Ricardo Ferraço

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ricardo Ferraço
Ricardo Ferraço
Senador pelo  Espírito Santo
Período 1º de fevereiro de 2011
até a atualidade
Vice-Governador do  Espírito Santo
Período 1º de janeiro de 2007
até 31 de dezembro de 2010
Antecessor(a) Lelo Coimbra
Sucessor(a) Givaldo Vieira
Deputado federal pelo  Espírito Santo
Período 1º de fevereiro de 1999
até 31 de dezembro de 2003
Deputado estadual do  Espírito Santo
Período 1991 a 1998
Vida
Nascimento 17 de agosto de 1963 (53 anos)
Cachoeiro do Itapemirim, ES
Dados pessoais
Cônjuge Vivian Coser Sete
Partido PSDB
Profissão Empresário
linkWP:PPO#Brasil

Ricardo de Rezende Ferraço (Cachoeiro do Itapemirim, 17 de agosto de 1963) é um político brasileiro, atualmente filiado ao Partido da Social Democracia Brasileira. É filho do também político Theodorico Ferraço.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Tendo pertencido a PSDB, PTB, PPS, PMDB. E, atualmente filiado ao PSDB. Começou a carreira pública como vereador, em 1982, na cidade de Cachoeiro do Itapemirim. Foi Deputado Estadual por dois mandatos, 1990/1994 e 1995/1998, presidiu a Assembléia Legislativa do Estado do Espírito Santo em 1995/1996. Era o mais jovem parlamentar da casa.

Em 1997, assumiu como secretário Chefe da Casa Civil do Governo do Estado do Espírito Santo.[2]

Em 1998 foi eleito Deputado Federal, sendo o mais votado do Espírito Santo, com aproximadamente 75 mil votos. Cumpriu mandato na câmara federal 1999 a 2002.[2]

Disputou a eleição para o senado em 2002, mas obteve o quarto lugar, as duas vagas do Estado ficaram com o Gerson Camata e Magno Malta.[2]

Antes de ser eleito vice-governador, ocupou a Secretaria de Estado da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca (Seag), durante o primeiro mandato do governador Paulo Hartung, de 2003 a 2006.[2]

Vice-governador empossado em 2007, passou a responder também, pela Secretaria de Transportes e Obras Públicas (Setop), além de ser o coordenador da área de Gerenciamento de Projetos do Governo do Estado.[2]

Foi pré-candidato ao Governo do Espírito Santo. No entanto, pouco tempo antes teve sua candidatura vetada, restando-lhe apoiar a candidatura do senador Renato Casagrande, e lançou-se para a disputa ao Senado, sendo eleito com 1.557.409 (44,55%).[3]

Em 15 de janeiro de 2016 anuncia seu desligamento do PMDB, por discordar do apoio do partido ao governo Dilma Rousseff.[4] Em 1 de março de 2016, se filiou ao PSDB.[5]

No Senado Federal, foi presidente da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional e, juntamente do diplomata brasileiro Eduardo Saboia, atuou diretamente no resgate do senador boliviano Roger Pinto Molina, opositor do governo de Evo Evo Moralles, que era mantido como asilado político na embaixada do Brasil em La Paz.

Em junho de 2016, Ferraço tornou-se membro titular da Comissão Especial do impeachment.[6]

Atualmente, Ferraço é vice-presidente da Comissão de Infraestrutura do Senado.[7]

Referências

  1. «Ricardo Ferraço - ES». Senado. Consultado em 8 de maio de 2016. 
  2. a b c d e «Ferraço e Magno Malta são eleitos senadores no ES». Gazeta Online. 3 de outubro de 2010. Consultado em 8 de maio de 2016. 
  3. «ES elege Ferraço e Malta para o Senado». G1. 3 de março de 2010. Consultado em 8 de maio de 2016. 
  4. Laís Alegretti (15 de janeiro de 2016). «Senador Ricardo Ferraço anuncia desfiliação do PMDB». G1. Consultado em 8 de maio de 2016. 
  5. Victoria Varejão (1 de março de 2016). «Senador Ricardo Ferraço do ES assina filiação ao PSDB». G1. Consultado em 8 de maio de 2016. 
  6. «Ricardo Ferraço assume vaga na comissão do impeachment». Gazeta Online. 8 de junho de 2016. Consultado em 5 de setembro de 2016. 
  7. «Comissão de Serviços de Infraestrutura». Senado Federal. Consultado em 5 de setembro de 2016. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Lelo Coimbra
Vice-governador do Espírito Santo
20072010
Sucedido por
Givaldo Vieira
Ícone de esboço Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.