Microrregião Serrana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Região serrana fluminense)
Ir para: navegação, pesquisa
Serrana
Unidade federativa  Rio de Janeiro
Microrregiões limítrofes Macacu-Caceribu, Rio de Janeiro, Três Rios e Vassouras
Área 1 785,063 km²
População 481 123 hab. IBGE/2010
Indicadores
PIB R$ 13 782 959 000 IBGE/2013
PIB per capita R$ 28 647,47 IBGE/2013

A microrregião Serrana é uma das microrregiões do estado brasileiro do Rio de Janeiro pertencentes à mesorregião Metropolitana do Rio de Janeiro. Possui uma população, estimada em 2010 pelo IBGE foi de 481.123 habitantes, e está dividida em três municípios: São José do Vale do Rio Preto, Petrópolis, e Teresópolis.O município de Nova Friburgo, apesar de pertencer à microrregião de mesmo nome, geralmente é incluída por motivos históricos, e socioculturais.[1] O município mais influente da região é Petrópolis, por concentrar aproximadamente 70% do PIB regional, e deter o maior valor de IDH. [2]

Mesmo se tratando de cidades médias, segundo dados do IBGE, a região possui determinada influência dentro da economia brasileira, com um PIB maior que diversas capitais, e metrópoles do país. Os municípios se destacam pela fabricação de cerveja, vinhos, e chocolate, e por possuírem alguns polos têxteis de certa influência no estado. Algumas empresas brasileiras com determinada influência possuem sede na região, como o Grupo Petrópolis, e a rede varejista Mundo Verde, ambas situadas em Petrópolis. [3] [4] [5] [6] [7] [8]

Também conhecida como Serra Imperial os municípios tem características históricas e culturais únicas se comparados com as outras porções da serra fluminense, como por exemplo a presença da família real brasileira nas cidades de Petrópolis e Teresópolis, a proximidade com o Rio de Janeiro e a Baía de Guanabara e foi daí que se deu o início da ocupação da Serra Fluminense por colonos portugueses, e posteriormente alemães, suíços, belgas e japoneses nas terras de Petrópolis, Itaipava, São José do Vale do Rio Preto, Teresópolis, Guapimirim e Magé.

É bastante procurada pelos turistas e é conhecida por seu clima ameno durante boa parte do ano e por suas paisagens, que unem as montanhas da Serra dos Órgãos com a Mata Atlântica.

Sua temperatura média anual é de 17,7 graus celsius.

Municípios[editar | editar código-fonte]

Há muitos anos, essa região não pertence mais à região metropolitana do Rio de Janeiro (Grande-Rio).

Município Imagem Área (km²) População
em 2009[9]
PIB (R$)
em 2013
PIB per capita
em 2013
Bandeira petrópolis.jpg Petrópolis RiodeJaneiro Municip Petropolis.svg 774,606 315 119 9 459 036 000 31 736
Bandeira de Teresopolis.svg Teresópolis RiodeJaneiro Municip Teresopolis.svg 770,507 162 075 3 982 325 000 23 446
São José do Vale do Rio Preto.gif São José do Vale do Rio Preto RiodeJaneiro Municip SaoJosedoValedoRioPreto.svg 239,950 20 574 341 598 000 16 449

Referências

  1. «Aniversário de Nova Friburgo (RJ)» 
  2. «IBGE | Cidades | Rio de Janeiro | Petrópolis». cidades.ibge.gov.br. Consultado em 19 de janeiro de 2016 
  3. «Petrópolis assume 2º lugar no mercado de cervejas - Economia - Estadão». Estadão. Consultado em 19 de janeiro de 2016 
  4. «IBGE | Cidades | Rio de Janeiro | Petrópolis | Produto Interno Bruto dos Municípios - 2013». cidades.ibge.gov.br. Consultado em 19 de janeiro de 2016 
  5. «IBGE | Cidades | Rio de Janeiro | Nova Friburgo | Produto Interno Bruto dos Municípios - 2013». cidades.ibge.gov.br. Consultado em 19 de janeiro de 2016 
  6. «IBGE | Cidades | Rio de Janeiro | Teresópolis | Produto Interno Bruto dos Municípios - 2013». cidades.ibge.gov.br. Consultado em 19 de janeiro de 2016 
  7. «IBGE | Cidades | Rio de Janeiro | São José do Vale do Rio Preto | Produto Interno Bruto dos Municípios - 2013». cidades.ibge.gov.br. Consultado em 19 de janeiro de 2016 
  8. «Nova Friburgo no G1: Notícias, candidatos e a cobertura de eleições 2012». G1. Consultado em 19 de janeiro de 2016 
  9. «Estimativas da população para 1º de julho de 2009» (PDF). Estimativas de População. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 14 de agosto de 2009. Consultado em 16 de agosto de 2009