República de Danzigue

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Cidade Livre de Danzigue.



Republik Danzig, Wolne Miasto Gdańsk République de Dantzig
República de Danzigue
Flagge Preußen - Provinz Westpreußen.svg
1807 – 1814 Flagge Preußen - Provinz Westpreußen.svg
Flag Brasão
Bandeira Brasão
Localização de Danzigue
Continente Europa
Capital Danzigue
Língua oficial alemão, polaco, francês
Governo República
Presidente
 • 1807 François Joseph Lefebvre
 • 1807-1813 Jean Rapp
 • 1813-1814 Friedrich Ehrhard Fabian von Massenbach
História
 • 21 de julho de 1807 de 1807 Cerco e conquista pelas tropas francesas
 • 2 de janeiro de 1814 de 1814 Retirada das tropas francesas e reintegração na Prússia

República de Danzigue (em alemão: Danzig) foi uma cidade-estado semi-independente estabelecida por Napoleão em 9 de setembro de 1807, durante o período das Guerras Napoleónicas após a conquista da cidade na sequência do cerco de Danzigue em maio desse ano.

Após o Congresso de Viena (1814/5), Danzigue voltou a ser reintegrada no Reino da Prússia.

História[editar | editar código-fonte]

A República de Danzigue (verde claro) na costa Báltica, cercada pela Prússia (azul), com o Ducado de Varsóvia mais a sul (amarelo)

A Prússia adquirira a cidade de Danzigue na sequência da Segunda Partilha da Polónia, em 1793. Após a derrota do rei Frederico Guilherme III da Prússia na Batalha de Jena–Auerstedt (1806), e da paz Franco-Prussiana ter sido estabelecida pelo Tratado de Tilsit de 9 de julho de 1807, o território da nova república ficava encravado em terras da província da Prússia Ocidental, consistindo na cidade de Danzigue (a Gdańsk da atualidade), com os seus arredores rurais na foz do rio Vístula incluindo Oliva, juntamente com a Península de Hel e o respetivo farol, bem como a metade sul do Cordão do Vístula.

Constituição da República[editar | editar código-fonte]

A República foi oficialmente proclamada em 21 de julho de 1807, após as tropas do Francesas terem tomado a cidade em 27 de maio. A Prússia, o Reino da Saxónia e o Ducado de Varsóvia, foram nomeadas potências garantes. O marechal François Joseph Lefebvre, comandante do cerco de Danzigue, recebeu o título honorífico de Duque de Danzigue [1] das mãos de Napoleão, contudo, quem realmente governava a cidade era o governador francês, o General Jean Rapp. A cidade teve que acomodar o Grande Armée[2] de Napoleão, pagando um forte tributo para a preparação da Campanha da Rússia (1812).

O fim da República[editar | editar código-fonte]

Após a retirada francesa, o exército imperial russo cercou Danzigue de janeiro até 29 de novembro de 1813, e os restante 40.000 soldados franceses retiraram-se, finalmente, em 2 de janeiro de 1814. Apesar das autoridades prussianas terem feito de Danzigue a capital da Prússia Ocidental e o centro administrativo da região de Danzigue (Regierungsbezirk Danzig), a autonomia da cidade foi significativamente reduzida.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • (em alemão) Werner Hahlweg, Zur Geschichte der ersten Restauration der Freien Stadt Danzig 1808–1814, incluído em Mitteilungsblatt für die Mitglieder des Bundes der Danziger Jhrg. 1 (1949) und Rest in Unser Danzig. für die Mitglieder des Bundes der Danziger (Namenserweiterung des gleichen Blattes ab 1950) Jhrg. 2 (1950). (Scans) (PDF; 2,26 MB)
  • (em alemão) Gränztractat vom 6. Dezember 1807. In: Unser Danzig (… s. o.) Jhrg. 2, Nummer 12 (1950). (Scans) (PDF; 835 kB)

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. tratava-se de um titre de victoire (Título de vitória), ou seja um título nobiliárquico atribuído na sequência de uma vitória militar
  2. "Grande Exército" em francês