Revisionismo (marxismo)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A palavra revisionismo, no movimento marxista, é usada para se referir a várias ideias, princípios e teorias que se baseiam em uma significativa revisão das premissas marxistas fundamentais.[1]

O termo é mais frequentemente usado por marxistas que acreditam que tais revisões são injustificadas e representam um "nivelamento por baixo" ou abandono do marxismo. Como tal, o revisionismo muitas vezes carrega conotações pejorativas. Os identificados como "revisionistas" tem criticado o marxismo "ortodoxo" por ter desconsiderado a visão de Karl Marx, da necessidade de evolução do capitalismo para alcançar o socialismo, e por desrespeitar a ênfase do mesmo sobre o papel da democracia parlamentar em alcançar o mesmo objetivo, bem como criticar Karl Kautsky pela sua ideia de socialismo estatal.[2] O termo "revisionismo" tem sido utilizado numa série de diferentes contextos e de se referir a um número de diferentes revisões (ou reivindicadas revisões) de teoria marxista:

Eduard Bernstein, autor do original Revisionismo.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Oxford English Dictionary Revisionism 1. "A policy first put forward in the 1890s by Edward Bernstein (1850-1932) advocating the introduction of socialism through evolution rather than revolution, in opposition to the orthodox view of Marxists; hence a term of abuse used within the communist world for an interpretation of Marxism which is felt to threaten the canonical policy." with the first use in English "1903Social-Democrat VII. 84 (heading) Revisionism in Germany."
  2. Michael Harrington. Socialism: Past and Future. Reprint edition of original published in 1989. New York, New York, USA: Arcade Publishing, 2011. Pp. 43-59.
  3. Vgl. Wolfgang Eichhorn: Über Eduard Bernstein. Gegensatz und Berührungspunkte zu Rosa Luxemburg und W. I. Lenin, em: Jahrbuch für Forschungen zur Geschichte der Arbeiterbewegung, No. I/2002.
  4. Philip P. Wiener (ed). Dictionary of the History of Ideas, Charles Scribner's Sons, New York, in 1973-74. R. K. KindersleyMarxist revisionism: From Bernstein to modern forms, website of the University of Virginia Library. Accessed 28 April 2008
  5. Leon Trotsky.The Third International After Lenin, The Militant, 1929. Accessed 14 March 2010
  6. Quarta Internacional (1943). «Manifesto of the Fourth International on the Dissolution of the Comintern». Marxists.org (em inglês). Consultado em 28 de novembro de 2013 
  7. Backgound to Hungary; From Socialist Review, July 1958; acessado em 28 novembro 2013
  8. «Hungary, in Turnabout, declares 56 rebellion a popular uprising» (em inglês). New Your Times. 29 de janeiro de 1989. Consultado em 29 de novembro 2013 
  9. «1956: Khrushchev lashes out at Stalin» (em inglês). BBC. Consultado em 18 de agosto 2013 
  10. a b Sven-Eric Holmstrom (2012):Khrushchev Lied, Socialism and Democracy, 26:2, 120.
  11. Andrew Milner, "E. P. Thompson 1924-1993", Labour History, No. 65 (November 1993), pp. 216-218.