Reginho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Reginho
Informação geral
Nome completo Reginaldo Alves da Silva
Origem Recife, Pernambuco
País  Brasil
Gênero(s) Forró eletrônico
Instrumento(s) vocal
Período em atividade 2010 - atualmente

Reginaldo Alves da Silva ou simplesmente Reginho (Pernambuco) é um cantor e compositor brasileiro de brega que ganhou notoriedade nacional ao "roubar" da Banda Surpresa, banda que o acompanhava, o hit "Minha Mulher Não Deixa Não" no final de 2010, após tornar-se mais famoso que a banda, e descobrir que a música não era registrada.[1][2][3][4]

Biografia[editar | editar código-fonte]

No dia 24 de fevereiro de 2011, o ônibus que levava o Reginho e os integrantes da Banda Surpresa, do qual é líder, capotou em Jeremoabo, norte da Bahia e causou a morte do baixista do grupo, deixando uma das dançarinas gravemente ferida.[2][5] No mesmo mês do acidente, Reginho foi escolhido pelo Ministério da Saúde o garoto-propaganda para o lançamento da campanha de incentivo ao uso de camisinha durante o carnaval do Brasil. Em 2011 o cantor participou Carnaval de Salvador cantando a música Minha Mulher não Deixa não com a cantora Ivete Sangalo e a banda Asa de Águia. A música Minha Mulher não Deixa não foi a mais tocada em 2011 no Carnaval do Brasil.[6][7]

O Escândalo[editar | editar código-fonte]

No dia 29 de novembro de 2010, durante uma reunião entre os membros da Banda Surpresa, lançadora do hit Minha Mulher Não Deixa Não e que acompanhava Reginho em shows e apresentações televisivas, foi falado que a música não era registrada, conforme necessário para receber os direitos autorais e tinham planos de registrá-la o mais breve possível. Reginho, que estava presente na reunião, se dispôs a registrar a canção no dia seguinte, porem, sem que os músicos pudessem esperar, Reginho registrou a música em seu próprio nome, e na mesma semana demitiu os instrumentistas, dizendo que não precisaria mais deles, pois mudaria completamente seu gênero musical no ano de 2011, e desde já, naquele momento, não iria se apresentar mais como um cantor de forró eletrônico. Quando os compositores originais da música, os membros da Banda Surpresa, descobriram o "golpe" e a real intenção de Reginho, trataram de entrar na justiça contra ele, requerendo a reintegração dos direitos autorais, e uma indenização financeira por danos morais. A briga judicial para definir quem é o real compositor da música, se arrasta até os dias de hoje.

Notas e referências

  1. «Cantor de "Minha Mulher Não Deixa Não" vira ídolo em três meses». www1.folha.uol.com.br. Consultado em 28 de fevereiro de 2011  Verifique data em: |access-date= (ajuda)
  2. a b «'Voei dentro do ônibus', diz Reginho sobre acidente na Bahia». g1.globo.com. Consultado em 28 de fevereiro de 2011  Verifique data em: |access-date= (ajuda)
  3. «Dança da Pisadinha na boca de Ivete, Alexandre Pires e Aviões do Forró». correiobraziliense.com.br. Consultado em 28 de fevereiro de 2011  Verifique data em: |access-date= (ajuda)
  4. «Pagode e forró estão prometem ser os grandes hits em Salvador». redebomdia.com.br. Consultado em 27 de fevereiro de 2011 
  5. «Ônibus do grupo Reginho e Banda Surpresa perde o controle e baixista morre na BA». R7. Rede Record. Consultado em 27 de fevereiro de 2011 
  6. «Cantor de 'Vou não, posso não' lança campanha pró-camisinha no carnava». ego.globo.com. Consultado em 28 de fevereiro de 2011  Verifique data em: |access-date= (ajuda)
  7. «Cantor Reginho recebe homenagem no Rio». ofuxico.terra.com.br. Consultado em 28 de fevereiro de 2011  Verifique data em: |access-date= (ajuda)
Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) cantor é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.