Revisionismo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde março de 2015). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Revisionismo é o ato de se reanalisar algo (por exemplo, um fato, doutrina, valor, livro etc.), gerando modificações em relação à interpretação original que se tinha do objeto analisado.[1]

Sentido Pejorativo[editar | editar código-fonte]

Manifestação na Itália em 2007 contra o revisionismo histórico da Segunda Guerra Mundial

O termo também pode ter um sentido pejorativo de falseamento e distorção da verdade.

Exemplos[editar | editar código-fonte]

Um dos primeiros e mais importantes revisionismos foi a revisão da doutrina marxista elaborada por Eduard Bernstein e Karl Kautsky no fim do século XIX, revisionismo este frequentemente associado à social-democracia.

Também há uma iniciativa de pesquisadores independentes que tem, por objetivo, incluir e até mesmo ressaltar uma maior participação do mundo oriental na história mundial. Segundo estes pesquisadores, teria havido, durante a Inquisição e após a Primeira e Segunda Guerra Mundial, parcialidade por parte dos historiadores.

Em alguns casos, o revisionismo se confunde com o negacionismo, como na expressão revisionismo do Holocausto, também chamado de negacionismo do Holocausto (ver: Críticas ao Negacionismo do Holocausto).

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. FERREIRA, A. B. H. Novo Dicionário da Língua Portuguesa. 2ª edição. Rio de Janeiro. Nova Fronteira. 1986. p. 1 506.
Ícone de esboço Este artigo sobre política ou um cientista político é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.