Frente de Resistência Nacional do Afeganistão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Resistência Panjshir)
Frente de Resistência Nacional do Afeganistão
جبهه مقاومت ملى افغانستان (Dari)

د افغانستان ملي مقاومت جبهې (Pashto)

Flag of National Resistance Front of Afghanistan.svg Flag of Afghanistan (2004–2021).svg
Bandeira da República Islâmica do Afeganistão (esquerda). Bandeira da Frente Nacional do Afeganistão, usada paralelamente à bandeira nacional (direita)
Outros nomes Segunda Resistência
Datas das operações 16 de agosto de 2021–presente
Líder(es) Ahmad Massoud
Amrullah Saleh
Bismillah Khan Mohammadi
Área de atividade Províncias Panjshir, Parwan e Baghlan, Afeganistão
Ideologia Democracia Islâmica
Descentralização
Multiculturalismo
Status Ativa
Parte de Guerras civis afegãs
Tamanho 8 000+
Inimigos Talibã/Emirado Islâmico do Afeganistão
Paquistão (alegado)
Filiação República Islâmica do Afeganistão
Guerras/batalhas Conflito de Panjshir
Sítio oficial nationalresistance.org
Mapa mostrando o controle de território no Afeganistão, com espaço controlado pela resistência em rosa e áreas disputadas em verde.

Frente de Resistência Nacional do Afeganistão,[1][2]  também conhecida como Segunda Resistência,[3][4] [3] é uma aliança militar de ex-membros da Aliança do Norte e combatentes anti-Talebã, que se refere à República Islâmica do Afeganistão, criado após a ofensiva do Talebã de 2021, sob a liderança do político e líder militar afegão Ahmad Massoud e do ex-vice-presidente do Afeganistão Amrullah Saleh, nascido em Panjshir.[5]

O grupo exerce controle de facto sobre o Vale de Panjshir, que é em grande parte contíguo à província de Panjshir e em agosto de 2021, é a única região fora das mãos do Talibã,[6][5] apesar da queda de Cabul, a capital do país, e o exílio do presidente afegão Ashraf Ghani nos Emirados Árabes Unidos. A aliança é a única resistência organizada do Talibã no país e possivelmente está planejando uma guerra de guerrilha contra o Talibã.[3][6][7] A resistência pediu um "governo inclusivo" do Afeganistão; Especula-se que um de seus objetivos é participar do novo governo afegão.[5]

Em 17 de agosto de 2021, Saleh–aludindo às disposições da Constituição do Afeganistão–proclamou-se presidente do Afeganistão a partir da base de operações no vale de Panjshir e disse que continuaria as operações militares contra o Talibã a partir de lá.[8] Sua reivindicação à presidência foi apoiada por Massoud e o ex-ministro da Defesa afegão Bismillah Mohammadi, junto com a embaixada afegã no Tajiquistão e seu embaixador Mohammad Zahir Aghbar. A resistência Panjshir usa a bandeira do Estado Islâmico do Afeganistão.

História[editar | editar código-fonte]

Antecedentes[editar | editar código-fonte]

Panjshir, uma região montanhosa, era uma formidável base de operações para Aliança do Norte original.[5] Foi o lugar de nascimento de Ahmad Shah Massoud, quem a defendeu tenazmente contra os Talibãs como líder da Aliança do Norte na década de 1990, e seu filho e sucessor da resistência Ahmad Masud.[9]

Em 28 de julho de 2021, The Washington Post relataram que os remanescentes da Aliança do Norte estavam se mobilizando sob um guarda-chuva chamado Resistência II.[3] Ahmad Massoud escreveu em um artigo para o Washington Post em 18 de agosto de 2021, pedindo ao resto do mundo que os ajudasse, já que ele admite que a munição e os suprimentos vão acabar a menos que Panjshir possa ser fornecido.[10] Em 17 de agosto, o Vale Panjshir foi–de acordo com um observador–"sitiado por todos os lados", mas não foi atacado diretamente.[11]

Coalescência em Panjshir[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Conflito de Panjshir
Guerrilheiro da Segunda Resistência entrevistado por um jornalista iraniano.

Após a queda de Cabul, as forças anti-Talibã, incluindo o ex-vice-presidente Saleh, se mudaram para o Vale de Panjshir, a única área do Afeganistão não controlada pelo Talibã, para criar uma nova frente de resistência.[12][13][6] Em 17 de agosto de 2021, ex-soldados da etnia tadjique do exército afegão começaram a chegar ao vale de Panjshir, com tanques e veículos de transporte de pessoal em apoio à resistência.[7][3]

De acordo com relatos não confirmados, o comando de Saleh conseguiu recapturar Charikar, a capital da província de Parwan, que estava nas mãos do Talibã desde 15 de agosto, e os combates haviam começado em Panjshir.[14][15] Na mesma época, relatos não confirmados indicaram que os remanescentes do Exército Nacional Afegão (ANA) começaram a se reunir no Vale de Panjshir a pedido de Massoud, junto com o Ministro da Defesa Bismillah Mohammadi e comandantes provinciais.[7][16][6][17] Civis locais também responderam aos seus apelos para serem mobilizados.[18]

A resistência Panjshir também afirmou ter o apoio de Abdul Rashid Dostum e Atta Muhammad Nur em 18 de agosto de 2021, enquanto membros do grupo Dostum, que haviam se retirado para Uzbequistão, foram relatados como tendo. 10.000 de seus soldados poderiam unir forças com a resistência Panjshir, criando uma força combinada de 15.000 ou mais.[14] No mesmo dia, funcionários da embaixada afegã no Tajiquistão substituíram as fotos de Ghani no prédio da embaixada pelas de Saleh.[19]

Província de Baghlan[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Província de Baghlan

Em 20 de agosto, um grupo de forças anti-talibã foi organizado na Baghlan, chefiado por Abdul Hamid Dadgar.[20] O grupo assumiu o controle dos distritos Andarab, Pul-e-Hesar e De Salah da Baghlan, matando ou ferindo 60 combatentes do Talibã enquanto o faziam. No meio da tarde, relatórios não confirmados de Panjshir afirmaram que Pul-e-Hesar foi retirado do Talibã, e que a luta ainda estava acontecendo em De Salah e Banu, com a mídia iraniana relatando logo depois disso, primeiro Andarab, e em seguida, De Salah caiu para a resistência.[21]

De acordo com Sediqullah Shuja, um ex-membro das Forças de Segurança Nacional do Afeganistão, as razões para a remoção do Taleban das cidades do vale do Andarab foram as buscas do Taleban em casas particulares, o que foi considerado uma violação do acordo por que o Talibã teve permissão para assumir o controle militar das cidades.[18] Shuja afirmou que os talibãs entraram nas casas "e assediaram as pessoas. Nas nossas aldeias, as pessoas são muito tradicionais e muçulmanas.[18] Não há razão para o Talibã vir e nos ensinar sobre o Islã". O ex-comandante da prisão de Baghlan, Abdul Rahman, afirmou que" Todas as pessoas do vale se levantaram contra o Talibã. Não temos medo dos combatentes do Talibã."[18]

Reações[editar | editar código-fonte]

  •  Rússia – O embaixador russo no Afeganistão, Dmitry Zhirnov, classificou a resistência como "condenada" e que a resistência fracassaria. Zhirnov afirmou ainda que a proclamação de Saleh como presidente interino é inconstitucional e acrescentou que eles "não têm perspectivas militares".[22] Zhirnov também declarou seus planos de mediar as negociações entre a Resistência e o Talibã.[23]
  •  Índia – O ex-chefe do Estado-Maior do Exército e indiano Shankar Roychowdhury disse que o governo da Índia deve estender a mão às forças de resistência baseadas em Panjshir junto com facções do Taleban que podem ser amigas da Índia.[24]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Opinion | The mujahideen resistance to the Taliban begins now. But we need help.». Washington Post (em inglês). ISSN 0190-8286. Consultado em 18 de agosto de 2021 
  2. «Afghan leader of Taliban resistance urges West to "supply us without delay"». Newsweek (em inglês). 19 de agosto de 2021. Consultado em 20 de agosto de 2021 
  3. a b c d e «Analysis | Northern Afghanistan once kept out the Taliban. Why has it fallen so quickly this time?». Washington Post (em inglês). ISSN 0190-8286. Consultado em 20 de agosto de 2021 
  4. «He promised an "organized resistance" to Taliban rule. Now he wants U.S. help to lead the fight.». www.cbsnews.com (em inglês). Consultado em 20 de agosto de 2021 
  5. a b c d «'Panjshir stands strong': Afghanistan's last holdout against the Taliban». the Guardian (em inglês). 18 de agosto de 2021. Consultado em 20 de agosto de 2021 
  6. a b c d «An anti-Taliban front forming in Panjshir? Ex top spy Saleh, son of 'Lion of Panjshir' meet at citadel». The Week (em inglês). Consultado em 20 de agosto de 2021 
  7. a b c «The Panjshir Valley: what is the main bastion of resistance against the Taliban advance in Afghanistan». Market Research Telecast (em inglês). 16 de agosto de 2021. Consultado em 20 de agosto de 2021 
  8. Amrullah, Saleh. «Clarity: As per d constitution of Afg, in absence, escape, resignation or death of the President the FVP becomes the caretaker President. I am currently inside my country & am the legitimate care taker President. Am reaching out to all leaders to secure their support & consensus.». Twitter 
  9. «Ahmad Massoud Declared As His Father's Successor». TOLOnews 
  10. «Protests against Afghan Taliban spread in early signs of resistance». Rappler (em inglês). Consultado em 20 de agosto de 2021 
  11. «Resistance and refugees: the Afghan province holding out against the Taliban». ABC Radio (em inglês). 17 de agosto de 2021. Consultado em 20 de agosto de 2021 
  12. AFP (17 de agosto de 2021). «Defiant Afghan ex-VP vows new fight with Taliban». Digital Journal (em inglês). Consultado em 20 de agosto de 2021 
  13. «As Taliban takes over, one Afghan province is still standing strong - Here's the story of Ahmad Shah Massoud and his bastion Panjshir». Free Press Journal (em inglês). Consultado em 20 de agosto de 2021 
  14. a b Service, Tribune News. «Afghan crisis: Panjshiris remain defiant, claim Uzbek leader Dostum's support». Tribuneindia News Service (em inglês). Consultado em 20 de agosto de 2021 
  15. «Источник: силы вице-президента Афганистана ведут бои с талибами в Панджшере». РИА Новости (em russo). 17 de agosto de 2021. Consultado em 20 de agosto de 2021 
  16. «'Northern Alliance' flag hoisted in Panjshir in first resistance against Taliban». Hindustan Times (em inglês). 17 de agosto de 2021. Consultado em 20 de agosto de 2021 
  17. Archive, View Author (18 de agosto de 2021). «Inside the Afghanistan province that refuses to buckle to Taliban». New York Post (em inglês). Consultado em 20 de agosto de 2021 
  18. a b c d Mehrdad, Ezzatullah; Raghavan, Sudarsan (20 de agosto de 2021). «Anti-Taliban fighters claim victories as first stirrings of armed resistance emerge». The Washington Post. Consultado em 21 de agosto de 2021. Cópia arquivada em 21 de agosto de 2021 
  19. Ray, Siladitya. «Afghan Embassy In Tajikistan Demands Interpol Arrest Escaped Former President Ashraf Ghani». Forbes (em inglês). Consultado em 20 de agosto de 2021 
  20. «Anti-Taliban militia take hold of Baghlan province». The Independent. 20 de agosto de 2021 
  21. «Anti-Taliban Resistance Recaptures Multiple Areas as Afghans Fight Back». Newsweek. 20 de agosto de 2021 
  22. Vasilyeva, Maria (20 de agosto de 2021). «Resistance to Taliban is doomed, says Russian envoy to Afghanistan». Reuters. Consultado em 20 de agosto de 2021 
  23. «Russia set to help Taliban reach political deal with 'resistance' leaders at Panjshir». The Week. 22 de agosto de 2021. Consultado em 23 de agosto de 2021 
  24. «Eye On Taliban, Former Army Chief Says Need To Step Up Kashmir Outreach». NDTV.com. Consultado em 21 de agosto de 2021