Resolução 252 do Conselho de Segurança das Nações Unidas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Small Flag of the United Nations ZP.svg
Resolução 252
do Conselho de Segurança da ONU
Data: 21 de maio de 1968
Reunião: 1.426
Código: S/RES/252 ([1] Documento)

Votos:
Prós Contras Abstenções Ausentes
13 0 2
Assunto: A situação no Oriente Médio
Resultado: Aprovada

Composição do Conselho de Segurança em 1968:
Membros permanentes:

 República da China
 França
 Reino Unido
 Estados Unidos
 União Soviética

Membros não-permanentes:
 Argélia
 Brasil
 Canadá
 Dinamarca
 Etiópia
 Hungria
 Índia
 Paquistão
 Paraguai
 Senegal

A Resolução 252 do Conselho de Segurança das Nações Unidas aprovada em 21 de maio de 1968, após uma carta do Representante Permanente da Jordânia, ouvindo declarações de Israel e da Jordânia, e as medidas tomadas por Israel contra as resoluções da Assembleia Geral sobre o assunto, o Conselho reafirmou que a aquisição de território por conquista militar é inadmissível e deplorou o fracasso de Israel para cumprir as resoluções da Assembleia Geral. O Conselho considerou que todas as medidas legislativas e administrativas que tendem a mudar o status legal de Jerusalém são inválidas e não podem mudar esse status e urgentemente conclamam Israel a rescindir todas as medidas já tomadas e a desistir imediatamente de tomar quaisquer outras medidas que tendam a mudar o status de Jerusalém.

A resolução foi aprovada com 13 votos a nenhum; O Canadá e os Estados Unidos se abstiveram.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Texto da Resolução 252 do Conselho de Segurança das Nações Unidas». 21 de maio de 1968. Consultado em 17 de fevereiro de 2019