Recombinação da Biblioteca Retron

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Este artigo faz parte de uma série sobre CRISPR







Em biologia molecular, a Recombinação da Biblioteca Retron (RLR) é uma técnica genética que usa segmentos de DNA bacteriano chamados retrons que podem produzir fragmentos de DNA de fita simples.[1] Esta técnica é semelhante à técnica CRISPR/Cas; no entanto, ele edita o gene por recombinação, em vez de executar o corte e troca, introduzindo um pedaço alternativo de DNA enquanto uma célula está replicando seu genoma, criando mutações genéticas de forma eficiente sem quebrar o DNA.[2][3] A edição do genoma baseada em Retron ainda (2021) não funcionou em células de mamíferos.[4]

Referências

  1. «Harvard scientists create gene-editing tool that could rival CRISPR». Engadget (em inglês). Consultado em 3 de maio de 2021 
  2. «Move over CRISPR, the retrons are coming». phys.org (em inglês). Consultado em 3 de maio de 2021 
  3. Schubert, Max G.; Goodman, Daniel B.; Wannier, Timothy M.; Kaur, Divjot; Farzadfard, Fahim; Lu, Timothy K.; Shipman, Seth L.; Church, George M. (4 de maio de 2021). «High-throughput functional variant screens via in vivo production of single-stranded DNA». Proceedings of the National Academy of Sciences (em inglês) (18). ISSN 0027-8424. PMID 33906944 Verifique |pmid= (ajuda). doi:10.1073/pnas.2018181118. Consultado em 3 de maio de 2021 
  4. Mayer, Kevin (30 de abril de 2021). «Retrons Display Genome Editing Strengths Even CRISPR Might Envy». GEN - Genetic Engineering and Biotechnology News (em inglês). Consultado em 3 de maio de 2021 
Ícone de esboço Este artigo sobre Genética é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.