Relógio de pêndulo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Exemplo de relógio de pêndulo

Relógio de pêndulo é um mecanismo para medida do tempo baseado na regularidade da oscilação (isocronismo) de um pêndulo.

A regularidade no movimento de um pêndulo foi estudada por Galileu Galilei no século XVI[1] , mas a invenção do relógio de pêndulo é atribuída a Christiaan Huygens em 1656, na cidade de Haia, Holanda[2] . A fabricação começou em 1657 por obra de artesãos holandeses e teve rápida difusão.

A partir do século XX, este instrumento foi superado em precisão pelo relógio a quartzo e depois pelo relógio atômico, mas continua a ter certo emprego pelo seu valor estético e artístico.

Para um relógio de pêndulo ser um medidor de tempo preciso, a amplitude do movimento deve ser mantida constante apesar de as perdas por atrito afetarem todo o sistema mecânico. Variações na amplitude, tão pequenas quanto 4° ou 5°, fazem um relógio adiantar cerca de 15 segundos por dia, o que não é tolerável mesmo num relógio caseiro. Para manter constante a amplitude é necessário compensar com um peso ou mola, fornecendo energia automaticamente, compensando as perdas devidas ao atrito.[carece de fontes?]

Sincronização de relógios de pêndulo[editar | editar código-fonte]

Em 1665, Christiaan Huygens observou, quando estava doente em casa, que o movimento dos pêndulos de dois relógios, pendurados numa trave, era sincronizado. Qualquer que fosse a posição de partida, os pêndulos mantinham-se em 'oposição de fase': um pêndulo ia para a esquerda enquanto o outro ia para a direita.

A explicação para o fenómeno surgiu em 2015, pela mão de uma equipa de investigadores portugueses: a troca de impulsos sonoros faz com que o movimento de dois pêndulos de relógios, colocados lado a lado, esteja automaticamente sincronizado.

Um pêndulo de um relógio, "num dado ponto do ciclo", transfere energia a outro através de impulsos sonoros.

O impulso sonoro, uma onda sonora que transporta energia, pode passar de um relógio para o outro, obrigando-os a estarem sincronizados.[3]

Referências

  1. VAN HELDEN, Al (1995). The Galileo Project (em inglês) Rice University. Visitado em 26 de julho de 2009.
  2. YODER, Joella G. Unrolling Time: Christiaan Huygens and the Mathematization of Nature. Cambridge: Cambridge University Press, 2004. ISBN 9780521524810 (em inglês)
  3. Cientistas portugueses revolvem mistério com 3 séculos.

Ver também[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Relógio de pêndulo
Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.