Reino do Brasil

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Merge-arrow 2.svg
Este artigo ou secção deverá ser fundido com Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves. (desde janeiro de 2017)
Se discorda, discuta sobre esta fusão aqui.
Ícone de esboço Este artigo sobre História ou um(a) historiador(a) é um esboço relacionado ao Projeto História. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.



Reino do Brasil
PortugueseFlag1750.png
 
Flag of the Princes of Brazil.svg
 
Flag of the Princes of Brazil.svg
1815 – 1822/1825 Flag Portugal (1830).svg
 
Flag of Empire of Brazil (1822-1870).svg
Flag Brasão
Bandeira Real Brasão de Armas
Hino nacional
Hymno Patriótico


Localização de Brasil
Reino do Brasil
Continente América
Capital Rio de Janeiro
Língua oficial Português
Religião Catolicismo
Governo Monarquia
Monarcas
 • 1815–1816 Dª. Maria I
 • 1816–1822 D. João VI
Legislatura Cortes
História
 • 16 de dezembro de 1815 Criação do Reino
 • 24 de agosto de 1820 Revolução liberal do Porto
 • 25 de abril de 1821 Retorno da Corte para Portugal
 • 23 de setembro de 1822 Aprovação da Constituição do Reino Unido
 • 29 de Agosto de 1825 Tratado do Rio de Janeiro
 • 7 de setembro de 1822/1825 Independência do Brasil
Área
 • 1820 8 300 000 (Brasil) km2
População
 • 1820[1] est. 4 000 000 (Brasil) 
Moeda Real

O Reino do Brasil foi um Reino constituinte do Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves.

Rainha Maria I do Reino Unido foi a Primeira Monarca do Reino do Brasil.
A Aclamação do Rei D. João VI do Reino unido de Portugal, Brasil e Algarves no Rio de Janeiro, Brasil
Rei João VI do Reino Unido foi o último monarca do Reino do Brasil do sec XIX.

Criação[editar | editar código-fonte]

A entidade legalmente conhecida como Reino do Brasil foi criado por Lei pelo Príncipe Regente D. João de Portugal, Príncipe do Brasil e Duque de Bragança em nome de sua mãe, a Rainha Dª Maria I de Portugal, em 16 de Dezembro de 1815, a qual elevou o Estado do Brasil ao rank de Reino Unido ao Reino de Portugal.

Por Real-Decreto expedido em 22 de Abril de 1821, frente ao sua partida do Brasil para Portugal, o Rei Dom João delegou ao seu primogênito e herdeiro, o Príncipe Dom Pedro de Alcântara, como Regente do Reino do Brasil, com poderes para exonerar o "governo geral e toda a administração do Reino do Brasil", ou seja, conferindo ao Reino do Brasil uma administração descentralizada no Reino Unido.

Dissolução[editar | editar código-fonte]

Em 7 de Setembro de 1822, o Príncipe-Regente, Dom pedro de Alcântara declarou a Independência do Brasil. Em 12 de Outubro de 1822 Dom Pedro tornou-se o Primeiro imperador do novo país, fundando o império do Brasil. A secessão brasileira foi reconhecida no tratado do Rio de Janeiro, em 1825, pelo qual o Reino do Brasil, no âmbito do Reino Unido de Portugal, do Brasil e dos Algarves, foi formalmente dissolvido e a independência do Brasil foi reconhecida e concedida pelo Reino de Portugal. Em 8 de Setembro de 1822, no dia seguinte a Declaração de independência, Dom Pedro expediu um Decreto no qual adotou para o Reino do Brasil uma nova bandeira e brasão, substituindo as cores portuguesas, branca e azul, pelas novas cores, verde e amarelo (o verde foi escolhido por sua associação com a Casa de Bragança, a dinastia de D. Pedro; o amarelo foi escolhido por ser a cor da Casa de Habsburgo, na qual nasceu a esposa de D. Pedro, Dª. Leopoldina, as novas cores nacionais honraram o Casal Real que levou o Brasil à fundação de sua independência; Esses novos símbolos passariam mais tarde para o Império do Brasil, quando foi fundado em 12 de Outubro de 1822.

Os novos símbolos pós-independência substituíram a bandeira original do Reino do Brasil (uma esfera armilar dourada em um campo azul) e o Brasão de Armas original (uma esfera armilar dourada com um fundo azul no interior da esfera), que tinha sido projetado em 1815. Naturalmente, após a independência, em cima da adoção da bandeira e do revestimento do novo brasão em 8 setembro 1822, o revestimento De armas do Reino Unido de Portugal, do Brasil e dos Algarves, adotado em 1815 (com baseado numa justaposição do brasão tradicional de Portugal com o brasão original do Reino do Brasil ao fundo, e a Coroa real), também deixou de ser usado.

De acordo com uma das cláusulas do Tratado do Rio de Janeiro, o Rei D. João VI de Portugal e dos Algarves, ex-Rei João VI do Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves, obtive, o título pessoal de Imperador titular do Brasil, tendo assim sendo permaneceu como Monarca do Brasil, de jure, até sua morte em 1826.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. VAINFAS, Ronaldo, Dicionário do Brasil Imperial, Objetiva, 2002
Wikisource
O Wikisource contém fontes primárias relacionadas com Reino do Brasil
Precedido por
Brasil colonial
Reino Unido e Portugal, Brasil e Algarves
18151822
Sucedido por
Independência do Brasil
Portal A Wikipédia possui o portal:
Portal A Wikipédia possui o portal: