Saltar para o conteúdo

Recopa Sul-Americana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
 Nota: Não confundir com Recopa Sul-Americana de Clubes (outra competição da CONMEBOL, criada em 1970, sendo a primeira tentativa de um torneio secundário sul-americano)
CONMEBOL Recopa
Recopa Sul-Americana
Logo da CONMEBOL Recopa
Dados gerais
Organização CONMEBOL
Edições 31[nota 1]
Outros nomes Recopa
Local de disputa América do Sul
Sistema Ida e volta
Edição atual
editar

A Recopa Sul-Americana (Recopa Sudamericana em espanhol), cujo nome oficial atual é CONMEBOL Recopa, é uma competição oficial organizada pela Confederação Sul-Americana de Futebol (CONMEBOL). Sua primeira edição ocorreu em 1989, sendo disputada regularmente até 1998 e reativada em 2003. Já teve dois formatos de disputa: sistema de "jogo único" em campo neutro (fora do continente sul-americano) e o atual sistema, "ida e volta" nos respectivos mandos dos disputantes.[1]

Originalmente, era disputada entre o campeão da Copa Libertadores da América e o campeão da Supercopa Sul-Americana. Com o término da segunda, só voltou a ser realizada em 2003, quando passou a ser disputada entre o campeão da Libertadores e o campeão da Copa Sul-Americana.[1]

O atual campeão é o Fluminense (campeão da Copa Libertadores de 2023), do Brasil, que derrotou a LDU Quito (campeão da Copa Sul-Americana de 2023), do Equador, por 2–1 no placar agregado: na partida de ida, em Quito, o futuro campeão perdeu por 1–0; na volta, no Rio de Janeiro, venceu por 2–0.[2]

História[editar | editar código-fonte]

Partida entre Boca Juniors e São Paulo em La Bombonera, pela Recopa Sul-Americana de 2006
Jogadores do Palmeiras comemoram o título da Recopa Sul-Americana de 2022 no Allianz Parque

A competição teve sua edição inaugural, em 1989, reunindo o vencedor da tradicional Copa Libertadores da América e o vencedor da recém-criada Supercopa Libertadores. A primeira edição possuiu o formato de ida e volta.[1]

Em sua segunda edição, em 1990, o torneio foi realizado em jogo único, em Miami, Estados Unidos. Em 1991, o Olimpia foi campeão sem precisar jogar, pois venceu os dois torneios classificatórios (não havia uma terceira competição continental).[3] Em 1992 e de 1994 a 1997, a competição foi realizada no JapãoTóquio, em 1995, e Kobe, em 1992, 1994, 1996 e 1997 — também em partida única. Em 1993, quando foi usado o formato de ida e volta, o primeiro jogo, realizado no Morumbi, também valeu pelo Campeonato Brasileiro daquele ano, entre Cruzeiro e São Paulo, devido à falta de datas no calendário.[4] A edição de 1998 ocorreu em 1999 e, por falta de datas, as partidas também foram válidas pela primeira fase da Copa Mercosul daquele ano, entre Cruzeiro e River Plate.[5] Nas edições de dois jogos antes de 2005 — 1989, 1993 e 1998 — a volta foi na casa do representante da Supercopa.

Até 1998, a disputa ocorria entre o campeão da Copa Libertadores e o campeão da Supercopa. Excepcionalmente, em 1994, o então campeão da Copa CONMEBOL, o Botafogo, disputou a Recopa. O fato ocorreu pela Libertadores e Supercopa de 1993 terem sido vencidas pelo mesmo clube, o São Paulo.[6]

Com o fim da Supercopa, em 1997, a Recopa Sul-Americana deixou de ser realizada de 1999 a 2002 (tendo-se como norte o ano de referência, uma vez que em 1999 jogou-se a edição de 1998). De 1998 a 2001, vigoraram como secundárias as copas Mercosul e Merconorte. Cada uma contava com cinco países sul-americanos diferentes (esta última ainda possuía presenças de clubes da CONCACAF), não tendo havido um jogo unificador. A competição só voltaria em 2003, após a criação da Copa Sul-Americana no ano anterior, sendo jogada em desafio único, em Los Angeles, Estados Unidos. Em 2004, foi realizada em Fort Lauderdale, também nos Estados Unidos.[1]

Desde 2005 é disputada no formato atual: ida e volta entre os campeões das copas Libertadores e Sul-Americana do ano anterior. O segundo jogo é de mando do representante da Libertadores.[1]

Campeões[editar | editar código-fonte]

Ano Final Sede(s) e data(s)
Campeão Placar(es) Vice-campeão
1989
Detalhes
Uruguai
Nacional
Campeão da Libertadores 1988
1 – 0
0 – 0
Argentina
Racing
Campeão da Supercopa 1988
Ida: Montevidéu, Uruguai (31 de janeiro de 1989)
Volta: Buenos Aires, Argentina (6 de fevereiro de 1989)
1990
Detalhes
Argentina
Boca Juniors
Campeão da Supercopa 1989
1 – 0 Colômbia
Atlético Nacional
Campeão da Libertadores 1989
Miami, Estados Unidos (17 de março de 1990)
1991 Paraguai
Olimpia
Campeão da Libertadores e da Supercopa 1990
Ganhou a Recopa automaticamente.[nota 2]
1992
Detalhes
Chile
Colo-Colo
Campeão da Libertadores 1991
0 – 0
5 – 4
(pen)
Brasil
Cruzeiro
Campeão da Supercopa 1991
Kobe, Japão (19 de abril de 1992)
1993
Detalhes
Brasil
São Paulo
Campeão da Libertadores 1992
0 – 0
0 – 0
4 – 2
(pen)
Brasil
Cruzeiro
Campeão da Supercopa 1992
Ida: São Paulo, Brasil (22 de setembro de 1993)
Volta: Belo Horizonte, Brasil (29 de setembro de 1993)
1994
Detalhes
Brasil
São Paulo
Campeão da Libertadores 1993 e da Supercopa 1993
3 – 1 Brasil
Botafogo
Campeão da Copa Conmebol 1993
Kobe, Japão (3 de abril de 1994)
1995
Detalhes
Argentina
Independiente
Campeão da Supercopa 1994
1 – 0 Argentina
Vélez Sarsfield
Campeão da Libertadores 1994
Tóquio, Japão (9 de abril de 1995)
1996
Detalhes
Brasil
Grêmio
Campeão da Libertadores 1995
4 – 1 Argentina
Independiente
Campeão da Supercopa 1995
Kobe, Japão (7 de abril de 1996)
1997
Detalhes
Argentina
Vélez Sarsfield
Campeão da Supercopa 1996
1 – 1
4 – 2
(pen)
Argentina
River Plate
Campeão da Libertadores 1996
Kobe, Japão (13 de abril de 1997)
1998
Detalhes
Brasil
Cruzeiro
Campeão da Libertadores 1997
2 – 0
3 – 0
Argentina
River Plate
Campeão da Supercopa 1997
Ida: Belo Horizonte, Brasil (3 de agosto de 1999)
Volta: Buenos Aires, Argentina (23 de setembro de 1999)
1999–2002 Não foi disputado
2003
Detalhes
Paraguai
Olimpia
Campeão da Libertadores 2002
2 – 0 Argentina
San Lorenzo
Campeão da Sul-Americana 2002
Los Angeles, Estados Unidos (12 de julho de 2003)
2004
Detalhes
Peru
Cienciano
Campeão da Sul-Americana 2003
1 – 1
4 – 2
(pen)
Argentina
Boca Juniors
Campeão da Libertadores 2003
Fort Lauderdale, Estados Unidos (7 de setembro de 2004)
2005
Detalhes
Argentina
Boca Juniors
Campeão da Sul-Americana 2004
3 – 1
1 – 2
Colômbia
Once Caldas
Campeão da Libertadores 2004
Ida: Buenos Aires, Argentina (24 de agosto de 2005)
Volta: Manizales, Colômbia (31 de agosto de 2005)
2006
Detalhes
Argentina
Boca Juniors
Campeão da Sul-Americana 2005
2 – 1
2 – 2
Brasil
São Paulo
Campeão da Libertadores 2005
Ida: Buenos Aires, Argentina (7 de setembro de 2006)
Volta: São Paulo, Brasil (14 de setembro de 2006)
2007
Detalhes
Brasil
Internacional
Campeão da Libertadores 2006
1 – 2
4 – 0
México
Pachuca
Campeão da Sul-Americana 2006
Ida: Pachuca, México (31 de maio de 2007)
Volta: Porto Alegre, Brasil (7 de junho de 2007)
2008
Detalhes
Argentina
Boca Juniors
Campeão da Libertadores 2007
3 – 1
2 – 2
Argentina
Arsenal de Sarandí
Campeão da Sul-Americana 2007
Ida: Sarandí, Argentina (13 de agosto de 2008)
Volta: Buenos Aires, Argentina (27 de agosto de 2008)
2009
Detalhes
Equador
LDU Quito
Campeão da Libertadores 2008
1 – 0
3 – 0
Brasil
Internacional
Campeão da Sul-Americana 2008
Ida: Porto Alegre, Brasil (25 de junho de 2009)
Volta: Quito, Equador (9 de julho de 2009)
2010
Detalhes
Equador
LDU Quito
Campeão da Sul-Americana 2009
2 – 1
0 – 0
Argentina
Estudiantes
Campeão da Libertadores 2009
Ida: Quito, Equador (25 de agosto de 2010)
Volta: Quilmes, Argentina (8 de setembro de 2010)
2011
Detalhes
Brasil
Internacional
Campeão da Libertadores 2010
1 – 2
3 – 1
Argentina
Independiente
Campeão da Sul-Americana 2010
Ida: Avellaneda, Argentina (10 de agosto de 2011)
Volta: Porto Alegre, Brasil (24 de agosto de 2011)
2012
Detalhes
Brasil
Santos
Campeão da Libertadores 2011
0 – 0
2 – 0
Chile
Universidad de Chile
Campeão da Sul-Americana 2011
Ida: Santiago, Chile (22 de agosto de 2012)
Volta: São Paulo, Brasil (26 de setembro de 2012)
2013
Detalhes
Brasil
Corinthians
Campeão da Libertadores 2012
2 – 1
2 – 0
Brasil
São Paulo
Campeão da Sul-Americana 2012
Ida: São Paulo, Brasil (3 de julho de 2013)
Volta: São Paulo, Brasil (17 de julho de 2013)
2014
Detalhes
Brasil
Atlético Mineiro
Campeão da Libertadores 2013
1 – 0
4 – 3
(pro)
Argentina
Lanús
Campeão da Sul-Americana 2013
Ida: Lanús, Argentina (16 de julho de 2014)
Volta: Belo Horizonte, Brasil (23 de julho de 2014)
2015
Detalhes
Argentina
River Plate
Campeão da Sul-Americana 2014
1 – 0
1 – 0
Argentina
San Lorenzo
Campeão da Libertadores 2014
Ida: Buenos Aires, Argentina (6 de fevereiro de 2015)
Volta: Buenos Aires, Argentina (11 de fevereiro de 2015)
2016
Detalhes
Argentina
River Plate
Campeão da Libertadores 2015
0 – 0
2 – 1
Colômbia
Santa Fe
Campeão da Sul-Americana 2015
Ida: Bogotá, Colômbia (18 de agosto de 2016)
Volta: Buenos Aires, Argentina (25 de agosto de 2016)
2017
Detalhes
Colômbia
Atlético Nacional
Campeão da Libertadores 2016
1 – 2
4 – 1
Brasil
Chapecoense
Campeão da Sul-Americana 2016
Ida: Chapecó, Brasil (4 de abril de 2017)
Volta: Medellín, Colômbia (10 de maio de 2017)
2018
Detalhes
Brasil
Grêmio
Campeão da Libertadores 2017
1 – 1
0 – 0
(pro)
5 – 4 (pen)
Argentina
Independiente
Campeão da Sul-Americana 2017
Ida: Avellaneda, Argentina (14 de fevereiro de 2018)
Volta: Porto Alegre, Brasil (21 de fevereiro de 2018)
2019
Detalhes
Argentina
River Plate
Campeão da Libertadores 2018
0 – 1
3 – 0
Brasil
Athletico Paranaense
Campeão da Sul-Americana 2018
Ida: Curitiba, Brasil (22 de maio de 2019)
Volta: Buenos Aires, Argentina (30 de maio de 2019)
2020
Detalhes
Brasil
Flamengo
Campeão da Libertadores 2019
2 – 2
3 – 0
Equador
Independiente del Valle
Campeão da Sul-Americana 2019
Ida: Quito, Equador (19 de fevereiro de 2020)
Volta: Rio de Janeiro, Brasil (26 de fevereiro de 2020)
2021
Detalhes
Argentina
Defensa y Justicia
Campeão da Sul-Americana 2020
1 – 2
2 – 1
(pro)
4 – 3 (pen)
Brasil
Palmeiras
Campeão da Libertadores 2020
Ida: Florencio Varela, Argentina (7 de abril de 2021)
Volta: Brasília, Brasil (14 de abril de 2021)
2022
Detalhes
Brasil
Palmeiras
Campeão da Libertadores 2021
2 – 2
2 – 0
Brasil
Athletico Paranaense
Campeão da Sul-Americana 2021
Ida: Curitiba, Brasil (23 de fevereiro de 2022)
Volta: São Paulo, Brasil (2 de março de 2022)
2023
Detalhes
Equador
Independiente del Valle
Campeão da Sul-Americana 2022
1 – 0
0 – 1
(pro)
5 – 4 (pen)
Brasil
Flamengo
Campeão da Libertadores 2022
Ida: Quito, Equador (21 de fevereiro de 2023)
Volta: Rio de Janeiro, Brasil (28 de fevereiro de 2023)
2024
Detalhes
Brasil
Fluminense
Campeão da Libertadores 2023
0 – 1
2 – 0
Equador
LDU Quito
Campeão da Sul-Americana 2023
Ida: Quito, Equador (22 de fevereiro de 2024)
Volta: Rio de Janeiro, Brasil (29 de fevereiro de 2024)

Títulos[editar | editar código-fonte]

Por equipe[editar | editar código-fonte]

Clube País Títulos Vices
Boca Juniors  Argentina 4 (1990, 2005, 2006 e 2008) 1 (2004)
River Plate  Argentina 3 (2015, 2016 e 2019) 2 (1997 e 1998)
São Paulo  Brasil 2 (1993 e 1994) 2 (2006 e 2013)
Internacional  Brasil 2 (2007 e 2011) 1 (2009)
LDU Quito Equador 2 (2009 e 2010) 1 (2024)
Olimpia  Paraguai 2 (1991 e 2003) 0
Grêmio  Brasil 2 (1996 e 2018) 0
Independiente  Argentina 1 (1995) 3 (1996, 2011 e 2018)
Cruzeiro  Brasil 1 (1998) 2 (1992 e 1993)
Vélez Sarsfield  Argentina 1 (1997) 1 (1995)
Atlético Nacional  Colômbia 1 (2017) 1 (1990)
Flamengo  Brasil 1 (2020) 1 (2023)
Palmeiras  Brasil 1 (2022) 1 (2021)
Independiente del Valle Equador 1 (2023) 1 (2020)
Nacional Uruguai 1 (1989) 0
Colo-Colo  Chile 1 (1992) 0
Cienciano  Peru 1 (2004) 0
Santos  Brasil 1 (2012) 0
Corinthians  Brasil 1 (2013) 0
Atlético Mineiro  Brasil 1 (2014) 0
Defensa y Justicia  Argentina 1 (2021) 0
Fluminense  Brasil 1 (2024) 0
San Lorenzo  Argentina 0 2 (2003 e 2015)
Athletico Paranaense  Brasil 0 2 (2019 e 2022)
Racing  Argentina 0 1 (1989)
Botafogo  Brasil 0 1 (1994)
Once Caldas  Colômbia 0 1 (2005)
Pachuca  México 0 1 (2007)
Arsenal de Sarandí  Argentina 0 1 (2008)
Estudiantes  Argentina 0 1 (2010)
Universidad de Chile  Chile 0 1 (2012)
Lanús  Argentina 0 1 (2014)
Santa Fe  Colômbia 0 1 (2016)
Chapecoense  Brasil 0 1 (2017)

Por país[editar | editar código-fonte]

País Títulos Vices
 Brasil 13 11
 Argentina 10 13
Equador 3 2
 Paraguai 2 0
 Colômbia 1 3
 Chile 1 1
 Peru 1 0
Uruguai 1 0
 México 0 1

Por meio de classificação[editar | editar código-fonte]

Competição Títulos[nota 1] Vices
Copa Libertadores da América 21 (1989, 1992, 1993, 1994,[nota 3] 1996, 1998, 2003, 2007, 2008, 2009, 2011, 2012, 2013, 2014, 2016, 2017, 2018, 2019, 2020, 2022 e 2024) 10 (1990, 1995, 1997, 2004, 2005, 2006, 2010, 2015, 2021 e 2023)
Copa Sul-Americana 7 (2004, 2005, 2006, 2010, 2015, 2021 e 2023) 15 (2003, 2007, 2008, 2009, 2011, 2012, 2013, 2014, 2016, 2017, 2018, 2019, 2020, 2022 e 2024)
Supercopa da Libertadores 3 (1990, 1995 e 1997) 5 (1989, 1992, 1993, 1996 e 1998)
Copa CONMEBOL 0 1 (1994)

Artilharia[editar | editar código-fonte]

O argentino Rodrigo Palacio é o maior artilheiro da Recopa Sul-Americana com 5 gols marcados nas edições de 2006 e 2008
Ano Jogador Equipe Gols
1989 Uruguai Daniel Fonseca Uruguai Nacional 1
1990 Argentina Diego Latorre Argentina Boca Juniors 1
1991 Título automático
1992 0–0 (final única)
1993 0–0 (agregado)
1994 Brasil Roberto Cavalo Brasil Botafogo 1
Brasil Euller Brasil São Paulo
Brasil Guilherme
Brasil Leonardo
1995 Argentina José Serrizuela Argentina Independiente 1
1996 Brasil Adílson Brasil Grêmio 1
Brasil Carlos Miguel
Brasil Jardel
Brasil Paulo Nunes
Argentina Jorge Burruchaga Argentina Independiente
1997 Argentina Enzo Francescoli Argentina River Plate 1
Paraguai José Luis Chilavert Argentina Vélez Sarsfield
1998 Brasil Geovanni Brasil Cruzeiro 2
1999–2002 Não foi disputado
2003 Paraguai Julio César Enciso Paraguai Olimpia 1
Uruguai Rodrigo López
2004 Argentina Carlos Tévez Argentina Boca Juniors 1
Colômbia Rodrigo Saraz Peru Cienciano
2005 Argentina Sebastián Battaglia Argentina Boca Juniors 1
Argentina Neri Cardozo
Argentina Juan González
Argentina Rolando Schiavi
Colômbia Mauricio Casierra Colômbia Once Caldas
Colômbia Édison Chará
Colômbia Rubén Velázquez
2006 Argentina Rodrigo Palacio Argentina Boca Juniors 3
2007 Brasil Alexandre Pato Brasil Internacional 2
Argentina Christian Giménez México Pachuca
2008 Argentina Rodrigo Palacio Argentina Boca Juniors 2
2009 Argentina Claudio Bieler Equador LDU Quito 2
2010 Argentina Hernán Barcos Equador LDU Quito 2
2011 Brasil Leandro Damião Brasil Internacional 3
2012 Brasil Bruno Rodrigo Brasil Santos 1
Brasil Neymar
2013 Brasil Aloísio Brasil São Paulo 1
Brasil Danilo Brasil Corinthians
Brasil Renato Augusto
Brasil Romarinho
Peru Paolo Guerrero
2014 Brasil Diego Tardelli Brasil Atlético Mineiro 2
2015 Uruguai Carlos Sánchez Argentina River Plate 2
2016 Uruguai Horacio Salaberry Colômbia Santa Fe 1
Argentina Lucas Alario Argentina River Plate
Argentina Sebastián Driussi
2017 Colômbia Andrés Ibargüen Colômbia Atlético Nacional 2
Colômbia Dayro Moreno
2018 Brasil Luan Brasil Grêmio 1
2019 Argentina Ignacio Fernández Argentina River Plate 1
Argentina Lucas Pratto
Argentina Matías Suárez
Argentina Marco Ruben Brasil Athletico Paranaense
2020 Brasil Gerson Brasil Flamengo 2
2021 Argentina Braian Romero Argentina Defensa y Justicia 2
2022 Brasil Danilo Brasil Palmeiras 1
Brasil Jailson
Brasil Raphael Veiga
Brasil Zé Rafael
Uruguai David Terans Brasil Athletico Paranaense
Ucrânia Marlos
2023 Uruguai Giorgian De Arrascaeta Brasil Flamengo 1
Argentina Mateo Carabajal Equador Independiente del Valle
2024 Colômbia Jhon Arias Brasil Fluminense 2

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas e referências

Notas

  1. a b Não considerando 1991, quando o Olimpia foi campeão automático e, portanto, não houve uma edição da competição.
  2. A final da Supercopa 1990, que também definiu o troféu da Recopa para o time paraguaio, ocorreu em 5 e 11 de janeiro de 1991, contra o Nacional: 3–0, no Uruguai, e 3–3, no Paraguai.
  3. O São Paulo também venceu a Supercopa do ano anterior, mas conta-se a classificação apenas via Libertadores, uma vez que esta foi conquistada antes.

Referências

  1. a b c d e Francisco De Laurentiis (7 de abril de 2021). «Por que o Palmeiras não disputou a Recopa quando foi campeão da Libertadores de 1999?». ESPN. Consultado em 2 de março de 2023 
  2. «Fluminense 'dá o troco' na LDU, vence com show de Arias e conquista o título inédito da Recopa». ESPN. 29 de fevereiro de 2024. Consultado em 29 de fevereiro de 2024 
  3. «River Plate pode conquistar bicampeonato automático da Recopa». Fox Sports. 6 de agosto de 2015. Consultado em 1 de março de 2023. Arquivado do original em 13 de setembro de 2015 
  4. Serra, Michael (29 de setembro de 2021). «A conquista da Recopa Sul-Americana de 1993 - SPFC». www.saopaulofc.net. Consultado em 2 de março de 2023 
  5. BUENO, RODRIGO. «Folha de S.Paulo - Futebol: Cruzeiro busca taça da Recopa, de 98 - 23/09/1999». www1.folha.uol.com.br. Consultado em 2 de março de 2023 
  6. «Folha de S.Paulo - Entenda o que é a Recopa - 2/4/1994». www1.folha.uol.com.br. Consultado em 3 de março de 2023 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]