Referendos no Brasil

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Coat of arms of Brazil.svg
Parte da série sobre
Política do Brasil
Portal do Brasil

A Constituição Brasileira de 1988 prevê, em seu artigo 14, que o povo poderá exercer a democracia direta de três maneiras distintas, que são: plebiscito; referendo e iniciativa popular.

O Brasil, em sua história, realizou 4 plebiscitos, sendo que um deles só foi aplicado no estado do Acre no dia 31 de outubro de 2010 para escolher seu novo horário e o quarto foi realizado no dia 11 de dezembro de 2011 no estado do Pará.

1963[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Plebiscito de 1963

O Brasil já realizou um plebiscito sobre o sistema de governo, em 6 de janeiro de 1963, durante a gestão de João Goulart. O país havia adotado o parlamentarismo pouco depois que Jango assumira a presidência, em 7 de setembro de 1961, mas a maioria dos eleitores preferiu retornar ao sistema presidencialista.

1993[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Plebiscito de 1993

O plebiscito de 21 de abril de 1993 sobre o regime e o sistema de governo no Brasil (monarquia parlamentar ou república; parlamentarismo ou presidencialismo) é usualmente confundido com um referendo. Na ocasião, a maior parte do povo brasileiro optou por manter o regime republicano e o sistema presidencialista.

2005[editar | editar código-fonte]

Em 23 de outubro de 2005 foi realizado um referendo sobre a proibição da comercialização de armas de fogo e munições, com vistas à aprovação ou não do disposto no art. 35 da Lei nº 10.826, de 23 de dezembro de 2003, conhecida como Estatuto do desarmamento. Nesta consulta, a maioria do eleitorado preferiu votar pelo "não", isto é, contra a proibição.

2010[editar | editar código-fonte]

Em 31/10/10 foi escolhido no Acre o novo horário para o estado. Os acrianos decidiram optar pelo antigo horário que é menos duas horas em relação ao horário de Brasília

2011[editar | editar código-fonte]

Em 11 de dezembro de 2011, foi realizado um plebiscito, somente no estado do Pará,[1] sobre a aprovação ou não da divisão do estado em três, sendo eles: o próprio Pará, Carajás e Tapajós.[2] A população votou contra a criação dos dois novos estados.

2014[editar | editar código-fonte]

O plebiscito sobre a criação de dois distritos em Campinas ocorreu no referido município em 05 de outubro de 2014, que decidirá se as regiões de Ouro Verde e Campo Grande serão ou não elevadas à condição de distritos administrativos.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Supremo decide que Pará inteiro deve votar em plebiscito do desmembramento.». 24 de agosto de 2011. Consultado em 03 de setembro de 2011  Verifique data em: |access-date= (ajuda)
  2. «Aprovado plebiscito para criação do estado de Tapajós». 31 de maio de 2011. Consultado em 03 de setembro de 2011  Verifique data em: |access-date= (ajuda)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre o Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.