Red and anarchist black metal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Red and anarchist black metal
Origens estilísticas Black metal
Crust punk
Contexto cultural Meados da década de 1990 - década de 2000 América do Norte e América do Sul
Instrumentos típicos Bateria, baixo, guitarra, vocal, Teclado
Popularidade Underground
Formas regionais
Estados Unidos  • Canadá  • Reino Unido  • Brasil  • Alemanha  • Rússia  • Ucrânia  • Itália

Red and anarchist black metal (também conhecido como RABM) é um subgênero do Black metal que promove ideologias como Anarquismo, Ambientalismo ou Marxismo.[1][2][3][4] Certos fundadores do Black metal tinham opiniões de extrema esquerda. Euronymous do Mayhem foi declarado stalinista, os membros do Sarcófago eram comunistas anticristãos e Fenriz do Darkthrone declarou ter sido socialista no final dos anos 1980 e ter passado de um extremo político a outro (mesmo tendo sido preso por protestar contra Apartheid[5]). De sua parte, isso foi contestado por Varg Vikernes e seus pontos de vista de extrema direita. No entanto, nenhum desses músicos propagou abertamente sua ideologia em sua música.

O RABM surgiu como uma resposta ao black metal nacional-socialista, pelo grupo argentino Profecium em 1993 (que era anarquista na época) e massificado pelo grupo canadense Iskra em meados de 2000. Nasceu das mãos de bandas radicadas no Crust punk.[6]

Este estilo é ideológico por natureza, as letras das bandas enfocam temas violentos, anarquismo, comunismo, ódio à sociedade atual, luta de classes, antifascismo, pró-ambientalismo, satanismo e anti-cristianismo.[7][8][9]

O som das bandas RABM aparentemente também difere do Black metal comum, em muitos casos as bandas misturam o som do crust punk (principalmente anarquista) ou Ambient black metal com elementos do Post-rock (Panopticon, Wheels Within Wheels, All the Cold, Skagos, Adamennon)[10], também há bandas que incorporam elementos do Pagan metal e Viking Metal​ (Sorgsvart, Lake of Blood, Borgazur) e outras que incorporam elementos do Shoegaze (Violet Cold) e do Death Metal (Hereticae, Vociferatus).

Dentro das bandas comunistas, há uma corrente mais politizada com bandas como Jarost Marksa, Larva ov Cum e Profecium, e outras que se concentram em temas mais comuns do Black metal, fazendo apologia às ações cometidas por diferentes regimes comunistas, o Terror Vermelho e a perseguição do cristianismo durante a União Soviética stalinista, como Мракобесие (da Rússia) e Agony (dos Estados Unidos), que fazem pontes diretas entre o stalinismo e o satanismo. Bandas de Black metal também surgiram inspirando-se no militarismo comunista, como Катюша, Voland ou Sibat.

Durante a Pandemia de COVID-19, ocorreu a primeira live brasileira de bandas autodescritas RABM organizada pelo Blog NoiseRed a Legião Libertária.[11] Contando as participações das bandas brasileiras Pessimista, Vociferatus, Vazio, A Plague, Caos Onipresente, Ioroque, Vermgod, Heteriah, Desista, Imminent Doom, Bleak Wind, Atéia, Hereticae, Gomorraa, Carniçal, bem como a Feminazgul (dos Estados Unidos), Trespasser (da Ucrânia), Order of The Wolf (da Escócia) e Etxegiña (do País Basco).

Algumas bandas[editar | editar código-fonte]

  • Wolves in the Throne Room
  • Panopticon
  • Iskra
  • Skagos
  • Profecium
  • Falls of Rauros
  • Hereticae
  • Vociferatus
  • Violet Cold
  • Feminazgul
  • Operation Volkstod
  • Мракобесие
  • Pessimista
  • Trespasser
  • Катюша
  • Larva ov Cum
  • Skvm
  • Neckbeard Deathcamp
  • Sankara
  • Yxxan
  • Ancst
  • Zeal and Ardor
  • Gravpel
  • Baneblade
  • Underdark
  • Kanonenfieber
  • Tumultuous Ruin
  • Terminal National
  • Parasiticide


Referências

  1. «De Zwaarste Metalgids: 66 metalgenres in één zin uitgelegd». Studio Brussel (em alemão). Consultado em 13 Julho 2021 
  2. Gevorgyan, Elen. «Music, Ideology and How They Interact: A Journey from Sacred Music to Black Metal» (PDF). American University of Armenia. Consultado em 13 Julho 2021 
  3. Nonjon, Adrien (2019). Black Metal Theory Symposium Program. University of Ljubljana. Consultado em 13 Julho 2021 
  4. «If It Ain't Got No Blastbeat, It's Not My Revolution: Panopticon». PopMatters. Consultado em 13 Julho 2021 
  5. «Copia archivada». Consultado em 28 de junho de 2010. Cópia arquivada em 10 de abril de 2009 
  6. RABM: Red and Anarchist Black Metal (music genre) en el sitio web Acronyms and abbreviations by the Free Online Dictionary.
  7. «SorgSvart - The Official Site - Biography». Consultado em 13 de julho de 2021 
  8. Justin Davisson "Extreme Politics and Extreme Metal: Strange Bedfellows or Fellow Travelers? Arquivado em 19 de outubro de 2013, no Wayback Machine.", p.17.
  9. «BELLVM GERITE - Interview with Antoine of Jarost Marksa». Consultado em 13 de julho de 2021. Cópia arquivada em 10 de abril de 2009 
  10. Entrevista con la banda Panopticon en el zine Boca Suja!. Arquivado em 7 de fevereiro de 2009, no Wayback Machine.
  11. Live RABM (Red and anarchist black metal) - Blog NoiseRed and Libertária Legião. Blog NoiseRed - Underground Manifesto. 19 de julho 2021. Em cena em dur: 02.44.41. Consultado em 14 de julho de 2021