Recopa Sul-Americana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Recopa Sul-Americana
CONMEBOL Recopa
Dados gerais
Organização CONMEBOL
Edições 25
Local de disputa América do Sul
Sistema Ida e volta
Soccerball current event.svg Edição atual
editar

A Recopa Sul-Americana (Recopa Sudamericana em espanhol), cujo nome oficial atual é CONMEBOL Recopa, é uma competição oficial organizada pela Confederação Sul-Americana de Futebol (CONMEBOL). Sua primeira edição ocorreu em 1989 e foi disputada até 1998, voltando à ativa desde 2003. Já teve dois formatos de disputa, a competição já foi realizada no sistema de "jogo único" - em que foram disputadas fora do continente sul-americano; e sendo atualmente realizada no sistema de "ida e volta". Originalmente era disputada entre o campeão da Copa Libertadores da América e o campeão da Supercopa dos Campeões da Libertadores devido ao fato de serem os dois torneios mais antigos da América do Sul, mas com o término da segunda, só voltou a ser realizada em 2003 quando passou a ser disputada entre o campeão da Libertadores e o campeão da Copa Sul-Americana.

O atual campeão é o Atlético Nacional, campeão da Copa Libertadores da América de 2016, que derrotou a Chapecoense, campeã da Copa Sul-Americana de 2016.[1].

História[editar | editar código-fonte]

O torneio é realizado desde 1989. Até 1998, a disputa era entre o campeão da Copa Libertadores e o campeão da Supercopa.

Em 1990, a partida foi realizada na cidade de Miami, nos Estados Unidos. Em 1991, o Olimpia foi campeão sem precisar jogar, pois venceu os dois torneios classificatórios. Esta foi a única vez que uma equipe unificou os dois principais títulos da América do Sul no mesmo ano.[2]

De 1992 a 1997, a competição foi realizada no Japão. Em 1993, a Recopa aconteceu como parte do Campeonato Brasileiro, entre Cruzeiro e São Paulo, devido à falta de datas no calendário. A edição de 1998 ocorreu em 1999, como parte da Copa Mercosul, entre Cruzeiro e River Plate.

Entre 1999 e 2002, não houve competição. A edição de 2003 foi disputada em Los Angeles, nos Estados Unidos, entre o campeão da Libertadores e o da Copa Sul-Americana. Em 2004, foi realizada em Fort Lauderdale, também nos Estados Unidos. Desde 2005, a competição voltou a ser disputada em partidas de ida e volta.

Bola oficial[editar | editar código-fonte]

A atual bola do jogo utilizada na Recopa Sul-Americana, fabricado pela Nike, é chamada de Total 90 Omni CSF.[3] É uma das muitas bolas produzidas pela empresa norte-americana, fabricante de equipamentos esportivos da CONMEBOL, substituindo a Mercurial Veloci Hi-Vis de 2009.[4] A bola que é aprovada pela FIFA, pesa cerca de 422 gramas, tem uma forma esférica que permite que a mesma voe mais rápido, mais longe e com mais precisão.[3] De acordo com a Nike, a precisão geométrica da bola distribui a pressão uniformemente em painéis e em torno da bola. O comprimido da camada de polietileno armazena energia de impacto e libera-a no lançamento, e a câmara de ar de carbono-latex melhora a aceleração.[3] Outra característica da bola é sua camada de borracha, ela foi projetada para permitir uma melhor resposta, mantendo a energia de impacto e liberando-a no golpe.[3] O material de suporte de espuma reticulada azoto expande melhor a sua retenção e durabilidade da sua forma.[3] O tecido de suporte de poliéster aumenta estrutura e estabilidade. O gráfico de alto contraste assimétrico em torno da bola cria uma ótima tremulação que permite à bola girar para um sinal visual mais poderoso, permitindo que o jogador identifique e rastreie a bola com mais facilidade.[3]

Resultados[editar | editar código-fonte]

Ano Final Datas e Locais
Vencedor Placar Vice
1989
Detalhes
Uruguai
Nacional
Campeão da Libertadores 1988
1 – 0
0 – 0
1 – 0
Argentina
Racing
Campeão da Supercopa 1988
Ida: Montevidéu, Uruguai (31 de janeiro de 1989)
Volta: Buenos Aires, Argentina (6 de fevereiro de 1989)
1990
Detalhes
Argentina
Boca Juniors
Campeão da Supercopa 1989
1 – 0 Colômbia
Atlético Nacional
Campeão da Libertadores 1989
Miami, Estados Unidos (17 de março de 1990)
1991
Paraguai
Olimpia
Campeão da Libertadores e da Supercopa 1990
Ganhou a Recopa Sul-Americana 1991 automaticamente
1992
Detalhes
Chile
Colo Colo
Campeão da Libertadores 1991
0 – 0
(5 – 4 nos pênaltis)
Brasil
Cruzeiro
Campeão da Supercopa 1991
Kobe, Japão (19 de abril de 1992)
1993
Detalhes
Brasil
São Paulo
Campeão da Libertadores 1992
0 – 0
0 – 0
0 – 0
(4 – 2 nos pênaltis)
Brasil
Cruzeiro
Campeão da Supercopa 1992
Ida: São Paulo, Brasil (22 de setembro de 1993)
Volta: Belo Horizonte, Brasil (29 de setembro de 1993)
1994
Detalhes
Brasil
São Paulo
Campeão da Libertadores 1993 e da Supercopa 1993
3 – 1 Brasil
Botafogo
Campeão da Copa Conmebol 1993 [nota 1]
Kobe, Japão (3 de abril de 1994)
1995
Detalhes
Argentina
Independiente
Campeão da Supercopa 1994
1 – 0 Argentina
Velez Sarsfield
Campeão da Libertadores 1994
Tóquio, Japão (9 de abril de 1995)
1996
Detalhes
Brasil
Grêmio
Campeão da Libertadores 1995
4 – 1 Argentina
Independiente
Campeão da Supercopa 1995
Kobe, Japão (7 de abril de 1996)
1997
Detalhes
Argentina
Velez Sarsfield
Campeão da Supercopa 1996
1 – 1
(4 – 2 nos pênaltis)
Argentina
River Plate
Campeão da Libertadores 1996
Kobe, Japão (13 de abril de 1997)
1998
Detalhes
Brasil
Cruzeiro
Campeão da Libertadores 1997
2 – 0
3 – 0
5 – 0
Argentina
River Plate
Campeão da Supercopa 1997
Ida: Belo Horizonte, Brasil (3 de agosto de 1999)
Volta: Buenos Aires, Argentina (23 de setembro de 1999)
19992002
Não foi disputado
2003
Detalhes
Paraguai
Olimpia
Campeão da Libertadores 2002
2 – 0 Argentina
San Lorenzo
Campeão da Sul-Americana 2002
Los Angeles, Estados Unidos (12 de julho de 2003)
2004
Detalhes
Peru
Cienciano
Campeão da Sul-Americana 2003
1 – 1
(4 – 2 nos pênaltis)
Argentina
Boca Juniors
Campeão da Libertadores 2003
Fort Lauderdale, Estados Unidos (7 de setembro de 2004)
2005
Detalhes
Argentina
Boca Juniors
Campeão da Sul-Americana 2004
3 – 1
1 – 2
4 – 3
Colômbia
Once Caldas
Campeão da Libertadores 2004
Ida: Buenos Aires, Argentina (24 de agosto de 2005)
Volta: Manizales, Colômbia (31 de agosto de 2005)
2006
Detalhes
Argentina
Boca Juniors
Campeão da Sul-Americana 2005
2 – 1
2 – 2
4 – 3
Brasil
São Paulo
Campeão da Libertadores 2005
Ida: Buenos Aires, Argentina (7 de setembro de 2006)
Volta: São Paulo, Brasil (14 de setembro de 2006)
2007
Detalhes
Brasil
Internacional
Campeão da Libertadores 2006
1 – 2
4 – 0
5 – 2
México
Pachuca
Campeão da Sul-Americana 2006
Ida: Pachuca, México (31 de maio de 2007)
Volta: Porto Alegre, Brasil (7 de junho de 2007)
2008
Detalhes
Argentina
Boca Juniors
Campeão da Libertadores 2007
3 – 1
2 – 2
5 – 3
Argentina
Arsenal de Sarandí
Campeão da Sul-Americana 2007
Ida: Sarandí, Argentina (13 de agosto de 2008)
Volta: Buenos Aires, Argentina (27 de agosto de 2008)
2009
Detalhes
Equador
LDU Quito
Campeão da Libertadores 2008
1 – 0
3 – 0
4 – 0
Brasil
Internacional
Campeão da Sul-Americana 2008
Ida: Porto Alegre, Brasil (25 de junho de 2009)
Volta: Quito, Equador (9 de julho de 2009)
2010
Detalhes
Equador
LDU Quito
Campeão da Sul-Americana 2009
2 – 1
0 – 0
2 – 1
Argentina
Estudiantes
Campeão da Libertadores 2009
Ida: Quito, Equador (25 de agosto de 2010)
Volta: Quilmes, Argentina (8 de setembro de 2010)
2011
Detalhes
Brasil
Internacional
Campeão da Libertadores 2010
1 – 2
3 – 1
4 – 3
Argentina
Independiente
Campeão da Sul-Americana 2010
Ida: Avellaneda, Argentina (10 de agosto de 2011)
Volta: Porto Alegre, Brasil (24 de agosto de 2011)
2012
Detalhes
Brasil
Santos
Campeão da Libertadores 2011
0 – 0
2 – 0
2 – 0
Chile
Universidad de Chile
Campeão da Sul-Americana 2011
Ida: Santiago, Chile (22 de agosto de 2012)
Volta: São Paulo, Brasil (26 de setembro de 2012)
2013
Detalhes
Brasil
Corinthians
Campeão da Libertadores 2012
2 – 1
2 – 0
4 – 1
Brasil
São Paulo
Campeão da Sul-Americana 2012
Ida: São Paulo, Brasil (3 de julho de 2013)
Volta: São Paulo, Brasil (17 de julho de 2013)
2014
Detalhes
Brasil
Atlético Mineiro
Campeão da Libertadores 2013
1 – 0
4 – 3 (pro)
5 – 3
Argentina
Lanús
Campeão da Sul-Americana 2013
Ida: Lanús, Argentina (16 de julho de 2014)
Volta: Belo Horizonte, Brasil (23 de julho de 2014)
2015
Detalhes
Argentina
River Plate
Campeão da Sul-Americana 2014
1 – 0
1 – 0
2 – 0
Argentina
San Lorenzo
Campeão da Libertadores 2014
Ida: Buenos Aires, Argentina (6 de fevereiro de 2015)
Volta: Buenos Aires, Argentina (11 de fevereiro de 2015)
2016
Detalhes
Argentina
River Plate
Campeão da Libertadores 2015
0 – 0
2 – 1
2 – 1
Colômbia
Santa Fe
Campeão da Sul-Americana 2015
Ida: Bogotá, Colômbia (18 de agosto de 2016)
Volta: Buenos Aires, Argentina (25 de agosto de 2016)
2017
Detalhes
Colômbia
Atlético Nacional
Campeão da Libertadores 2016
1 – 2
4 – 1
5 – 3
Brasil
Chapecoense
Campeão da Sul-Americana 2016
Ida: Chapecó, Brasil (4 de abril de 2017)
Volta: Medellín, Colômbia (10 de maio de 2017)

Títulos[editar | editar código-fonte]

Por equipe[editar | editar código-fonte]

Clube País Títulos Vices
Boca Juniors  Argentina 4 (1990, 2005, 2006 e 2008) 1 (2004)
River Plate  Argentina 2 (2015 e 2016) 2 (1997 e 1998)
São Paulo  Brasil 2 (1993 e 1994) 2 (2006 e 2013)
Internacional  Brasil 2 (2007 e 2011) 1 (2009)
LDU Quito Equador 2 (2009 e 2010) 0
Olimpia  Paraguai 2 (1991 e 2003) 0
Cruzeiro  Brasil 1 (1998) 2 (1992 e 1993)
Independiente  Argentina 1 (1995) 2 (1996 e 2011)
Atlético Nacional  Colômbia 1 (2017) 1 (1990)
Vélez Sársfield  Argentina 1 (1997) 1 (1995)
Atlético Mineiro  Brasil 1 (2014) 0
Cienciano  Peru 1 (2004) 0
Colo Colo  Chile 1 (1992) 0
Corinthians  Brasil 1 (2013) 0
Grêmio  Brasil 1 (1996) 0
Nacional Uruguai 1 (1989) 0
Santos  Brasil 1 (2012) 0
San Lorenzo  Argentina 0 2 (2003 e 2015)
Arsenal de Sarandí  Argentina 0 1 (2008)
Botafogo  Brasil 0 1 (1994)
Chapecoense  Brasil 0 1 (2017)
Estudiantes  Argentina 0 1 (2010)
Lanús  Argentina 0 1 (2014)
Once Caldas  Colômbia 0 1 (2005)
Pachuca  México 0 1 (2007)
Racing  Argentina 0 1 (1989)
Santa Fe  Colômbia 0 1 (2016)
Universidad de Chile  Chile 0 1 (2012)

Por país[editar | editar código-fonte]

País Títulos Vices
 Brasil 9 7
 Argentina 8 12
Equador 2 0
 Paraguai 2 0
 Colômbia 1 3
 Chile 1 1
 Peru 1 0
Uruguai 1 0
 México 0 1

Por competição[editar | editar código-fonte]

Competição Títulos Vices
Copa Libertadores da América 17 (1989, 1991, 1992, 1993, 1994, 1996, 1998, 2003, 2007, 2008, 2009, 2011, 2012, 2013, 2014, 2016, 2017) 8 (1990, 1995, 1997, 2004, 2005, 2006, 2010, 2015)
Copa Sul-Americana 5 (2004, 2005, 2006, 2010, 2015) 10 (2003, 2007, 2008, 2009, 2011, 2012, 2013, 2014, 2016, 2017)
Supercopa Sul-Americana 5 (1990, 1991, 1994, 1995, 1997) 5 (1989, 1992, 1993, 1996, 1998)
Copa Conmebol 0 1 (1994)

Participações[editar | editar código-fonte]

Clubes Participações
Argentina Boca Juniors 5
Brasil São Paulo 4
Argentina River Plate 4
Argentina Independiente 3
Brasil Cruzeiro 3
Brasil Internacional 3
Argentina San Lorenzo 2
Argentina Vélez Sarsfield 2
Colômbia Atlético Nacional 2
Equador LDU de Quito 2
Paraguai Olimpia 2
Argentina Arsenal de Sarandí 1
Argentina Estudiantes 1
Argentina Lanús 1
Argentina Racing 1
Brasil Atlético Mineiro 1
Brasil Botafogo 1
Brasil Chapecoense 1
Brasil Corinthians 1
Brasil Grêmio 1
Brasil Santos 1
Chile Colo-Colo 1
Chile Universidad de Chile 1
Colômbia Santa Fe 1
Colômbia Once Caldas 1
México Pachuca 1
Peru Cienciano 1
Uruguai Nacional 1

Artilharia[editar | editar código-fonte]

Ano Jogador Equipe Gols
1989 Uruguai Daniel Fonseca Uruguai Nacional 1
1990 Argentina Diego Latorre Argentina Boca Juniors 1
1991
1992
1993
1994 Brasil Roberto Cavalo Brasil Botafogo 1
Brasil Euller Brasil São Paulo
Brasil Guilherme
Brasil Leonardo
1995 Argentina José Serrizuela Argentina Independiente 1
1996 Brasil Adílson Brasil Grêmio 1
Brasil Carlos Miguel
Brasil Jardel
Brasil Paulo Nunes
Argentina Jorge Burruchaga Argentina Independiente
1997 Argentina Enzo Francescoli Argentina River Plate 1
Paraguai José Luis Chilavert Argentina Vélez Sársfield
1998 Brasil Geovanni Brasil Cruzeiro 2
2003 Paraguai Julio César Enciso Paraguai Olímpia 1
Uruguai Hernán Rodrigo López
2004 Argentina Carlos Tévez Argentina Boca Juniors 1
Colômbia Rodrigo Saráz Peru Cienciano
2005 Argentina Sebastián Battaglia Argentina Boca Juniors 1
Argentina Neri Cardozo
Argentina Juan González
Argentina Rolando Schiavi
Colômbia Mauricio Casierra Colômbia Once Caldas
Colômbia Édinson Chará
Colômbia Rubén Velásquez
2006 Argentina Rodrigo Palacio Argentina Boca Juniors 3
2007 Brasil Alexandre Pato Brasil Internacional 2
Argentina Christian Giménez México Pachuca
2008 Argentina Rodrigo Palacio Argentina Boca Juniors 2
2009 Argentina Claudio Bieler Equador LDU de Quito 2
2010 Argentina Hernán Barcos Equador LDU de Quito 2
2011 Brasil Leandro Damião Brasil Internacional 3
2012 Brasil Bruno Rodrigo Brasil Santos 1
Brasil Neymar
2013 Brasil Aloísio Brasil São Paulo 1
Brasil Danilo Brasil Corinthians
Brasil Renato Augusto
Brasil Romarinho
Peru Paolo Guerrero
2014 Brasil Diego Tardelli Brasil Atlético Mineiro 2
2015 Uruguai Carlos Sánchez Argentina River Plate 2
2016 Uruguai Horacio Salaberry Colômbia Santa Fe 1
Argentina Lucas Alario Argentina River Plate
Argentina Sebastián Driussi
2017 Colômbia Andrés Ibargüen Colômbia Atlético Nacional 2
Colômbia Dayro Moreno

Dados e estatísticas[editar | editar código-fonte]

  • Houve dois outros torneios organizados pela CONMEBOL com o nome de "Recopa", ambos sem qualquer ligação com a Recopa Sul-Americana: a Recopa dos Campeões Intercontinentais, realizada em 1968 e 1969, e a Recopa Sul-Americana de Clubes, disputada em 1970 e 1971.
  • O Boca Juniors é o clube com mais títulos conquistados, 4 no total. É também o clube com mais participações, estando presente em cinco oportunidades, e com o maior número de partidas realizadas pela competição, 8 ao todo.
  • Os brasileiros Telê Santana e Levir Culpi, o uruguaio Luis Cubilla e o argentino Alfio Basile são os treinadores que mais venceram a Recopa, com 2 títulos cada: Telê em 1992 e 1993, pelo São Paulo; Levir em 1998 e 2014, pelos rivais Cruzeiro e Atlético, respectivamente; Cubilla em 1991, ano em que o Olimpia foi declarado vencedor sem a necessidade de entrar em campo, e em 2003, também pelo clube paraguaio; Basile em 2005 e 2006, pelo Boca Juniors.
  • O paraguaio Juan Escobar Valdez e o chileno Carlos Chandía são os árbitros que mais apitaram jogos da Recopa: três vezes cada.
  • O argentino Rodrigo Palacio é o maior artilheiro da competição, com 5 gols marcados (três em 2006 e dois em 2008), todos pelo Boca Juniors. Junto com Leandro Damião são os únicos a marcar mais de um gol em uma mesma partida: Palacio dois na vitória de seu time sobre o São Paulo por 2 a 1, na primeira partida da edição de 2006, em Buenos Aires, e Damião no jogo de volta contra o Club Atlético Independiente em 2011, quando o Internacional venceu por 3 a 1 no Beira-Rio.
  • O paraguaio Claudio Morel Rodríguez e o argentino Rodrigo Palacio são os jogadores que mais participaram da Recopa: 6 jogos. Morel Rodríguez disputou uma partida pelo San Lorenzo em 2003; pelo Boca Juniors, uma em 2004, duas em 2006 e duas em 2008. Palacio disputou todas pelo Boca Juniors: duas em 2005, em 2006 e em 2008.
  • O Internacional aplicou a maior goleada da história da competição: 4 a 0 sobre o Pachuca, em 2007.
  • O Brasil foi o único país à conseguir quatro campeões consecutivos: o Internacional em 2011, o Santos em 2012, o Corinthians em 2013 e o Atlético Mineiro em 2014.
  • Os gols contra de Gustavo Gómez e Víctor Ayala, ambos do Lanús, em 2014, foram os primeiros e, por enquanto, únicos gols contra do torneio.
  • O River Plate é o único clube que ganhou a Recopa e a Copa Suruga no mesmo ano, tendo conquistado-as em 2015.
  • O país com mais edições e jogos em seu território é a Argentina: 10 edições e 12 jogos, sendo 6 jogos como ida e 6 como volta.
  • A cidade com mais edições e jogos em seu território é Buenos Aires: 7 edições e 8 jogos, sendo 3 como ida e 5 como volta.
  • Das 25 edições, 16 tiveram pelo menos um time argentino e 13 pelo menos um brasileiro.
  • O tipo de confronto mais comum é Brasil x Argentina (5 vezes), seguido por Argentina x Argentina (4 vezes), Brasil x Brasil (3 vezes), Argentina x Colômbia (3 vezes), Brasil x Chile (2 vezes), Argentina x Uruguai, Argentina x Peru, Argentina x Paraguai, Brasil x México, Brasil x Equador, Argentina x Equador e Brasil x Colômbia (os sete últimos com 1 vez cada). Nenhuma final foi feita sem clubes brasileiros ou argentinos, enquanto que bolivianos e venezuelanos são os únicos que nunca a disputaram.

Notas

  1. Pelo regulamento o São Paulo, campeão da Copa Libertadores de 1993 e Supercopa Libertadores de 1993, seria considerado automaticamente o campeão da Recopa Sul-Americana de 1994, sem haver necessidade de disputa pois conquistou ambos os torneios. Mas somente naquele ano a Conmebol, resolveu convidar o Botafogo, campeão da Copa Conmebol de 1993, para disputar o título em uma partida realizada em Kobe, no Japão

Referências

  1. «Em reencontro, A. Nacional goleia Chape e fatura Recopa Sul-Americana». UOL Esporte. 10 de maio de 2017. Consultado em 10 de maio de 2017 
  2. «River Plate pode conquistar bicampeonato automático da Recopa». Fox Sports. 6 de agosto de 2015. Consultado em 2 de dezembro de 2015 
  3. a b c d e f «Nike presentó la nueva pelota para el Torneo» (em espanhol). Info Bae. 13 de janeiro de 2010. Consultado em 12 de janeiro de 2010 
  4. «La CSF mostró el balón de la Copa Libertadores 2008» (em espanhol). El Comercio. 13 de janeiro de 2010. Consultado em 12 de janeiro de 2010 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]