Reinaldo, O Príncipe do Pagode

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Reinaldo, O Príncipe do Pagode
Informação geral
Nome completo Reinaldo Gonçalves Zacarias
Também conhecido(a) como "O Príncipe do Pagode"
Nascimento 9 de novembro de 1954
Origem Rio de Janeiro, RJ
País Brasil
Morte 18 de novembro de 2019 (65 anos)
Gênero(s) samba, partido-alto, pagode, MPB
Instrumento(s) voz
Período em atividade 1982 - 2019
Afiliação(ões) Leci Brandão, Zeca Pagodinho, Dona Ivone Lara, Cacique de Ramos, Ana Clara e Almir Guineto.

Reinaldo Gonçalves Zacarias, mais conhecido como Reinaldo, O Príncipe do Pagode (Rio de Janeiro, 9 de novembro de 1954São Paulo, 18 de novembro de 2019)[1], foi um cantor brasileiro que interpretava canções de diversos compositores como Ronaldo Barcellos, Arlindo Cruz entre outros.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascido no bairro de Cavalcanti, Reinaldo era frequentador da Em Cima da Hora, escola de samba do bairro, famosa por imortalizar o samba-enredo Os Sertões.

Criou o grupo "O Samba Nosso de Cada Dia" para alegrar festas e eventos até que começou a acompanhar gente de peso no Samba como Dona Ivone Lara, João Nogueira e Roberto Ribeiro.

Paralelo à música, Reinaldo era bancário do Citibank. Até que em 1982 abandona o emprego, se muda para São Paulo, onde se tornaria um dos precursores do pagode na cidade, fenômeno já consagrado no Rio de Janeiro. Na capital paulista, não só foi bem sucedido, como gravou seu primeiro disco "Retrato Cantado de um Amor" (1986) e se tornou conhecido no Brasil inteiro.

O apelido O Príncipe do Pagode, que marcaria eternamente na carreira veio por acaso. Em 1987, um locutor de uma rádio FM do Rio de Janeiro costumava apelidar artistas anunciados por ele. Um dia, ao anunciar Reinaldo, que despontava no cenário musical, o locutor diz: "Reinaldo, O Príncipe do Pagode".

Em 1987 gravou a música "Aquela Imagem" com a participação especial da cantora Ana Clara. Anos mais tarde no álbum dela gravaram "Quer brincar de amor".

Como compositor, seu primeiro sucesso foi "Me Perdoa Poeta", interpretado por Leci Brandão. Em 2011 foi homenageado pelo Jornal Capital Cultural com o Troféu de "Melhor Show de 2010" realizado na casa Parada da Lapa, no Rio de Janeiro [2][3]

Reinaldo morreu na madrugada de 18 de novembro de 2019 em Osasco, São Paulo aos 65 anos após uma parada cardiorespiratória. Ele tratava de um câncer de pulmão diagnosticado há quatro anos, mas seguia apresentando-se.[4]

Política[editar | editar código-fonte]

Em 2012, se candidatou a uma vaga de vereador na cidade de São Paulo pelo PTB. Não conseguiu ser eleito.

Discografia [3][editar | editar código-fonte]

  • 1986 - Retrato Cantado de um Amor
  • 1987 - Aquela Imagem
  • 1989 - Reinaldo
  • 1991 - Papel Assinado
  • 1992 - Soneto de Prazer
  • 1995 - Samba Meu Brasil
  • 1997 - Traz de Volta Minha Paz
  • 1999 - Pagode Pra Valer - Volume 1
  • 2000 - Pagode Pra Valer - Volume 2
  • 2000 - Coisa Sentimental
  • 2001 - Pagode Pra Valer - Volume 3
  • 2002 - 15 Anos de Samba
  • 2005 - Pra Sambar
  • 2009 - Reinaldo e Convidados
  • 2011 - Canto do Rei
  • 2013 - Reinaldo e Seus Convidados
  • 2017 - 30 Anos: Uma Vida de Muito Samba

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • ALBIN, Ricardo Cravo - Dicionário Houaiss Ilustrado da Música Popular Brasileira - Criação e supervisão geral Ricardo Gravo Albin - Edição Instituto Antonio Houassiss, Instituto Cravo Albin e Editora Paracatu, 2006, RJ
  • AMARAL, Euclides. Alguns Aspectos da MPB. Rio de Janeiro: Edição do Autor, 2008. 2ª ed. Esteio Editora, 2010. 3ª ed. EAS Editora, 2014.

Referências

  1. «Cantor Reinaldo, o 'príncipe do pagode', morre aos 65 anos». terra.com.br. Consultado em 18 de novembro de 2019 
  2. Som13. «Biografia Reinaldo - Príncipe do Pagode - Som13 Músicas para ouvir». Som13, Musicas para ouvir online 
  3. a b «Reinaldo, O Príncipe do Pagode». Raiz do Samba. 31 de julho de 2014 
  4. «Cantor Reinaldo, o príncipe do pagode, morre aos 65 anos». Uol. Consultado em 18 de novembro de 2019