Rede Brasileira de Informação

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo ou secção necessita de referências de fontes secundárias fiáveis publicadas por terceiros (desde fevereiro de 2018).
Por favor, melhore-o, incluindo referências mais apropriadas vindas de fontes fiáveis e independentes.
Fontes primárias, ou que possuem conflito de interesse geralmente não são suficientes para se escrever um artigo em uma enciclopédia.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Rede Brasileira de Informação
Cable-Link Operadora de Sinais de TV a Cabo Ltda.
Tipo Rede de televisão aberta
País  Brasil
Fundação 21 de janeiro de 2005 (13 anos)[nota 1]
Pertence a Grupo Objetivo
Proprietário João Carlos Di Genio
Presidente Fernando Di Genio Barbosa
Cidade de origem São Paulo São Paulo, SP
Sede Bandeira da cidade de São Paulo.svg São Paulo, SP
Rua Vergueiro, 1211, 12º andar - Paraíso
Formato de vídeo 480i (SDTV)
1080i (HDTV)
Canais irmãos
Afiliações
Emissoras afiliadas Lista de emissoras
Nome(s) anteriore(s) CBI (1995-2009)
Disponibilidade aberta e gratuita
Analógico
Digital
Disponibilidade por satélite
Sky
Canal 20
Claro TV
Canal 16
Oi TV
Vivo TV
Canal 234
Algar TV
Canal 710
GVT TV
Canal 247
StarOne C3
3890 MHz @ 2170 ksps, Horizontal (SDTV)
Disponibilidade por cabo
Viamax
Canal 33
Vivo TV
Canal 12
NET
Canal 22 (Brasília)
CaboNNet
Canal 60
Cabo Telecom
Canal 128
SGC A Cabo
Canal 99
TVN
Canal 17 (Canoas)
Supermidia
Canal 34
MultiPlay Telecom
Canal 29
SP2
Canal 11
TV Alphaville
Canal 12
Algar TV
Canal 21
Oi TV
Canal 26 (Rio de Janeiro)
TCM
Canal 84

Rede Brasileira de Informação (também conhecida por RBI TV) é uma rede de televisão brasileira sediada em São Paulo, capital do estado homônimo. Surgiu no dia 21 de janeiro de 2005, com o nome de Canal Brasileiro da Informação (CBI), sendo relançada com a denominação atual no dia 3 de novembro de 2014.[1] Pertence ao Grupo Objetivo, que também controla o canal de vendas Mega TV.

História[editar | editar código-fonte]

O Canal Brasileiro da Informação transmitiu, por muitos anos, o programa Shop Tour.[quando?][carece de fontes?] Em 2004, a Shop Tour consegue a concessão de um canal próprio na cidade de São Paulo, e deixa o CBI, que passa a transmitir um programa de vendas muito semelhante ao formato criado pelo empresário Luiz Galebe, que conseguiu uma liminar proibindo o formato por alguns dias.[2] Após algum tempo, a CBI passa a transmitir programas de entrevistas, e no dia 14 de novembro de 2009 sai do ar, dando lugar ao canal de vendas Mega TV.[carece de fontes?]

Mix TV (2014-2015)[editar | editar código-fonte]

O canal volta ao ar no dia 3 de novembro de 2014, agora atendendo pelo nome atual, substituindo o sinal da Mix TV, que passou a ficar disponível apenas na TV por assinatura. A Mix TV, por sua vez, entrou no lugar do seu canal-irmão, o SuperMix, que foi descontinuado.[3][4][5] Apesar disso, até o dia 31 de dezembro, a RBI ainda exibia programas da Mix TV.

TV UNIP, Mega TV e Igreja Plenitude (2015-2016)[editar | editar código-fonte]

A partir do dia 1 de janeiro de 2015, o canal começou a veicular programas produzidos pela TV UNIP, também do mesmo grupo que controla o canal.[6], além de retransmitir parte da programação da Mega TV, e cultos da Igreja Plenitude, que até então ocupava 17 horas da grade de segunda à sexta (das 19h00 ao meio-dia), e 14 horas aos sábados e domingos (das 19h00 às 9h00).[carece de fontes?]

Durante o mês de maio, a RBI lança novos programas como Edição Saúde e Espaço Mix, sendo esse último focado na cidade de São Paulo. A emissora também passa a arrendar meia hora de sua programação diária para a Igreja Pleno em Cristo.[carece de fontes?] Com a alteração, a programação da Mega TV passa a ser exibida das 15h30 às 16h30.[7]

A partir do dia 10 de junho, o canal, que até então veiculava as vinhetas de classificação da Mix TV, passou a exibir vinhetas próprias, passando assim por uma alteração para não confundir os telespectadores.[carece de fontes?] No dia 27 de novembro de 2015, a RBI lança seu sinal digital na capital paulista através do canal 08 VHF (14.1 virtual). Já no dia 10 de dezembro, lança seu sinal digital na cidade do Rio de Janeiro, através do canal 10 VHF (16.1 virtual).

Igreja Plenitude (2016-2018)[editar | editar código-fonte]

No dia 1 de janeiro de 2016, a RBI deixa de retransmitir a Mega TV, TV UNIP e produções independentes, passando a destinar toda sua programação para a Igreja Plenitude, mantendo apenas o News como único programa próprio da emissora, que antes tinha 30 minutos, passando a ter 1 hora e 20 minutos, e exibido das 5h00 às 6h20. A partir do dia 1 de março, o canal deixaria de transmitir a Igreja Plenitude na grade, mas a parceria encerra antecipadamente no dia 28 de fevereiro, quando passou a retransmitir a Igreja Mundial.[8] O canal também volta a exibir videoclipes, e as programações da Mega TV e da TV UNIP na grade.[9] A parceria dura pouco, e a partir do dia 13 de março, a RBI volta a retransmitir a TV Plenitude.

No dia 16 de fevereiro de 2018, por falta de pagamento, a presidência do Grupo Objetivo decidiu romper a parceria com a Igreja Plenitude, e à meia-noite do dia 17, a retransmissão da TV Plenitude pela RBI é cortada. Após isso, o canal passou a exibir vinhetas de identificação e videoclipes que eram veiculados pela antiga Mix TV.[10]

Programação[editar | editar código-fonte]

Até 2018, a programação da RBI era quase totalmente ocupada pela retransmissão da TV Plenitude, de propriedade da Igreja Apostólica Plenitude do Trono de Deus. Porém, a partir do dia 17 de fevereiro desse ano, com o rompimento da parceria com a igreja do Apóstolo Agenor Duque, a emissora passou a retransmitir videoclipes que eram veiculados pela antiga Mix TV. O restante da grade é preenchido com o News, jornalístico exibido em forma de boletim, que compila informações sobre diversos continentes.

Cobertura[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Lista de emissoras da RBI TV

Notas e referências

Notas

  1. O sinal da emissora foi substituído pelo da Mix TV entre 2009 e 2014.

Referências

  1. Wallace Lopes (4 de outubro de 2014). «Mix TV deixará a TV aberta e vira canal pago». TVs do RJ 
  2. Caio Felipe (7 de outubro de 2014). «História da TV: O Grupo MIX chega a Televisão Brasileira!». TV a Cabo & Digital. Consultado em 15 de junho de 2016 
  3. Wallace Lopes (4 de outubro de 2014). «Mix TV deixará a TV aberta e vira canal pago». TVs do RJ. Consultado em 12 de dezembro de 2015 
  4. Lucas Frade (3 de outubro de 2014). «Bomba! Mix TV vira canal pago!». Vcfaz 
  5. Eduardo Rangel (23 de outubro de 2014). «MixTV migra para a TV paga neste sábado; novo canal entra em seu lugar». NaTelinha. UOL. Consultado em 12 de dezembro de 2015 
  6. Wallace Lopes (8 de janeiro de 2015). «RBI deixa de exibir Mix TV para transmitir TV Unip, no sinal aberto». TVs do RJ. Consultado em 12 de dezembro de 2015 
  7. Wallace Lopes (11 de dezembro de 2015). «RBI entra no ar no sinal digital no Rio». TVs do RJ. Consultado em 12 de dezembro de 2015 
  8. Wallace Lopes (20 de fevereiro de 2016). «RBI não vai mais exibir Igreja Plenitude, a partir de março». TVs do RJ. Consultado em 20 de fevereiro de 2016 
  9. Wallace Lopes (28 de fevereiro de 2016). «Valdemiro entra no ar pela RBI, mas pode sair em breve sair da Ideal TV». TVs do RJ. Consultado em 28 de fevereiro de 2016 
  10. Philippe Azevedo (17 de fevereiro de 2018). «RBI TV deixa de transmitir cultos evangélicos e volta com a Mix TV». Observatório da Televisão. Consultado em 17 de fevereiro de 2018 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]