Revólver Beaumont–Adams

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Revólver Beaumont–Adams
Beaumont Adams.JPG
Revólver de percussão Beaumont–Adams
Tipo Revólver de Serviço
Local de origem Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda
História operacional
Em serviço 1862 – 1880
Utilizadores Reino Unido & Colônias
Commonwealth Britânica
Policia Montada Real Canadense
Estados Unidos
Estados Confederados
Guerras Guerra Civil Americana
Guerra Anglo-Zulu
Primeira Guerra Boer
Numerosos conflitos coloniais britânicos
Histórico de produção
Criador Lt. Beaumont (Royal Engineers), Robert Adams
Data de criação 1862
Quantidade
produzida
250.000
Especificações
Peso 2.4 libras (1.1 kg), descarregada
Comprimento 11.25 polegadas. (286 mm)
Cartucho Cap & Ball
Calibre .479 (cano 38), .442 (cano 54), & .338 (cano 120)
Ação Revólver de dupla ação
Cadência de tiro 12 rodadas/minuto
Velocidade de saída 190 m/s
Alcance efetivo 35 jardas
Alcance máximo 100 jardas
Sistema de suprimento Cilindro 5-rounds
Mira Post dianteiro fixo e entalhe traseiro

O Revólver Beaumont–Adams é um revólver de percussão de ação dupla. Originalmente adotado pelo Exército Britânico em 1856 (calibre .442 e 11.2 mm de diâmetro), muitos foram posteriormente convertidos para usar cartuchos de percussão central. Foi substituído no serviço britânico em 1880 pelo Revólver Enfield Mk I (calibre .476 e 11.6mm de diâmetro).[1]

História[editar | editar código-fonte]

No dia 20 de fevereiro de 1856, foi concedida uma patente britânica para o tenente Frederick E.B. Beaumont dos Royal Engineers para melhorias no revolver de Adam, o qual permitiu que eles fossem engatilhadas e disparadas, usando manualmente o martelo como no revólveres Colt de ação única, ou simplesmente puxando o gatilho. Beaumont recebeu uma patente dos EUA (nº 15.032[2]) em 3 de Junho do mesmo ano.

Naquela época, Adams e Colt competiam intensamente. Tal processo fez com que as vendas crescessem rapidamente e uma fábrica de armas e munição foi montada para competir com a companhia de armas de fogo britânica, manufaturando armas com partes trocáveis. Os revólveres Adams de 1851 e 1854 eram auto-engatilháveis, conhecidas como dupla-ação. Essas armas de fogo eram as favoritas dos oficiais britânicos na Guerra da Criméia e em conflitos coloniais por causa de seu calibre e velocidade de puxar o gatilho serem mais rápidas que os revólveres da Colt; ideais para disparos à média distância.[3]

Em parceria com George e John Deane, a companhia de Deane, Adams & Deane produziu um novo revólver variando em calibre e tamanhos, desde versões de bolso a versões maiores com fins militares. O Reino Unido oficialmente adotou a Beaumont-Adams em 1856, logo seguidos por Holanda e Rússia.[4] Para atender a demanda, Deane, Adams & Deane contratou companhias em Birmingham e Liége para manufaturar essas armas de fogo sob licença. O novo revólver deu uma grande vantagem a Robert Adams sobre Samuel Colt, fazendo com que o mesmo fechasse sua fábrica em Londres por queda nas vendas.

Nos Estados Unidos, a Massachusetts Arms Company foi autorizada a produzir 19 mil espécimes da arma de calibre .36, sendo 1750 delas compradas pela Union Army no começo da Guerra Civil Americana. Foram feitas também versões pocket de calibre 32.

Referências

  1. Barnes, Frank C., by John T. Amber. Cartridges of the World (Northfield, IL: DBI Books, 1972), p. 170, ".44 Webley/.44 R.I.C.". [S.l.: s.n.] 
  2. Beaumont, Frederick E. B. (3 de Junho de 1856). «Improvement in Fire-arms». USPO. Consultado em 31 de julho de 2008 
  3. Kinard, Jeff (2004). Pistols: an illustrated history of their impact. ABC-CLIO. pp. 75–76. ISBN 1-85109-470-9. [S.l.: s.n.] 
  4. Chamberlain, WHJ; Taylerson, AWF (1976). Adams' Revolvers. London: Barrie & Jenkins. ISBN 0-214-20080-2. [S.l.: s.n.] 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Revólver Beaumont–Adams