Reino do Hejaz

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa


O Reino Hachemita de Hejaz
المملكة الحجازية الهاشمية
Al-Mamlakah al-Ḥijāzyah Al-Hāshimīyah
Flag of the Ottoman Empire.svg
1916 – 1925 Flag of Hejaz 1926.svg
 
Flag of the Emirate of Transjordan.svg
Flag Brasão
Bandeira Brasão
Localização de Hejaz
Reino de Hejaz (a verde) e a presente região de Hejaz (a vermelho)
na Península Arábica.
Continente Ásia
Capital Meca
Língua oficial Árabe
Religião Islamismo Sunita
Governo Monarquia absoluta
Rei
 • 1916-1924 Huceine ibne Ali
 • 1924-1925 Ali ibne Huceine
Período histórico Primeira Guerra Mundial
Período entreguerras
 • 10 de Junho de 1916 Reino Estabelecido
 • 10 de Agosto de 1920 Reconhecido
 • 19 de Dezembro de 1925 Conquistado pelo Négede
 • 8 de Janeiro de 1926 de Ibn Saud é coroado Rei do Hejaz
Área
 • 1920 250 000 km2
População
 • 1920 est. 850 000 
     Dens. pop. 3,4 hab./km²

O Reino Hachemita de Hejaz (Árabe: المملكة الحجازية الهاشمية‎, Al-Mamlakah al-Ḥijāzyah Al-Hāshimīyah) era um estado na região de Hejaz, no Médio Oriente, governado pela dinastia Hachemita. Alcançou a independência nacional após a destruição do Império Otomano pelo Império Britânico, durante a Primeira Guerra Mundial, quando o Xarife de Meca lutou em aliança com as forças imperiais Britânicas para expulsar o exército Turco da Península Arábica durante a Revolta Árabe.

O novo reino teve uma vida breve e foi conquistado em 1925 pelo vizinho Sultanato do Négede, sob a ressurgente Casa de Saud, criando o Reino do Hejaz e Nejd. [1]

Em 23 de Setembro de 1932, o Reino de Hejaz e Nejd uniu-se aos domínios sauditas de Al-Hasa e Qatif, como o unificado Reino da Arábia Saudita. [2][3]

História[editar | editar código-fonte]

Xarife Hussein

Em sua capacidade de Califas, os Sultões do Império Otomano indicariam um oficial conhecido como o Xarife de Meca. O papel foi para um membro da família Hachemita, mas os sultões usavam tipicamente a rivalidade inter-familiar Hachemita para escolher entre os candidatos e assim garantir que o Xarife permanecesse fraco.

Com a eclosão da Primeira Guerra Mundial em 1914, o Sultão, novamente em sua condição de Califa, declarou uma Jihad contra os poderes da Entente. Os Britânicos, em particular, esperavam cooptar o Xarife como uma figura religiosa alternativa de peso que os apoiava no conflito. Os Britânicos já tinham uma série de tratados com outros líderes Árabes na região e também temiam que o Hejaz pudesse ser usado como base para atacar os seus navios de e para a Índia. O Xarife foi cauteloso, mas depois de descobrir que os Otomanos planeavam removê-lo e possivelmente matá-lo, concordou em trabalhar com os Britânicos se eles apoiassem uma revolta Árabe mais ampla e o estabelecimento de um reino Árabe independente. Os britânicos insinuaram que iriam apoiar (embora não fossem precisos) e, depois que os Otomanos executaram outros líderes nacionalistas Árabes em Damasco e Beirute, o Hejaz levantou-se contra os otomanos e derrotou os seus exércitos, embora sem expulsá-los completamente (Medina permaneceu sob controle Otomano).

Em 1916, o Xarife de Meca Huceine ibne Ali declarou-se Rei de Hejaz enquanto o seu exército Sharifian participou com outras forças Árabes e do Império Britânico em expulsar os Turcos da península Arábica.[4][5]

Os britânicos, porém, foram comprometidos com o seu acordo em dar o controle Francês da Síria (compreendendo a Síria e o Líbano modernos) e, aos olhos de Hussein, não honraram os seus compromissos. No entanto, eles eventualmente criaram reinos governados por Hachemitas (na forma de protetorado) na Jordânia e no Iraque, bem como em Hejaz. Hussein recusou-se a concluir um tratado de amizade com os Britânicos, que mais tarde optaram por não intervir quando outro cliente britânico, Ibn Saud, invadiu e conquistou Hejaz.

Reis do Hejaz[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Yamani, Mai (2009). Cradle of Islam: the Hijaz and the quest for an Arabian identity Pbk. ed. [S.l.]: I.B. Tauris. ISBN 978-1-84511-824-2 
  2. Madawi Al-Rasheed. A History of Saudi Arabia. Cambridge, Inglaterra, Reino Unido: Cambridge University Press, 2002.
  3. A Brief overview of Hejaz - Hejaz history
  4. Baker, Randall (1979). King Husain and the Kingdom of Hejaz. [S.l.]: Oleander Press. ISBN 978-0-900891-48-9 
  5. Teitelbaum, Joshua (2001). The rise and fall of the Hashimite Kingdom of Arabia. [S.l.]: New York University Press. ISBN 978-0-8147-8271-2 
Ícone de esboço Este artigo sobre geografia (genérico) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.