Ribeirão Feijão Cru

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde maio de 2019). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Ribeirão Feijão Cru
uma ilustração licenciada gratuita seria bem-vinda
Localização
País
Dimensões
Comprimento
18 km
Hidrografia
Tipo
Bacia hidrográfica
Área da bacia
97 km²
Nascente
Altitude da nascente
480 m
Afluente
principal
Ribeirão do Banco
Foz
Altitude da foz
140 m

O ribeirão Feijão Cru é um curso de água do estado de Minas Gerais. É um afluente da margem direita do rio Pomba e, portanto, um subafluente do rio Paraíba do Sul.

Apresenta 18 km de extensão e drena uma área de 97 km².[1] Sua nascente localiza-se no município de Leopoldina, a uma altitude de aproximadamente 480 metros. O ribeirão atravessa a área central da cidade de Leopoldina.[2] Na zona rural do município, cerca de 6 km após receber o ribeirão do Banco, seu principal afluente, o Ribeirão Feijão Cru tem sua foz no rio Pomba.[3]

O curso d'água aparece com o nome Feijão Cru em documentos oficiais desde 1817, como referência para demarcação das sesmarias concedidas às famílias dos primeiros povoadores de Leopoldina.[4] Segundo a tradição local, o nome se deve a um incidente ocorrido no início do século XIX, quando os tropeiros que trafegavam pela bacia do rio Pomba acamparam em uma clareira ao lado de um córrego e acenderam o fogo para espantar os animais e cozinhar a refeição. O cozinheiro dormiu ao lado da fogueira e permitiu que o fogo se apagasse, o que deixou completamente cru o feijão que estava sendo preparado.[5]

Referências

  1. «Programa Nacional de Avaliação da Qualidade das Águas». Agência Nacional de Águas (ANA). Consultado em 26 de fevereiro de 2014 
  2. «Carta do Brasil SF-23-X-D-V-2 Leopoldina» (JPG). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consultado em 23 de dezembro de 2010 
  3. «Carta do Brasil SF-23-X-D-II-4 Cataguases» (JPG). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consultado em 23 de dezembro de 2010 
  4. Cantoni. «Sesmarias concedidas no território do Feijão Cru». Estudos sobre a História de Leopoldina, MG. Consultado em 26 de fevereiro de 2014. Arquivado do original em 3 de março de 2016 
  5. Escola de Arquitetura da UFMG / Prefeitura de Leopoldina. «Plano Diretor Participativo de Leopoldina» (PDF). Consultado em 26 de fevereiro de 2014. Arquivado do original (PDF) em 22 de janeiro de 2016 
Ícone de esboço Este artigo sobre hidrografia do Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.