Turkish crackdown fails to halt Kurdish rebellion». Highbeam.com. 1 de novembro de 1992. Consultado em 15 de abril de 2011. 
  38. «Turkey and Iraq seek to end Kurdish rebellion». Thenational.ae. Consultado em 15 de abril de 2011. [ligação inativa]
  39. «Turkey says determined to uproot Kurdish rebellion». Kuna.net.kw. 25 de junho de 2010. Consultado em 15 de abril de 2011. 
  40. Tore Kjeilen. «Kurds». Looklex.com. Consultado em 15 de abril de 2011. 
  41. «MINA Breaking News – Turkey marks 25 years of Kurd rebellion». Macedoniaonline.eu. 15 de agosto de 2009. Consultado em 15 de abril de 2011. 
  42. [2]
  43. Thorold, Crispin (15 de fevereiro de 2008). «Civilians losers in Turkey-PKK conflict». BBC News 
  44. «TURKEY AND PKK TERRORISM» (PDF). Consultado em 15 de abril de 2011.. Arquivado do original (PDF) em 31 de maio de 2011 
  45. «A Report on the PKK and Terrorism». Fas.org. Consultado em 15 de abril de 2011. 
  46. McDowall, David. A modern History of the Kurds. London 2005, pp 439 ff
  47. Viviano, Frank (23 de fevereiro de 1996). «Inside Turkey's Civil War, Fear and Geopolitics / For all sides, Kurd insurgency is risky business». Articles.sfgate.com. Consultado em 15 de abril de 2011. 
  48. «The Kurdish Question In Turkish Politics». Cacianalyst.org. 16 de fevereiro de 1999. Consultado em 15 de abril de 2011.. Arquivado do original em 22 de maio de 2011 
  49. «Thousands of Kurds protest to support jailed Abdullah Ocalan in Strasbourg». Ekurd.net. Consultado em 15 de abril de 2011. 
  50. Helena Smith in Athens (11 de abril de 2003). «Turkey told US will remove Kurd forces from city». London: Guardian. Consultado em 15 de abril de 2011. 
Ícone de esboço Este artigo sobre um conflito armado é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.