Revista Marítima Brasileira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Este artigo ou secção necessita de referências de fontes secundárias fiáveis publicadas por terceiros (desde março de 2015).
Por favor, melhore-o, incluindo referências mais apropriadas vindas de fontes fiáveis e independentes.
Fontes primárias, ou que possuem conflito de interesse geralmente não são suficientes para se escrever um artigo em uma enciclopédia.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Wikitext.svg
Esta página ou seção precisa ser wikificada (desde março de 2015).
Por favor ajude a formatar esta página de acordo com as diretrizes estabelecidas.
Revista Marítima Brasileira
Exposição de um exemplar da revista Marítima brasileira em uma Biblioteca Municipal no Piauí.
Frequência Trimestral
Editora Diretoria do Patrimônio Histórico e Documentação da Marinha (DPHDM)
País  Brasil
Idioma português
Fundação 1851 (167 anos)
Fundador(a) Sabino Elói Pessoa
Primeira edição 1851
ISSN 0034-9860

Revista Marítima Brasileira (RMB), é uma revista brasileira de publicação oficial da Marinha do Brasil.

História[editar | editar código-fonte]

Foi fundada em 1851 pelo Primeiro-Tenente Sabino Elói Pessoa. É a revista marítima mais antiga do mundo em atividade e foi a segunda criada no mundo, a primeira é a Morskoii Sbornik, da Rússia. Com edição trimestral, é destinada à publicação de artigos, dissertações, teses e notícias relacionados a diversos assuntos históricos, técnicos, estratégicos, políticos e do dia a dia militar. Assim sendo, é constantemente utilizada como material de estudo para questionamentos atuais e para provas nos cursos da Marinha.[1] [2]

A RMB é editada pela Diretoria do Patrimônio Histórico e Documentação da Marinha (DPHDM), dentro dos padrões de produção científica reconhecidos pelos meios acadêmicos. Por isso e por atender a várias áreas do conhecimento, possui conceito Qualis da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - CAPES.

Público e linha editorial[editar | editar código-fonte]

O público-alvo inicial era os oficiais de Marinha, e o intuito era estimular o debate referente às inovações relacionadas à problemática naval. Porém, a pertinência de seus artigos e a riqueza das informações neles contidas, com o passar dos anos, foram chamando a atenção dos demais estudiosos dos assuntos marítimos, e, assim, a RMB transpôs as fronteiras navais brasileira. Começou a ser enriquecida com artigos de especialistas civis, tanto brasileiros, quanto estrangeiros, interessados em participar da troca de informações, tornando-se, assim, um veículo de ponta no que tange ao estudo do Poder Marítimo. [3]. O regulamento da revista foi feito pelo decreto nº 17.578, de 2 de dezembro de 1926[4].

Medalha[editar | editar código-fonte]

A Marinha do Brasil confere a "Medalha-prêmio Revista Marítima Brasileira" que conforme o decreto nº 42.394, de 3 de Outubro de 1957, é uma das condecorações brasileiras destinadas a premiar a aplicação aos estudos militares ou à instrução militar[5].

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. http://lithic.kinghost.net/revista/a-revista
  2. https://www.mar.mil.br/dphdm/
  3. http://www.revistanavigator.com.br/navig6/rese/N6_rese1.html
  4. BRASIL. Decreto nº 17.578, de 2 de Dezembro de 1926. Approva e manda executar o regulamento para a Directoria da Bibliotheca e Archivo da Marinha. Arquivo da Câmara dos Deputados. Acesso no dia 23 de junho de 2018.
  5. Decreto nº 42.394, de 3 de Outubro de 1957. Câmara dos Deputados. Acesso em 23 de junho de 2018.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]