Renata Souza

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Renata Souza
Deputada Estadual do Rio de Janeiro
Período 1º de fevereiro de 2019
até atualidade
Dados pessoais
Nome completo Renata da Silva Souza
Nascimento 31 de agosto de 1982 (39 anos)
Rio de Janeiro, RJ
Nacionalidade brasileira
Alma mater Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro
Partido PSOL (2007-presente)
Profissão Jornalista

Renata da Silva Souza (Rio de Janeiro, 31 de agosto de 1982), é uma jornalista, redatora, feminista negra, militante dos direitos humanos eleita à Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro pelo Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) em 2018, primeira mulher negra presidente da Comissão de Defesa dos Direitos Humanos e Cidadania da ALERJ.[1]

Formação[editar | editar código-fonte]

Renata Souza é nascida e criada na Favela da Maré, Zona Norte do Rio. Jornalista, formada com bolsa integral, pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Doutora em Comunicação e Cultura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e pós-doutora em Mídia e Cotidiano pela Universidade Federal Fluminense. Renata foi a primeira da sua família a ingressar no ensino superior.[2]

Comunicadora popular, Renata Souza atuou por mais de 15 anos em diferentes favelas para inserir a luta em defesa da vida na pauta da comunicação comunitária.[2]

Atuação política[editar | editar código-fonte]

Atua na defesa dos Direitos Humanos há mais de 12 anos participando de movimentos sociais. Fez parte do mandato de Marcelo Freixo na ALERJ, integrando a Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro. Com a eleição de Marielle Franco à Câmara Municipal do Rio de Janeiro em 2016, assumiu a chefia do gabinete do mandato.[2]

Em 2018, Renata Souza foi eleita deputada estadual pelo PSOL, se tornando a mais votada da esquerda em todo o estado, com 63 mil votos.[3] Na ALERJ, foi eleita a primeira mulher negra a presidir a Comissão de Direitos Humanos da Assembleia.[4]

Foi candidata pelo PSOL à prefeitura do Rio, nas eleições de 2020, com apoio do Partido Comunista Brasileiro (PCB) e da Unidade Popular (UP).[5]

Desempenho Eleitoral[editar | editar código-fonte]

Ano Eleição Candidata a Partido Coligação Votos % Resultado Ref
2018 Estaduais no Rio de Janeiro Deputada Estadual PSOL Mudar é Possível

(PSOL, PCB)

63.937 0,93% Eleita [6]
2020 Municipal no Rio de Janeiro Prefeita PSOL Um Rio de Esperança

(PSOL, PCB, UP)

85.272 3,24% Não eleita [7]

Publicações[editar | editar código-fonte]

Cria de Favela: Renata Souza . Editora NPC ISBN 978-85-93117-09-1. 6 de setembro de 2018

Referências

  1. «Por legado de Marielle, assessoras da vereadora serão candidatas». Carta Capital. 20 de dezembro de 2018 
  2. a b c «Perfil da deputada Renta Souza no site da ALERJ». ALERJ. 14 de março de 2020 
  3. «Apuração dos votos: Renata Souza (PSOL)». Gazeta do Povo. 14 de março de 2020 
  4. «Renata Souza é a primeira mulher negra a presidir a Comissão de Direitos Humanos da Alerj». O Globo. 14 de março de 2020 
  5. «PSOL anuncia pré-candidatura de Renata Souza à prefeitura do Rio». G1. Consultado em 14 de julho de 2020 
  6. «Poder 360 | RENATA SOUZA». eleicoes.poder360.com.br. Consultado em 3 de junho de 2020 
  7. «Resultado das Eleições e Apuração Rio de Janeiro-RJ no 2º Turno | G1 Eleições». G1. Consultado em 21 de dezembro de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]