Relações entre Alemanha e Brasil

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Relações entre Alemanha e Brasil
Bandeira da Alemanha   Bandeira do Brasil
Mapa indicando localização da Alemanha e do Brasil.
  Brasil

As relações entre Alemanha e Brasil são as relações diplomáticas estabelecidas entre a República Federal da Alemanha e a República Federativa do Brasil. O Brasil possui uma embaixada em Berlim, e a Alemanha possui uma embaixada em Brasília e consulados em Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro e São Paulo.

História[editar | editar código-fonte]

O presidente da República Venceslau Brás declara guerra contra o Império Alemão e seus aliados. Ao seu lado, o ex-presidente da República e ministro interino das Relações Exteriores, Nilo Peçanha, e o presidente de Minas Gerais e futuro presidente da República, Delfim Moreira.
Angela Merkel e Dilma Rousseff durante almoço no Palácio do Itamaraty (Wilson Dias/Agência Brasil)

As relações bilaterais entre os dois países são consideradas muito antigas visto que, em 1824, teve início a colonização alemã no Brasil, com a chegada de imigrantes ao Rio Grande do Sul. Em 1825, a Prússia reconheceu a independência do Brasil, e em 1826 houve a abertura do consulado brasileiro em Hamburgo.

Em 1859, a Prússia promulgou o chamado "Rescrito de Heydt", proibindo a propaganda em favor da imigração para o Brasil, devido aos maus tratos sofridos pelos colonos alemães na província de São Paulo. Este rescrito teve efeito desfavorável sobre os possíveis emigrantes na Prússia, e de 1871 em diante, em toda a Alemanha. O decreto só foi revogado em 1896. Em 1900, o Barão do Rio Branco é nomeado ministro plenipotenciário em Berlim.[1]

Primeira Guerra[editar | editar código-fonte]

O Brasil suspendeu as relações com a Alemanha e declarou guerra ao Império Alemão durante o governo de Venceslau Brás, em 27 de outubro de 1917, meses após navios mercantes brasileiros serem afundados por submarinos alemães.

Segunda Guerra[editar | editar código-fonte]

Quando a Alemanha Nazista atacou a Polônia em 1939, dando início à Segunda Guerra Mundial, o Brasil declarou-se oficialmente neutro. Mas esta neutralidade foi "quebrada" quando submarinos alemães começaram a torpedear navios brasileiros na costa do país. Em 1942 houve o rompimento das relações diplomáticas do Brasil com as potências do Eixo, e o reconhecimento do "estado de beligerância".

Pós-Guerra[editar | editar código-fonte]

Após a Segunda Guerra Mundial, as relações diplomáticas entre os dois países foram reestabelecidas em julho de 1951, com a construção da sede da embaixada da Alemanha em Petrópolis, no Rio de Janeiro.

O ano de 2013 foi o ano da Alemanha no Brasil.[2]

Em 2015, a primeiro-ministra alemã Angela Merkel visitou o Brasil acompanhada de uma comitiva de sete ministros e cinco secretários de Estado para iniciar processo de "consultas intergovernamentais" entre ambos os países. O país europeu mantém tal tipo de relacionamento estrito com outros oito países (França, Itália, Espanha, Polônia, Israel, Rússia, China e Índia).[3] O governo alemão também emitiu uma nota em 2018 através de sua embaixada que o nazismo era um regime de direita, sendo contestado por brasileiros na época.[4]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Relações entre Alemanha e Brasil
  2. Ano da Alemanha no Brasil será oficializado
  3. Schreiber, Mariana (19 agosto 2015). «O que significa a entrada do Brasil no seleto grupo de parceiros da Alemanha?». Brasília. BBC Brasil (em língua portuguesa). Consultado em 24 de agosto de 2015. 
  4. Brasileiros criam debate que não existe na Alemanha

Ligações externas[editar | editar código-fonte]