Restelo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Nuvola apps kcmpartitions.png
Este artigo não está em nenhuma categoria (desde dezembro de 2015).
Por favor, categorize-o para que seja listado com suas páginas similares.
Wikitext.svg
Esta página ou seção precisa ser wikificada (desde dezembro de 2015).
Por favor ajude a formatar esta página de acordo com as diretrizes estabelecidas.
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde dezembro de 2015).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.

O sítio do Restelo Segundo testemunham velhos documentos, o litoral do Tejo, era formado por várias enseadas, que seriam aprazíveis sítios para os navegadores se refugiarem dos temporais. A faina marítima era a principal preocupação dos póvos do Reguengo de Algés. Naquelas enseadas vêr-se-iam minúsculas embarcações a recortarem-se no fundo anilado do deserto marítimo, enquanto nos montes cresciam e alouravam as searas de linho. As mulheres dedicavam parte da sua vida à indústria da tecelagem, fiando a estopa para o fabrico de cordas. Ora como nessa faina, tinham primeiramente que rastelar, ou seja separar as fibras grossas das finas, por meio dum pente de ferro ou de madeira, sucedeu que, fazendo com que essa industria emprestasse ao sítio o nome de Rastêlo. As praias do Rastêlo, eram procuradas como mercado propício aos navegadores quando as suas embarcações necessitavam de cordas, para o velame e para as redes de pesca.


Erro de citação: Código <ref> inválido; refs sem parâmetro de nome devem possuir conteúdo a elas associadoJosé Dias Sanches- Belém e arredores através dos Tempos -Livraria Universal-Editora-1940