Reinhard Furrer

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Reinhard Furrer

Cosmonauta da DLR
Nacionalidade Alemanha alemão
Nascimento 25 de Novembro de 1940
Wörgl, Áustria
Morte 9 de setembro de 1995 (54 anos)
Berlim, Alemanha
Missões STS-61-A
Insígnia
da missão
Insígnia STS-61-A

Reinhard Alfred Furrer (Wörgl, 25 de novembro de 1940Berlim, 9 de setembro de 1995) foi um cientista e astronauta alemão.

Biografia[editar | editar código-fonte]

A família de Furrer foi expulsa da Áustria - então parte anexada da Alemanha - após a Segunda Guerra Mundial e se fixou emKempten, na Baviera, sul da Alemanha. Furrer permaneceu lá até ingressar na Universidade de Kiel para estudar Física, depois transferindo-se para a Universidade de Berlim, onde recebeu um diploma em 1969, e um doutorado em 1972.

Durante a sua temporada como estudante em Berlim, ele esteve envolvido na construção do Túnel 57, de 145 metros, sob o Muro de Berlim, que foi a rota de fuga de 57 pessoas de Berlim Oriental para Berlim Ocidental.

Em 1974 ele se tornou professor assistente em Stuttgart e piloto de aviões. Em 1979 qualificou-se para o professorado e passou os dois anos seguintes leionando na Universidade de Chicago.

Astronauta[editar | editar código-fonte]

Em 1977 ele se inscreveu para uma seleção de astronautas para a primeira missão do Spacelab, chegando até a seleção final mas perdendo a vaga para o compatriota Ulf Merbold. Entretanto, em 1982, os astronautas a serem scolhidos para a primeira missão alemã do Spacelab o foram entre os finalistas da primeira seleção e Furrer ficou ente os dois a serem aceitos.

Em 30 de outubro de 1985, ele foi ao espaço como especialista de carga da STS-61-A Challenger, junto do compatriota Ernst Messerschmid e do holandês Wubbo Ockels.

Em 1987 foi eleito Diretor do Instituto de Ciências Espaciais da Universidade de Berlim.

Morte[editar | editar código-fonte]

Furrer era um grande amante da aviação e piloto com larga experiência e de grandes distâncias. Chegou a voar em monomotores sobre a Groenlândia e fez uma viagem solo entre a Alemanha e Quito, no Equador. Seu amor pelos aviões finalmente custou-lhe a vida, ao morrer num desastre durante uma exibição aérea em Berlim, como passageiro num pequeno Messerschmitt Bf 108, quando o piloto, Gerd Kahdemann, perdeu o controle do avião durante uma acrobacia.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Leitura adicional[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]