Renato e Seus Blue Caps

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Renato e seus Blue Caps)
Renato e Seus Blue Caps
Renato e seus Blue Caps em 1966
Informação geral
Também conhecido(a) como Bacaninhas do Rock da Piedade
Origem Rio de Janeiro
País Brasil
Gênero(s)
Instrumento(s) Voz, Guitarra, Violão, Bateria, Contrabaixo e Saxofone
Período em atividade 1959–presente
Gravadora(s)
Afiliação(ões)
Ex-integrantes Ver Formações

Renato e Seus Blue Caps é uma banda brasileira de rock que surgiu antes do período da Jovem Guarda e se notabilizou por versões de canções internacionais.

História[editar | editar código-fonte]

Grupo formado em 1959 pelos irmãos Renato Barros, Ed Wilson e Paulo César Barros jovens moradores do bairro de Piedade, Rio de Janeiro, Euclides de Paula (futuro guitarrista-solo e arranjador do grupo instrumental The Pop's) e Gelson Moraes, com o nome Bacaninhas do Rock da Piedade.

Este primeiro nome foi censurado e inspirados num conjunto norte-americano de rock and roll e rockabilly, Gene Vincent and His Blue Caps.[nota 1] mudaram o nome para Renato e Seus Blue Caps.O grupo se apresentava em rádios e em programas de televisão, como Brotos No Treze, da TV Rio e Os Brotos Comandam, TV Continental, ambos apresentados por Carlos Imperial.[3][4][5]

Gravaram o primeiro compacto em 1962 e se notabilizaram principalmente pelas versões que faziam de músicas de língua inglesa (a maioria britânicas), como "Não Te Esquecerei", versão de "California Dreamin'", de The Mamas & The Papas, "Menina Linda", versão de "I Should Have Known Better" e "Até o Fim", versão de "You Won't See Me", dos Beatles[5]

Em 1963, Ed Wilson saiu do grupo e iniciou carreira solo, sendo substituído por Erasmo Carlos, que teve uma participação breve no grupo. Tornaram-se um sucesso se apresentando no programa Jovem Guarda, em shows, festas e bailes. Em 1966 apareceram no filme Rio, Verão & Amor.[5]

Em 28 de julho de 2020, o vocalista, guitarrista e líder da banda, Renato Barros, faleceu aos 76 anos.[6][5]

O grupo era formado por Renato Barros, voz e guitarra; Paulo César Barros, voz e contrabaixo; Erasmo Carlos, substituto de Edson Barros, voz; Carlinhos, guitarra; Tony e mais tarde Gelson, bateria; e Cid, saxofone.[5]

O conjunto continua até hoje em plena atividade com Cid Chaves (vocal), Darci Velasco (teclado), Bruno Sanson (contrabaixo), Chi Lenno (guitarra) e Fabrício Motta (bateria)

Formações[editar | editar código-fonte]

  • 1959 – Renato Barros, Paulo Cézar Barros, Euclides de Paula (ficou até 1961) Edinho (Ed Wilson), Ivan Botticcelli (entrou em 1960)
  • 1962- Renato Barros, Paulo Cézar Barros, Edinho (Ed Wilson), Roberto Simonal, Cláudio Caribé, Ivan Botticcelli.
  • 1963 – Renato Barros, Paulo Cézar Barros, Erasmo Carlos, Roberto Simonal, Toni.
  • 1964 – Renato Barros, Paulo Cézar Barros, Cid Chaves, Toni.
  • 1965 a 1967 – Renato Barros, Paulo Cézar Barros, Cid, Carlinhos (Carlos Alberto Da Costa Vieira), Toni.
  • 1968 – Renato Barros, Paulo Cézar Barros, Cid, Carlinhos, Toni, Mauro Motta.
  • 1969 a 1970 – Renato Barros, Cid, Toni, Pedrinho, Scarambone.
  • 1971 – Renato Barros, Paulo Cézar Barros, Cid, Scarambone, Toni, Pedrinho.
  • 1972 a 1973 – Renato Barros, Paulo Cézar Barros, Cid, Scarambone, Pedrinho, Gelson.
  • 1973 a 1976 – Renato Barros, Cid, Scarambone, Pedrinho, Ivanilton (Michael Sullivan), Gelson.
  • 1977 – Renato Barros, Cid, Pedrinho, Gelson.
  • 1979 a 1983 – Renato Barros, Paulo Cézar Barros, Cid, Marquinho, Gelson.
  • 1987 a 1989 – Renato Barros, Paulo Cézar Barros, Cid, Gelson.
  • 1989 a 1993 – Renato Barros, Cid Chaves, Gelson Moraes, Darci Velasco, Cadinho.
  • 1993 a 1996 – Renato Barros, Cid Chaves, Gelson Moraes, Darci Velasco, Amadeu Signorelli.
  • 1996 a 2013 – Renato Barros, Cid Chaves, Gelson Moraes, Darci Velasco, Amadeu Signorelli.
  • 2013 a 16-06-2018 – Renato Barros, Darci Velasco, Amadeu Signorelli, Gelsinho Moraes e Cid Chaves.
  • 14-07-2018 até 28-07-2020 – Renato Barros, Cid Chaves, Gelsinho Moraes, Darci Velasco e Bruno Sanson.
  • 28-07-2020 até 2022 – Cid Chaves, Gelsinho Moraes, Darci Velasco, Bruno Sanson e Chi Lenno
  • 28-01-2022 até atualidade – Cid Chaves, Fabrício Motta, Darci Velasco, Bruno Sanson e Chi Lenno
  • Nota: Com o falecimento do líder Renato Barros, entrou para a banda o guitarrista Chi Lenno. Com o falecimento de Gelsinho Moraes em 28 de janeiro de 2022, entrou em seu lugar o baterista Fabrício Motta.

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns de Estúdio[editar | editar código-fonte]

  • 1962 - Twist (Copacabana)[7]
  • 1963 - Renato e Seus Blue Caps (SOM)
  • 1964 - Viva a Juventude! (CBS)
  • 1965 - Isto é Renato e Seus Blue Caps (CBS)
  • 1966 - Um Embalo com Renato e Seus Blue Caps (CBS)
  • 1967 - Renato e Seus Blue Caps (CBS)
  • 1968 - Especial (CBS)
  • 1969 - Renato e Seus Blue Caps (CBS)
  • 1970 - Renato e Seus Blue Caps (CBS)
  • 1971 - Renato e Seus Blue Caps (CBS)
  • 1972 - Renato e Seus Blue Caps (CBS)
  • 1973 - Renato e Seus Blue Caps (CBS)
  • 1974 - Renato e Seus Blue Caps (CBS)
  • 1976 - 10 Anos de Renato e Seus Blue Caps (CBS)
  • 1977 - Renato e Seus Blue Caps (CBS)
  • 1979 - Suco de Laranja (CBS)
  • 1981 - Renato e Seus Blue Caps (CBS)
  • 1983 - Pra Sempre (RCA)
  • 1987 - Batom Vermelho (Continental)
  • 1996 - Renato e Seus Blue Caps (Globo Columbia)
  • 2001 - Renato e Seus Blue Caps - Ao Vivo (WEA)

Álbuns de Compilação[editar | editar código-fonte]

  • 1978 - Os Grandes Sucessos de Renato e Seus Blue Caps
  • 2005 - 20 Super Sucessos

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Notas

  1. Algumas fontes indicam que foi o radialista Jair de Taumaturgo, contudo, o cantor e compositor Eduardo Araújo, afirma ter tido a ideia por ser fã do conjunto americano.[1][2]

Referências

[1]

Flag of Brazil.svgGuitarra masc.png Este artigo sobre uma banda ou grupo musical do Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
  1. Zanetti, Lucinha (2019). «Renato Barros - Um Mito! Uma Lenda - A | Livro | Nelpa». nelpa.com.br. Consultado em 4 de julho de 2022