Revista do Rádio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A Revista do Rádio foi uma publicação hebdomadária do Rio de Janeiro, que circulou entre 1948 e 1970 (quando transformou-se na Revista do Rádio e TV), editada por Anselmo Domingos, e que retratou o período da Era do Rádio brasileira. A primeira edição teve quarenta páginas, custou três cruzeiros e trouxe na capa Carmem Miranda.

Consulte e pesquise nas imagens da Revista do Radio ou em milhares de outros jornais e revistas na Hemeroteca Digital Brasileira da Biblioteca Nacional

Características[editar | editar código-fonte]

A publicação possuía cerca de 50 páginas; inicialmente mensal, já em 1950 tornou-se semanal, sendo a primeira do país a retratar exclusivamente as notícias do universo artístico que girava em torno da radiodifusão.[1]

Ao todo, foram publicadas mais de mil edições da revista.[2]

Numa pesquisa feita em 1956 pelo IBOPE, no Rio de Janeiro, a Revista do Rádio foi a segunda mais lida, ficando atrás somente de O Cruzeiro.[1]

Conteúdo[editar | editar código-fonte]

Revista de "fofocas", tinha seu carro-chefe na seção denominada Mexericos da Candinha - onde uma personagem criada pela redação da revista colocava notas sobre a vida pessoal de artistas, muitos deles acreditando que se tratava de uma pessoal real. Além disto, possuía seções em artistas eram entrevistados, acompanhamento das radionovelas, etc.[2]

A partir de 1955 Anselmo Domingos passou a assinar seus editoriais, que retratavam também notícias que ligavam ao mundo do rádio e suas celebridades.[1]

A revista encontra-se digitalizada com busca por palavra em seu conteúdo pela Biblioteca Nacional

Para saber mais[editar | editar código-fonte]

  • Revista do Rádio - Livro de Rodrigo Faour. Ed. Relume-Dumará/RioArte, coleção Arenas do Rio. 162 págs.
  • [1]

Referências

  1. a b c A Revista do Rádio através de seus editoriais (década de 50), HAUSSEN, Doris Fagundes. BACCHI, Camila Stefenon (pesquisa, acessada em janeiro de 2009)
  2. a b Era do Rádio, por Ruy Castro, in: Observatório da Imprensa, apud O Estado de S. Paulo, ed. de 16 de novembro de 2002 (página acessada em janeiro de 2009)