Ricardo Ribeiro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ricardo Ribeiro
Informação geral
Nome completo Ricardo Alexandre Paulo Ribeiro
Nascimento 19 de agosto de 1981 (36 anos)
Origem Lisboa
País  Portugal
Gênero(s) Fado, World Music
Instrumento(s) Vocal
Período em atividade 1996-presente
Gravadora(s) World Connection, Companhia Nacional de Música, Difference, iPlay, Enja Records
Afiliação(ões) Rabih Abou-Khalil, Rui Veloso, Simone de Oliveira, Carlos do Carmo, Olga Cerpa, Luís Represas, João Gil, Os Músicos do Tejo, Pedro Jóia
Influência(s) Fernando Maurício, Amália Rodrigues, Rabih Abou-Khalil, Umm Kulthum, Mohammad Abdel Wahab, Wadih El Safi, Camarón de la Isla, Paco de Lucia, Bach, Prokofiev, Brahms, Gabriel Fauré
Página oficial fb.com/ricardoribeiromusic, ricardoribeiro.pt

Ricardo Alexandre Paulo Ribeiro ComIH, mais conhecido como Ricardo Ribeiro[1] (Lisboa, a 19 de Agosto de 1981[2][3][4][5]), é um fadista português.

A sua maior referência fadista é Fernando Maurício, cantor que chegou a conhecer.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Foi criado no Bairro da Ajuda, tendo começado a cantar aos 9 anos de idade para os amigos.[2][3][4][5]

Impulsionado por uma tia, a sua estreia aconteceu aos 12 anos, no Grupo Desportivo "A Académica da Ajuda", sendo acompanhado à guitarra por Carlos Gonçalves e à viola José Inácio, que se tornaria um dos seus mestres.[2][3][4][5]

Participa na Grande Noite do Fado de 1996, em Lisboa, arrecadando o 2º lugar. Vence esta iniciativa da Casa da Imprensa no ano seguinte e já em 1998 volta a vencer na categoria de seniores masculinos.[2][3][4][5]

Ao mesmo tempo que estuda no Colégio Diocesano Andrade Corvo, em Torres Novas, com 15 anos, passa a integrar o elenco do Restaurante Típico "Os Ferreiras", na freguesia da Pena, ao lado de nomes como Fernando Maurício (que considera seu mestre) e Adelino dos Santos, guitarrista de quem diz ter recebido muitos ensinamentos.[2][3][4][5]

Pelo meio exerce variadas atividades profissionais, desde operário na construção civil a pastor de rebanhos de ovelhas, na Moita do Ribatejo.

Passa mais tarde para o Bairro Alto, actuando no Restaurante Típico "Nô-Nô "[6], O Faia ou Café Luso. Faz parte do elenco da Casa de Fado Marquês da Sé e aos sábados canta na Mesa de Frades, ambos em Alfama.[2][3][4][5]

Em 2001 representa Portugal, a convite do Ministério da Cultura francês, num festival de culturas realizado na casa doada pela actriz Maria Casarès à localidade de Alloue, Charente, França.[2][3][4][5]

Em 2004 participa em A Tribute to Amália Rodrigues, uma compilação de homenagem à fadista portuguesa, editada em 6 de Outubro pela World Connection.[2][3][4][5][7] O tema escolhido foi "Quando se Gosta de Alguém".[2][3][4][5] Neste álbum participam também nomes como Ana Moura, Argentina Santos, Cristina Branco, Joana Amendoeira, V Império ou Vozes da Rádio.[8]

O álbum Ricardo Ribeiro sai ainda em 2004 pela editora Companhia Nacional de Música. Este álbum está marcado pelo fado tradicional mas com quatro excepções trazidas por Jorge Fernando, Paco González e Manuel Mendes. As letras foram escritas para si por José Luís Gordo e Rui Manuel.[2][3][4][5][9][10]

Em 2005 é agraciado com o Prémio Amália da Fundação Amália Rodrigues. Entra também no filme "Rio Turvo" de Edgar Pêra onde interpreta um fado e uma canção de Fernando Girão.[2][3][4][5]

Ainda em 2005 é convidado pelo encenador Ricardo Pais para participar na peça "Cabelo Branco É Saudade" onde entraram outros nomes como Celeste Rodrigues, Argentina Santos e Alcindo de Carvalho. O espectáculo é apresentado no Teatro Nacional de São João e em outras importantes salas de espectáculo como a Cité de la musique de Paris, o Teatro de La Abadía de Madrid, a Ópera de Frankfurt (Opern und Schauspielhaus Frankfurt), o Teatro Mercadante de Nápoles ou a Casa da Música, no Porto.[2][3][4][5]

A Casa da Imprensa atribui-lhe em 2006 o Prémio Revelação. A canção "A Lua e o Corpo" (Rui Manuel De Oliveira / Alfredo Marceneiro (Fado Pierrot)) é escolhida para integrar a compilação Álbum Vermelho do Fado, editado pela CNM.[2][3][4][5][11]

Ainda em 2006 interpreta uma versão fadista do Hino Nacional de Portugal, em apoio da selecção nacional de futebol, participante no Campeonato Mundial de Futebol desse ano, realizado na Alemanha.[12]

Em 2007 participa no quadro "Casa de Fados" do filme documentário musical "Fados", de Carlos Saura.[2][3][4][5][13][14]

"A Lua e o Corpo" aparece na compilação Fado Sempre! Ontem, Hoje e Amanhã comemorativa dos 150 anos de fado, editado pela Difference e iPlay e que reúne 80 fados interpretados por "nomes incontornáveis do panorama do fado".[15][16]

Na sequência dos concertos a Julho de 2007, no Teatro de São Luiz, em Lisboa e no Porto, no Teatro Nacional São João com o alaudista e compositor libanês Rabih Abou-Khalil, Ricardo é a voz do álbum Em Português do compositor e tocador de Oud, lançado em Maio de 2008 pela editora Enja Records. A letras são assinadas por Mário Rainho, Silva Tavares, José Luís Gordo, Tiago Torres da Silva, Rui Manuel e António Rocha. O disco foi eleito Top of the World Album atribuído pela revista inglesa Songlines.[2][3][4][5][17]

Entra nos filmes "Fados" de Carlos Saura, "Filme do Desassossego" de João Botelho e "Rio Turvo" de Edgar Pêra. Colabora no documentário "O Rei sem coroa", sobre a vida e obra de Fernando Maurício, da autoria de Diogo Varela Silva.

Em 2010 é editado o álbum "Porta do Coração" que inclui temas como "Moreninha da Travessa" e "Fama de Alfama". [18]

Em 2011 recebe o Prémio de Melhor Intérprete Masculino atribuído pela Fundação Amália Rodrigues. Ainda nesse ano participa no ciclo de música Luso-Chinesa e canta com a Orquestra Chinesa de Macau, no Grande Auditório do Centro Cultural de Macau sob a direção do Maestro Pang Ka Pang.

Em 2012 colabora numa nova versão do tema "Nunca Me Esqueci De Ti" do disco "Rui Veloso e Amigos".[19]

Em 2013 canta na Bienal de Veneza aquando do jantar inaugural do pavilhão de Portugal. Também em 2013 participa com Pedro Jóia e a "Orquestra Sinfónica da Venezuela", sob a direção do Maestro Osvaldo Ferreira, no concerto comemorativo do Dia de Portugal e das Comunidades Portuguesas, realizado no Teatro Teresa Carreño, em Caracas.

O disco Largo da Memória é editado em Outubro de 2013. "Destino Marcado" foi o tema de apresentação.[20] Ainda em 2013 colabora no tema "Pontas Soltas" do disco "Fado É Amor" de Carlos do Carmo.

A 27 de Janeiro de 2015 foi feito Comendador da Ordem do Infante D. Henrique.[21]

Em abril de 2015 inicia colaboração com o pianista João Paulo Esteves da Silva, num concerto pensado especialmente para a edição desse ano do festival "Dias da Música".

Participa no disco "Amália – As vozes do Fado" onde canta "Grito" e "Maria La Portuguesa", tema com a produção do guitarrista Javier Limón.

O CD "Hoje é Assim, Amanhã Não Sei" é editado em 2016.[22]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns de estúdio[editar | editar código-fonte]

Participações[editar | editar código-fonte]

Álbuns de estúdio[editar | editar código-fonte]

Bandas sonoras[editar | editar código-fonte]

  • Fados (2007) CD (EMI) no tema "Casa de Fados".[25]

Compilações[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Certidão de lista de associadas da Audiogest» (pdf). IGAC/Ministério da Cultura. 25 de julho de 2007. Consultado em 17 de Janeiro de 2014. Cópia arquivada (PDF) em 24 de Dezembro de 2013 
  2. a b c d e f g h i j k l m n o p Página Oficial do Myspace [www.myspace.com/ricardoribeirofado] Acesso 2009-04-05
  3. a b c d e f g h i j k l m n o p Palco Principal [1] Acesso 2009-04-05
  4. a b c d e f g h i j k l m n o p Sítio Fado.com [2] Acesso 2009-04-05
  5. a b c d e f g h i j k l m n o p Portal do Fado [3] Acesso 2009-04-05
  6. http://www.dn.pt/revistas/nm/interior/faco-discos-porque-preciso-de-desabafar-3678343.html
  7. Editora [4] Acesso 200-04-05
  8. a b ACT Public Library, Austrália [5] Acesso 200-04-05
  9. a b Editora [6] Acesso 200-04-05
  10. a b Fonoteca da Câmara Municipal de Lisboa [7] Acesso 200-04-05
  11. a b Editora
  12. Elec3city [8] Acesso 200-04-05
  13. Fados (em inglês) no Internet Movie Database
  14. Fonoteca da Câmara Municipal de Lisboa [9] Acesso 200-04-05
  15. a b c Editora [10] Acesso 200-04-05
  16. a b c Fonoteca da Câmara Municipal de Lisboa [11] Acesso 200-04-05
  17. a b Editora [12] Acesso 200-04-05
  18. http://jornalmetro.blogs.sapo.pt/58905.html
  19. http://www.lux.iol.pt/nacionais/rui-veloso-edita-album-de-duetos-com-amigos-rui-veloso-rui-veloso-e-amigos-novo-disco-duetos/1396057-4996.html
  20. http://sicnoticias.sapo.pt/cultura/2013-10-16-Largo-da-Memoria-e-o-novo-disco-do-fadista-Ricardo-Ribeiro
  21. «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Ricardo Alexandre Paulo Ribeiro". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 4 de abril de 2015 
  22. http://activa.sapo.pt/vida/lazer/2016-04-22-Ricardo-Ribeiro-Sempre-fui-um-rebelde--e-quero-continuar-a-ser
  23. http://jornalmetro.blogs.sapo.pt/58905.html
  24. http://24.sapo.pt/article/lusa-sapo-pt_2016_03_04_1202292920_novo-cd-do-fadista-ricardo-ribeiro---hoje-e-assim--amanha-nao-sei---chega-em-abril
  25. CD Go [13] Acesso 200-04-05
  26. Fonoteca da Câmara Municipal de Lisboa [14] Acesso 200-04-05
Guitarra e Viola Douradas.png Ricardo Ribeiro venceu a Grande Noite do Fado 1998 da Casa da Imprensa de Lisboa, na categoria de Seniores Masculinos
Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) cantor é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.