Red Star OS

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Red Star OS/붉은별 사용자용체계
Logotipo

Captura de tela
Desktop do Red Star OS 3.0, em coreano no dialeto do norte.
Desenvolvedor Centro de Computação da Coreia
Arquiteturas arm x86 x86-64
Modelo do desenvolvimento Proprietário, com elementos de Software Livre
Lançado em 1 de janeiro de 1998 (23 anos)
Versão estável 4.0 / 7 de janeiro de 2017; há 4 anos
Língua natural Coreano
Mercado-alvo Computadores pessoais e servidores
Família Fedora Linux
Núcleo Linux
Gerenciamento de pacotes RPM
Interface KDE
Licença Proprietária
Estado do desenvolvimento Corrente
Origem comum Coreia do Norte
Portal do Software Livre
Disambig grey.svg Nota: Não confundir com Red Flag Linux.

O Red Star OS (hangul: 붉은별; rr: Pulgunbyol), em tradução livre “OS Estrela Vermelha”, é o sistema operacional mais comum da Coreia do Norte para computadores[1][2] e celulares como o Samjiyon[3]. O sistema é uma distribuição linux desenvolvida pelo Centro de Computação da Coreia para uso interno no país, utilizando a língua coreana na variedade do norte. Também existem versões em chinês, japonês e inglês.

O desenvolvimento se iniciou em 1998 com a versão 1.0. Antes disso, os computadores da Coreia do Norte geralmente usavam Windows XP[4] ou Red Hat Linux[1]. A versão mais recente é a 4.0, lançada em janeiro de 2017 e, até o momento, usada mais em computadores de instituições governamentais e educacionais do que computadores pessoais[5]. A logo da distribuição é uma estrela vermelha estilizada.

Características[editar | editar código-fonte]

O Red Star OS é baseado no ambiente gráfico KDE (KDE 3 até a versão 2.0, KDE 4 da versão 3.0 em diante). Visualmente, as versões mais recentes do sistema se assemelham ao MacOS[6], possivelmente devido à preferencia do líder Kim Jong-un por esse sistema[7].

Um navegador de internet baseado no Mozilla Firefox chamado Naenara[8] (hangul: 내나라, "Minha Pátria") vem instalado com o Red Star OS. O navegador pode ser usado para acessar a intranet coreana Kwangmyong. Outros programas pré-instalados incluem um editor de texto, uma suíte de escritório chamada Sogwang Office (desde a versão 3.0), um cliente de e-mail, reprodutores de mídia e alguns videogames[9][10]. Todas as versões incluem a camada de compatibilidade Wine, utilizada para executar alguns programas feitos para Windows[6].

Histórico[editar | editar código-fonte]

Tela de boot do Red Star OS 1.0

Versão 1.0[editar | editar código-fonte]

A primeira versão foi lançada em 2008, e seu desenvolvimento começou em 2006. O sistema era esteticamente próximo ao Windows XP, mas incluía apenas o navegador Naenara, uma suíte de aplicativos de escritório chamada Uri 2.0 e Wine.

Até hoje, nenhuma cópia foi vazada online. Somente screenshots oficiais estão disponíveis[10].

Videogames incluídos no Red Star OS 2.0

Versão 2.0[editar | editar código-fonte]

O desenvolvimento da versão 2.0 se deu logo após o lançamento da versão 1.0. Assim como a versão anterior, era visualmente baseado no Windows XP. O sistema operacional passa a usar um layout de teclado coreano próprio, otimizado para o dialeto da Coreia do Norte[11]. Nesta versão, o Uri 2.0 ainda era usado como suíte de escritório[12]. A versão 2.0 é a versão mais antiga disponível na internet, mas apenas em coreano.

Versão 3.0[editar | editar código-fonte]

Está é a versão sobre a qual mais se tem informação. Ela foi lançada em 2012[13], e o visual replicava fortemente os computadores da apple. A nova versão suporta endereços de IP IPv4 e IPv6. A versão 3.0 é a versão mais recente disponível na internet, disponível em chinês, coreano e inglês.

O sistema operacional vem com uma série de aplicações cuja função é monitorar o usuário[14]. Qualquer tentativa de desativá-las leva o sistema a se autodestruir ou a entrar em um loop de reinicialização, o inutilizando. O sistema também possui uma aplicação de marca d’água que cataloga todo conteúdo que passa pelo computador, permitindo às autoridades norte-coreanas rastrear o contrabando de dados via pendrive no país. Adicionalmente, o sistema também inclui um “anti-virus” capaz de remover arquivos censurados pelo governo da Coreia do Norte.

Sogwang Office no Red Star OS 3.0

Usuários não tem privilégios de superusuário por padrão, mas isso pode ser mudado com um aplicativo pré-instalado. Ainda assim, existem arquivos que não podem ser abertos nem pelo root, e durante a inicialização o sistema verifica extensivamente se esses arquivos foram alterados ou não[14].

Para instalar o Red Star OS 3.0, é recomendado ao menos[15]:

Requisito Desktop
Processador 800 MHz Intel Pentium III
Memória RAM 256 MB
Disco rígido (espaço livre) 3 GB
Mídia Pendrive ou DVD com a mídia de instalação (ISO)

Versão 4.0[editar | editar código-fonte]

A versão 4.0 foi lançada oficialmente em janeiro de 2017[5]. A nova versão já é usada pelos sites nacionais norte-coreanos da Air Koryo, Voz da Coreia e do jornal norte-coreano para público internacional, The Pyongyang Times, de acordo com o header HTTP. Existem três variações do Red Star OS 4.0: Uma para servidores, uma para usuários e uma para sistemas de virtualização[16].

A nova versão utiliza o VirtualBox da Oracle[17] e utiliza uma versão do Naenara baseada em um firefox mais recente[18], além do Sogwang Office 4.0[16].

OS Móvel[editar | editar código-fonte]

Os diversos aparelhos móveis produzidos na Coreia do Norte operam com uma versão adaptada dos sistemas Android[3]. De forma similar ao Red Star OS para desktop, a versão móvel tende a refletir as escolhas estéticas da apple[19]. Entre os programas incluídos estão o Naenara móvel, reprodutores de mídia, um dicionário, uma enciclopédia em coreano, materiais educativos e diversos jogos, incluindo, em certas versões, Angry Birds[20]

Cobertura midiática[editar | editar código-fonte]

A cobertura midiática do Red Star OS é feita principalmente por fontes ligadas à Coreia do Norte, Diáspora coreana ou à Coreia do Sul. Em 2006 o jornal Choson Sinbo, ligado a norte-coreanos vivendo no Japão e apoiador do governo norte-coreano, redigiu uma reportagem sobre uma versão primitiva do sistema[4]. Em 2013, uma cópia da versão 3.0 foi comprada por um professor estadunidense na Universidade de Ciência e Tecnologia de Pyongyang e levada à Coreia do Sul e Alemanha, e posteriormente disponibilizada na internet. A cobertura mais detalhada do funcionamento do Red Star OS 3.0 foi feita durante a Chaos Communication Congress de 2015.

Em julho de 2020, o jornal sul-coreano NKEconomy obteve cópias da versão 4.0 e publicou uma série de artigos sobre o Red Star OS[17][18][16], incluindo imagens do sistema em uso.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Jakhar, Pratik (26 de dezembro de 2018). «Como a Coreia do Norte quer usar alta tecnologia para ampliar poder e reestruturar economia». BBC news Brasil. Consultado em 25 de setembro de 2021 
  2. «O Linux da Coreia do Norte é meio paranoico». Tecnoblog. 28 de dezembro de 2015. Consultado em 24 de setembro de 2021 
  3. a b «Samjiyon: o tablet da Coreia do Norte é robusto e tem antena de TV». TecMundo. 2 de agosto de 2013. Consultado em 24 de setembro de 2021 
  4. a b «〈민족정보산업의 부흥 -상-〉 《우리식 콤퓨터조작체계(OS) 》의 개발과 도입» 〈minjokjeongbosaneobui buheung -sang-〉 《urisik kompyuteojojakchegye(OS) 》ui gaebalgwa doip ["Renascimento da Indústria Nacional da Informação -Sang-" Desenvolvimento e introdução do "Nosso estilo de sistema operacional (OS) de computador"]. Choson Sinbo (em coreano). 23 de dezembro de 2007. Consultado em 24 de setembro de 2021 
  5. a b «Red Star 4 appears in a workplace learning system» [Red Star 4 aparece em computador educacional]. North Korea Tech (em inglês). 2 de novembro de 2020. Consultado em 24 de setembro de 2021 
  6. a b «North Korea's Red Star OS goes mac» [Red Star OS da Coreia do Norte vira Mac]. North Korea Tech (em inglês). 31 de janeiro de 2014. Consultado em 24 de setembro de 2021 
  7. «North Korean computers get 'Apple' makeover» [Computadores norte-coreanos ganham um visual da 'apple']. The Telegraph (em inglês). 5 de fevereiro de 2014. Consultado em 24 de setembro de 2021 
  8. «Naenara Red Star OS: Exploring a North Korean Computer & Internet» [Naenara Red Star OS: Explorando o computador e a internet norte-coreana]. Koryo Tours (em inglês). 20 de novembro de 2019. Consultado em 24 de setembro de 2021 
  9. «You can now install the North Korean operating system RedStar-3.0» [Agora você pode instalar o sistema operacional original da Coreia do Norte RedStar 3.0]. Vice (em inglês). 7 de janeiro de 2015. Consultado em 24 de setembro de 2021 
  10. a b «NK Goes for Linux-Based Operating System» [CN escolhe um sistema operacional baseado em linux]. The Korea Times (em inglês). 4 de dezembro de 2010. Consultado em 24 de setembro de 2021 
  11. «Red Star OS 2.0 Linux Desktop». Internet Archive. 29 de junho de 2016. Consultado em 25 de setembro de 2021 
  12. «Downloads». Opening Up North Korea. 30 de dezembro de 2014. Consultado em 25 de setembro de 2021 
  13. «Red Star 3.0 desktop finally becomes public» [Red Star 3.0 desktop finalmente vem ao público]. North Korea Tech (em inglês). 30 de dezembro de 2014. Consultado em 24 de setembro de 2021 
  14. a b «Lifting the Fog on Red Star OS» [Tirando a neblina sobre o Red Star OS]. Mediaccc.de (em inglês). 27 de dezembro de 2015. Consultado em 24 de setembro de 2021 
  15. «North Korea's Red Star OS takes the 'open' out of 'open source'» [Red Star OS da Coreia do Norte tira o 'livre' de 'software livre']. endgaget (em inglês). 4 de março de 2010. Consultado em 25 de setembro de 2021 
  16. a b c «붉은별4.0 서광 오피스에서 MS워드 파일 편집 가능하다» [Seogwang Office do Red Star 4.0 pode editar arquivos do MS Word]. NKEConomy (em coreano). 23 de junho de 2020. Consultado em 24 de setembro de 2021 
  17. a b «북한 붉은별4.0에 오라클 버추얼박스를 탑재하고 있다» [Red Star 4.0 da Coreia do Norte usa Oracle VirtualBox]. NKEConomy (em coreano). 15 de junho de 2020. Consultado em 24 de setembro de 2021 
  18. a b «북한 붉은별 4.0의 기본 브라우저는? 파이어폭스» [Navegador padrão da Coreia do Norte é Firefox]. NKEconomy (em coreano). 6 de julho de 2020. Consultado em 24 de setembro de 2021 
  19. «Seria o novo celular da Coreia do Norte uma cópia do iPhone ou do Galaxy S?». TecMundo. 27 de junho de 2017. Consultado em 25 de setembro de 2021 
  20. «Did North Korea pirate Angry Birds?» [A Coreia do Norte pirateou o Angry Birds?]. North Korea Tech (em inglês). 11 de novembro de 2013. Consultado em 24 de setembro de 2021