Red Flag Linux

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Red Flag Linux/红旗Linux
Logotipo

Captura de tela
Screenshot da versão 9.0
Desenvolvedor Academia Chinesa de Ciências
Arquiteturas arm mips ppc ppc64 x86 x86-64
Modelo do desenvolvimento Software Livre
Lançado em 7 de julho de 1999 (22 anos)
Versão estável 10.0 / 1 de janeiro de 2020; há 21 meses
Versão em teste 11.0 v1 / 2 de junho de 2021; há 4 meses
Língua natural Chinês
Mercado-alvo Usuários comuns
Família Asianux
Núcleo Linux
Método de atualização extrip
Gerenciamento de pacotes extript
Interface KDE
Licença GNU GPL / Outras
Estado do desenvolvimento Corrente
Website https://www.chinaredflag.cn
Origem comum  China
Portal do Software Livre
Disambig grey.svg Nota: Não confundir com Red Star OS.

O Red Flag Linux (chinês simplificado: 红旗Linux; pinyin: Hóngqí Linux), em tradução livre “Linux Bandeira Vermelha”, é uma distribuição linux financiada pelo governo chinês com o intuito de apresentar uma alternativa de software livre e código aberto a produtos da Microsoft na China[1]. O sistema operacional é otimizado especificamente para a língua chinesa.

O lançamento da primeira versão se deu em agosto de 1999[2]. O OS foi desenvolvido a partir do Red Hat Linux e Fedora Linux, e possui um instalador semelhante ao do segundo. A logo do sistema operacional apresenta o pinguim Tux segurando uma bandeira vermelha

História[editar | editar código-fonte]

O desenvolvimento do Red Flag Linux é feito pelo Instituto de Software da Academia Chinesa de Ciências, e a primeira versão foi lançada em agosto de 1999. O sistema operacional é financiado por diversas empresas de propriedade do estado chinês, entre elas a Shanghai NewMargin Venture[3], que ajudou a formar a Red Flag Software Co. em junho de 2000.

O uso das primeiras versões do sistema foi planejado para instituições oficiais das forças armadas e do governo, e a adaptação para o uso em computadores pessoais veio depois[4]. O Windows, na época o sistema operacional mais popular no mercado chinês, era quase inacessível à maioria da população devido a seu custo.

Ainda em 2000, após a falha do projeto Microsoft Venus, um sistema operacional para computadores de baixo custo na china desenvolvido pela Microsoft, todos os ministérios do governo chinês foram instruídos a abandonar o Windows 2000 em favor do Red Flag Linux[5].

Área de trabalho do Red Flag Linux versão 5.0

Embora a empresa Red Flag Software Co tenha sido fechada em 2005[6], o sistema operacional continua sendo desenvolvido. Em 2006. a Red Flag Linux passou a participar da Open Source Development Labs[7]. Em novembro de 2008, todos os Cibercafés em Nanchang passaram a usar o sistema operacional em seus servidores[8].

Características[editar | editar código-fonte]

As primeiras versões do Red Flag Linux eram visualmente semelhantes ao Windows XP e Windows 2000, visando facilitar a transição entre os sistemas[2]. As versões mais recentes usam o ambiente de trabalho KDE. O navegador padrão é o Chromium desde a versão 10.0, de 2020; Porém existem planos para substitui-lo futuramente pelo Red Flag Browser, atualmente em versão de teste[9].

O Equation Group, uma APT estadunidense associada à Agência de Segurança Nacional, possui ferramentas especializadas para o Red Flag Linux[10].

Histórico de versões[editar | editar código-fonte]

Lançamentos
Versão Data de lançamento Codinome
1.0 20 de setembro de 1999
2.0 18 de outubro de 2000
2.4 28 de abril de 2001
3.0 2 de abril de 2002
3.2 12 de agosto de 2002
4.0 14 de julho de 2003
4.1 5 de novembro de 2004
5.0 11 de novembro de 2005 Apatite
6.0 29 de setembro de 2007
7.0 14 de abril de 2009
8.0 23 de abril de 2013 inWise
9.0 2017 Taihang
10.0 2020
11.0 2021
Cor Legenda
Vermelho Versão antiga; sem suporte técnico
Amarelo Versão antiga; ainda com suporte técnico
Verde Versão atual
Azul Versão futura (em desenvolvimento)


Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Red Flag Linux». DistroWatch. 3 de dezembro de 2019. Consultado em 27 de setembro de 2021 
  2. a b Searls, Doc (30 de janeiro de 2002). «Raising the Red Flag» [Levantando a Bandeira Vermelha]. Linux Journal (em inglês). Consultado em 27 de setembro de 2021 
  3. With HP’s help, China's Red Flag Linux to step onto global stage. In Computerworld. 4. September 2003 (computerworld.com).
  4. Rote Flagge gegen Windows-Vorherrschaft. Red Flag launcht Open Source Betriebssystem Chinese 2000. pressetext.com
  5. «Microsoft in China: Clash of titans» [China e Microsoft: Batalha de titãs]. CNN (em inglês). 23 de fevereiro de 2000. Consultado em 24 de setembro de 2021. Cópia arquivada em 22 de outubro de 2008 
  6. Oberholzer-Gee, Felix; Khanna, Tarun; Lane, David; Raabe, Elizabeth A. «Red Flag Software Co.». Harvard Business School. Harvard Business School 
  7. Paul, Ryan (14 de setembro de 2006). «Red Flag Linux distributor joins OSDL» [Distribuição Red Flag Linux entra na OSDL]. Ars Technica (em inglês). Consultado em 27 de setembro de 2021 
  8. Lemon, Summer (2 de outubro de 2008). «Chinese City Requires Net Cafes to Use Legitimate Software» [Cidade chinesa exige que cibercafés usem software legítimo]. PCWorld (em inglês). Consultado em 30 de setembro de 2021 
  9. «红旗浏览器V1.0.0.1正式发布» Hóngqí liúlǎn qì V1.0.0.1 Zhèngshì fǎ bù [O Red Flag Browser V1.0.0.1 foi lançado oficialmente]. Red Flag Linux (em chinês). 22 de maio de 2021. Consultado em 30 de setembro de 2021 
  10. Gallagher, Sean (10 de abril de 2017). «In slap at Trump, Shadow Brokers release NSA EquationGroup files» [Com um tapa na cara de Trump, Shadow Brokers publicam arquivos do EquatioGroup da NSA]. Ars Technica (em inglês). Consultado em 27 de setembro de 2021