Recuerdos de la Alhambra

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Recuerdos de la Alhambra (Memórias da Alhambra) é uma peça para violão erudito do compositor e guitarrista espanhol Francisco Tárrega.

Um virtuoso em seu instrumento, Tárrega era conhecido como o "Sarasate do violão." Seu repertório incluia muitas compsições originais para o violão (Capricho Árabe, Danza Mora, et al.) assim como arranjos de obras escritas para outros instrumentos de compositores como Ludwig van Beethoven, Frédéric Chopin e Felix Mendelssohn. Da mesma forma que seu amigo Isaac Albéniz e muitos de seus contemporâneos espanhóis, Tárrega tinha interesse em combinar a tendência romântica prevalecente na música clássica com elementos do folclore espanhol, o que ele fez com Recuerdos de la Alhambra e suas transcrições para violão de várias das peças para piano de Albeniz (notavelmente Asturias (Leyenda)).

Recuerdos de la Alhambra compartilha o título com a tradução para a língua espanhola do livros de Washington Irving de 1832 "Tales of the Alhambra," escrito durante a estada de quatro anos na Espanha.

A peça pode ser ouvida na trilha sonora de Mike Oldfield para o filme Os Gritos do Silêncio e também no filme Sideways.

Notas na performance[editar | editar código-fonte]

A peça utiliza uma técnica desafiadora do violão erudito conhecida como 'tremolo', em que uma única nota melódica é atacada repetidamente pelos dedos anular, mádio e indicador numa sucessão tão rápida que o resultado é uma ilusão de uma longa nota suspensa. Nessa peça, o polegar toca o baixo entre os ataques melódicos. A mudança de tonalidade para lá maior no meio da peça é tocada em um andamento mais rápido que o restante da peça. Muitas pessoas que ouvem uma gravação desta peça pela primeira vez podem achar que se trata de um duo em vez de um solo desafiador.