Rhapis

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde agosto de 2013). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Como ler uma infocaixa de taxonomiaRhapis
ráfis, rápis, palmeiras-ráfia
Classificação científica
Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Liliopsida
Ordem: Arecales
Família: Arecaceae
Subfamília: Coryphoideae
Tribo: Corypheae
Subtribo: Thrinacinae
Género: Rhapis
L.f. ex Aiton
Espécies
Ver texto
Frutos de Rhapis excelsa.

Rhapis L.f. ex Aiton é um género de pequenas palmeiras pertencente à família Arecaceae que inclui cerca de espécies com distribuição natural no sueste asiático (sul da China, Indochina e Japão).[1] O género caracteriza-se pela presença de folhas frisadas e palmadas, com longo pecíolo, cuja divisão em segmentos ocorre entre as venações, resultando em formas que evocam um leque aberto. Muitas das espécies deste género são utilizadas como plantas ornamentais, em particular em decoração de interiores.[2]

Descrição[editar | editar código-fonte]

O género pertence à tribo Corypheae (palmeiras-leque), caracterizando-se por folhas com pecíolo nu, terminando em num leque arredondado de grande número de folíolos. As plantas têm caules finos, até 3–4 m de altura, ramificados na base, formando aglomerados. A maioria das espécies é dioica, com flores masculinas e femininas produzidas em plantas separadas.

O género Rhapis está intimamente relacionado com os géneros Maxburretia e Guihaia, com os quais forma um grupo com significado taxonómico entre as Thrinacinae, diferenciado pela presença de carpelos especializados.

O termo Rhapis (do grego rhapis; "cana") deve-se à estipe apresentar nós e entre-nós bem definidos, o que lhe confere um apecto morfológico próxino de uma cana.

A folhagem é considerada muito ornamental sendo utilizada em vasos ou grupos à meia-sombra em regiões tropicais e subtropicais quentes e em decoração de interiores. A suas flores e frutos possuem importância secundária. Existem formas com folhas variegadas e com folhas mais claras e mescladas.

Espécies[editar | editar código-fonte]

O género Rhapis está inserido na subfamília Coryphoideae, tribo Trachycarpeae, subtribo Rhapidinae. A monofilia do taxon ainda não se encontra totalmente estabelecida, mas considera-se actualmente um grupo irmão de Guihaia. Na sua presente configuração o género inclui as seguintes espécies:[3]

A publicação World Checklist of Selected Plant Families dos Royal Botanic Gardens, Kew inclui aind a espécie Rhapis puhuongensis.[4]

Notas

Referências

  • John Dransfield, Natalie W. Uhl, Conny B. Asmussen, William J. Baker, Madeline M. Harley, Carl E. Lewis: Genera Palmarum. The Evolution and Classification of Palms. Zweite Auflage, Royal Botanic Gardens, Kew 2008, ISBN 978-1-84246-182-2, S. 226ff.
  • Laura H. Hastings: A Revision of Rhapis, the Lady Palms. Palms, Band 47, 2003, S. 62-78.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Categoria no Commons
Wikispecies Diretório no Wikispecies