Reserva Extrativista Mapuá

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Reserva Extrativista Mapuá
Localização Breves - Pará, Brasil
Dados
Área 94.463 hectares
Criação 20 de maio de 2005
Gestão ICMBio
Coordenadas 1° 03' 41.90" S 50° 32' 38.92" O

A Reserva Extrativista Mapuá (sigla - RESEX/Mapuá) é uma Unidade de Conservação federal do Brasil categorizada como Reserva Extrativista e criada por Decreto Presidencial em 20 de maio de 2005 numa área de 94.463 hectares nas margens do rio Mapuá e do rio Aramã, no município de Breves, localizado na Ilha do Marajó, estado do Pará.[1]

Trata-se de uma área criada para proteger os meios de vida e a cultura de populações extrativistas tradicionais, assegurando a sustentabilidade dos recursos naturais. Para sua subsistência, os ribeirinhos exploram basicamente o açaí, o palmito, a pesca, a caça e o roçado de mandioca.

A Reserva Extrativista Mapuá é gerida por um Conselho Deliberativo, presidido pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBIO) e constituído por representantes de órgãos públicos, de organizações da sociedade civil e das populações tradicionais residentes na área.

A Associação de Moradores da Reserva Extrativista Mapuá (AMOREMA) é a organização civil com maior representatividade na Reserva Extrativista Mapuá. Ela foi criada em 4 de novembro de 2005, com sede administrativa na Comunidade Bom Jesus. A AMOREMA é considerada a Associação-mãe e tem desde abril de 2010 o Contrato de Cessão de Direito Real de Uso da Reserva Extrativista.

O pássaro japim-soldado ou tecelão (Cacicus chrysopterus) é o animal símbolo da Reserva Extrativista Mapuá. Essa ave ocorre na América do Sul, vivendo no interior de matas. A espécie chega a atingir 20 centímetros de comprimento e apresenta plumagem nas cores preta e amarela. O japim-soldado, ou simplesmente japim, está presente em diversas narrativas populares, como lendas e contos, fazendo parte do rico folclore da Amazônia.

A atriz e apresentadora do programa Pé no Chão do canal Multishow Daniele Suzuki realizou uma visita em julho de 2010 na Reserva Extrativista Mapuá.[2]


Emblem-scales.svg
A neutralidade deste(a) artigo ou se(c)ção foi questionada, conforme razões apontadas na página de discussão.
Justifique o uso dessa marca na página de discussão e tente torná-lo mais imparcial.

A criação da Reverva Extrativista Mapuá ocorreu por meio de um processo conflituoso entre as comunidades ribeirinhas, empresários do ramo madeireiro, responsáveis pela manutenção de milhares de postos de trabalho (hoje extintos), entidades de classe(sindicatos dos trabalhodores e outros) e o IBAMA. Esses conflitos surgiram como fruto de ações que impactavam de forma significativa a preservação da Amazônia marajoara em detrimento da manutenção dos referidos postos de trabalho o que fez com que se agravasse ainda mais a já existente precária condição de vida das pessoas que vivem às margens do Rio Mapuá e Aramã.

Ligações Externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «ITERPA - Instituto de Terras do Pará». www.iterpa.pa.gov.br. Consultado em 17 de junho de 2009 
  2. «Resex Mapuá recebe a visita de Danielle Suzuki, Voz do Marajó, 27 de julho de 2010. "A Reserva Extrativista de Mapuá, na Ilha de Marajó, recebeu, nos dias 21,22 e 23 de julho, a visita da atriz Danielle Suzuki e sua equipe do programa Pé no Chão, do canal da Tv fechada Multishow"» 🔗 
Ícone de esboço Este artigo sobre Unidades de Conservação da Natureza é um esboço relacionado ao Projeto Brasil. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.