Renan Dal Zotto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Renan Dal Zotto
Nome completo Renan Dal Zotto
Nascimento 19 de julho de 1960 (61 anos)
São Leopoldo, RS
Nacionalidade brasileiro
Compleição Peso: 90 kg Altura: 1,90 m
Clube Seleção Brasileira de Voleibol Masculino
Medalhas
Campeonato Mundial
Prata Itália/Bulgária 2018 Treinador
Copa do Mundo
Ouro Japão 2019 Treinador
Liga das Nações
Ouro Itália 2021 Treinador
Liga Mundial
Prata Curitiba 2017 Treinador
Campeonato Sul-Americano
Ouro Santiago-Temuco 2017 Treinador
Ouro Brasília 2021 Treinador
Jogos Olímpicos
Prata Los Angeles 1984 Voleibol
Campeonato Mundial de Voleibol
Prata Buenos Aires 1982 Voleibol
Jogos Pan-Americanos
Ouro Caracas 1983 Voleibol
Prata San Juan 1979 Voleibol
Bronze Indianápolis 1987 Voleibol

Renan Dal Zotto (São Leopoldo, 19 de julho de 1960) é um ex-voleibolista e atual técnico da Seleção Brasileira de Voleibol. Como atleta, foi um dos maiores nomes do esporte nas décadas de 1980 e 1990, alcançando sucesso absoluto em quadras defendendo a Seleção Brasileira e clubes nacionais e italianos. Foi eleito para o Hall da Fama do Voleibol em 2015.

Renan foi diretor de seleções de quadra da Confederação Brasileira de Voleibol, cargo que ocupou até os Jogos Olímpicos do Rio. É sócio da Par Mais Planejamento Financeiro e ministra palestras no Brasil e no exterior.

Fez parte da "geração de prata" do voleibol brasileiro junto com Montanaro, William, Bernard, Bernardinho, Carlão e outros. Representou o Brasil em Olimpíadas, Jogos Pan-Americanos, Jogos da Amizade, Mundiais, Mundialitos e Sul-Americanos. Já atuou como técnico e comentarista de televisão. É pai de Enzo Blando Dal Zotto e Gianluca Blando Dal Zotto, sendo casado com Annalisa Blando Dal Zotto, de ascendência italiana. Integrava em 1984 a equipe do ADC Sul Brasileiro, deixando o Bradesco Atlântica na ocasião.[1]

Em 1988 participou de sua última Olimpíada como atleta, em Seul, ficando em quarto lugar. No mesmo ano transferiu-se para a Itália, onde encerrou sua carreira em 1993. Nos cinco anos de Itália conquistou dois títulos nacionais, duas Copas Itália, três títulos europeus e um Mundial de Clubes. Em 1993, começou sua carreira de técnico comandando a equipe do Palmeiras/Parmalat. Nesta temporada conquistou o vice-campeonato na Superliga Nacional e foi vice-campeão paulista.

No dia 11 de janeiro de 2017 foi anunciado como novo técnico da Seleção Brasileira de Voleibol Masculino, substituindo o multicampeão Bernardinho.[2]

Acometido por COVID-19, foi intubado em 19 de abril de 2021.

Clubes[editar | editar código-fonte]

Clube País De A
Atlântica Boavista  Brasil 1981 1983
ADC Sul Brasileiro  Brasil 1984 1985
Bradesco Atlântica Boavista  Brasil 1986 1987
ADC Pirelli  Brasil 1987 1988
Maxicono Parma  Itália 1988 1992
Messaggero Ravenna  Itália 1992 1993

Principais títulos como jogador[editar | editar código-fonte]

Principais títulos como gestor esportivo[editar | editar código-fonte]

  • 2016 - Diretor de Seleções CBV – Confederação Brasileira de Voleibol: campeão nos Jogos Olímpicos Rio 2016 Masculino, 5º colocado nos Jogos Olímpicos Rio 2016 Feminino, campeão do Grand Prix Feminino e vice-campeão da Liga Mundial Masculina
  • 2015 - Diretor de Seleções CBV – Confederação Brasileira de Voleibol: campeão do Sul-Americano Masculino, campeão do Sul-Americano Feminino, vice-campeão do Pan-Americano Masculino, vice-campeão do Pan-Americano Feminino e terceiro colocado do Grand Prix Feminino
  • 2010: Campeão da Superliga Masculina
  • 2009: Campeão da Superliga Masculina
  • 2008: Campeão da Superliga Masculina
  • 2004: Pentacampeão Catarinense e campeão da Superliga Masculina
  • 2003: Campeão do Grand Prix de Vôlei e vice-campeão da Superliga Masculina
  • 2002: Campeão do Torneio Intercontinental na Argentina
  • 2000: Vice-campeão da Superliga Masculina

Principais títulos como treinador[editar | editar código-fonte]

  • 2021: Campeão da Campeonato Sul-Americano - Seleção Brasileira de Voleibol Masculino
  • 2019: Campeão da Copa do mundo - Seleção Brasileira de Voleibol Masculino
  • 2017: Campeão da Copa dos Campeões - Seleção Brasileira de Voleibol Masculino
  • 2017: Campeão da Campeonato Sul-Americano - Seleção Brasileira de Voleibol Masculino
  • 2017: Vice-campeão da Liga Mundial - Seleção Brasileira de Voleibol Masculino
  • 2018: Vice-campeão da Copa Pan-Americana - Seleção Brasileira de Voleibol Masculino
  • 2018: Vice-campeão da Campeonato Mundial - Seleção Brasileira de Voleibol Masculino
  • 2007: Campeão da Supercopa Italiana – Sisley di Treviso
  • 2006: Campeão da Superliga Masculina
  • 2005: Campeão do Grand Prix de Vôlei, campeão dos Jogos Abertos de Santa Catarina, campeão da Supercopa Mercosul, campeão da Liga Nacional e campeão catarinense
  • 1998: Campeão carioca e campeão mineiro
  • 1997: Campeão da Copa Sul, campeão catarinense, campeão dos Jogos Abertos de Santa Catarina e vice-campeão da Superliga Nacional
  • 1996: Campeão do Sul-Americano de Clubes
  • 1994: 3° lugar no Campeonato Paulista e 3° lugar na Superliga Nacional
  • 1993: Vice-campeão da Superliga Nacional e vice-campeão paulista

Referências

  1. «Placar Magazine - Nº 749- Pág.56». Placar. 28 de setembro de 1984. Consultado em 9 de janeiro de 2019 
  2. Helena Rebello e João Gabriel Rodrigues (11 de janeiro de 2017). «Bernardinho deixa seleção, e Renan Dal Zotto assume time rumo a Tóquio». GloboEsporte.com. Consultado em 2 de novembro de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Bernardinho
Brasil Técnico da Seleção Brasileira de Voleibol Masculino
2017–
Sucedido por