Retirada soviética do Afeganistão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Retirada soviética do Afeganistão
Invasão soviética do Afeganistão
RIAN archive 58833 Withdrawal of Soviet troops from Afghanistan.jpg
Uma coluna de BTR-80 soviéticos durante a retirada.
Data 15 de maio de 1988 - 15 de fevereiro de 1989
Local Afeganistão
Resultado Retirada das tropas soviéticas
Combatentes
 Soviet Union Flag of Jihad.svg Mujahidin
Comandantes
Boris Gromov Vários
Baixas
523 mortos[1] 1200 mortos

A Retirada das forças de combate soviéticas do Afeganistão começou em 15 de maio de 1988 sob a liderança do Coronel-general Boris Gromov, que também foi o último oficial soviético a se retirar do Afeganistão para o território soviético através da Ponte de Amizade Afeganistão-Uzbequistão. Sob os Acordos de Genebra em 15 de abril de 1988, o Afeganistão e Paquistão assinaram três instrumentos em príncipios de relações mútuas, em particular a não-interferência, sobre o regresso voluntário de refugiados afegãos e inter-relações para o estabelecimento da retirada gradual das tropas estrangeiras a partir de 15 de maio do mesmo ano.

Os Estados Unidos e a União Soviética também assinaram uma declaração sobre as garantias internacionais, afirmando suas abstenções de qualquer forma de intervenção.

No período de três meses em primeiro lugar, foi relatado que 50,183 tropas estrangeiras se retiraram. Outras 50,100 se retiraram entre 15 de agosto de 1988 e 15 de fevereiro de 1989.

O tempo todo durante a retirada ao longo da fronteira, os comboios de tropas estavam sendo alvos de constantes ataques de combatentes afegãos. Todos os 523 soldados soviéticos foram mortos durante a retirada.[2]

A retirada total das tropas soviéticas do Afeganistão foi concluída em 15 de fevereiro de 1989, em conformidade com os termos dos Acordos de Genebra, assinados 10 meses antes.

Em um movimento simbólico, o Tenente-general Boris Gromov foi o último a se retirar do Afeganistão de volta para a URSS.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. "How Not to End a War", The Washington Post, 17 July 2007. Página visitada em 03-04-12.
  2. "How Not to End a War", The Washington Post, 17 July 2007. Página visitada em 03-04-12.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]