Richard Kuklinski

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Richard Kuklinski
Nome Richard Leonard Kuklinski
Pseudônimo "The Iceman"
"The Polack"
"Big Rich"
"The Devil Himself"
Data de nascimento 11 de abril de 1935
Local de nascimento Jersey City, Nova Jérsei, Estados Unidos
Data de morte 5 de março de 2006 (70 anos)
Local de morte Trenton, Nova Jérsei, Estados Unidos
Nacionalidade(s) norte-americano
Ocupação Assassino de aluguel
Crime(s) Assassinatos
Pena Duas sentenças de prisão perpétua
Situação Morto
Esposa(s) Linda (divorciado)
Barbara Kuklinski (divorciado)
Filho(s) 2
Assassinatos
Vítimas 5
País Estados Unidos

Richard Leonard Kuklinski (11 de abril de 1935 – 5 de março de 2006) foi um assassino de aluguel americano.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Em 1988, ele foi sentenciado a prisão perpétua após matar dois membros de sua gangue de ladrões e outros dois associados. Em 2003, ele recebeu uma pena adicional de 30 anos após confessar o assassinato de um policial que tinha conexões com a Máfia. Ele recebeu o apelido de "The Iceman" ("O Homem de Gelo") pelas autoridades quando descobriram que ele congelou o corpo de uma de suas vítimas em uma tentativa de disfarçar a data da morte da pessoa. Entre seus associados, Kuklinski era conhecido como "o exército de um homem só" ou "o Diabo em pessoa".[1]

Nascido em uma família de origem polonesa em um lar disfuncional, Kuklinski engajou em várias atividades criminosas ao longo de sua vida, começando bem cedo em sua adolescência. Ele comprava e vendia bens roubados, conduzia assaltos a imóveis e roubava carros, e estava ligado ao comércio de narcóticos, pornografia, armas e lavagem de dinheiro. Promotores descreveram que ele matava tanto por dinheiro quanto por prazer. Com o tempo, ele começou a chamar a atenção das autoridades americanas devido aos seus roubos e assassinatos. Após uma investigação de 18 meses com policiais disfarçados, Kuklinski foi preso em 1986. Ele viveu muito tempo de sua vida com sua mulher e filhos nos subúrbios de Nova Jérsei, no distrito de Dumont. Sua família o considerava como um pai amoroso e um marido que provinha para sua família, mas que tinha um temperamento violento e abusava fisicamente sua esposa. Sua família afirmava não ter conhecimento de sua vida criminosa.[2][3]

Após várias condenações, Kuklinski foi preso em definitivo em dezembro de 1986. Na prisão, ele deu várias entrevistas a escritores, investigadores da política, criminologistas e psiquiatras. Ele afirmou ter matado entre 100 e 250 homens, o fazendo utilizando métodos cruéis. Muitos desses assassinatos não foram corroborados com qualquer evidência física.[4][5] Ele também afirmou ter trabalhado como matador de aluguel para a Cosa Nostra Americana,[6][7] e que participou em vários assassinatos famosos feitos pela Máfia, incluindo os homicídios de Paul Castellano, Carmine Galante e Jimmy Hoffa; autoridades e especialistas da Máfia, contudo, contestam veementemente essas afirmações.[8][9][10][11]

No cinema[editar | editar código-fonte]

Ele foi o centro de três documentários da HBO em 1992, 2001 e 2003;[12] duas biografias,[13][14] um filme, estrelado por Michael Shannon e Winona Ryder, e uma peça.

Referências

  1. Bruno, Anthony (2013) [1993]. «Chapter 4». The Iceman: The True Story of a Cold-Blooded Killer. [S.l.]: ROBERT HALE LTD. ISBN 9780709052722 
  2. «Iceman: suspect in 5 deaths arrested». Montreal Gazette. Associated Press. 18 de dezembro de 1986. Consultado em 20 de junho de 2013 
  3. Martin, Douglas (9 de março de 2006). «Richard Kuklinski, 70, a Killer of Many People and Many Ways, Dies». The New York Times. New York City: New York Times Company 
  4. Markos, Kibret (27 de junho de 2006). «Ice Man Book Ridiculed as More Fiction than Fact». The Record 
  5. Bruno, Anthony (2018). Immortal Monster. [S.l.]: DarkHorse Multimedia. p. 5. ASIN B07GTD1KX5 
  6. Carlo, Philip (1 de abril de 2007). The Ice Man: Confessions of a Mafia Contract Killer (em inglês). [S.l.]: St. Martin's Press. 83 páginas. ISBN 9781429902663 
  7. Carlo, Philip (1 de abril de 2007). The Ice Man: Confessions of a Mafia Contract Killer (em inglês). [S.l.]: St. Martin's Press. 2 páginas. ISBN 9781429902663 
  8. «Former FBI agent says Hoffa claim is hoax». UPI. 18 de abril de 2006. Consultado em 25 de outubro de 2019 
  9. The Iceman: The True Story of a Cold-blooded Killer Por Anthony Bruno, pg xvii
  10. Capeci, Jerry (6 de julho de 2006). «Meet the Forrest Gump of Mob Hits». New York Sun. Consultado em 25 de outubro de 2019 
  11. Bruno, Anthony (2018). Immortal Monster. [S.l.]: DarkHorse Multimedia. p. passim. ASIN B07GTD1KX5 
  12. Martin, Douglas (9 de março de 2006). «Richard Kuklinski, 70, a Killer of Many People and Many Ways, Dies». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331. Consultado em 1 de agosto de 2020 
  13. Carlo, Philip (1 de março de 2007). The Ice Man: Confessions of a Mafia Contract Killer (em inglês). [S.l.]: St. Martin's Press. ISBN 9781429902663 
  14. Bruno, Anthony (26 de março de 2013). The Iceman: The True Story of a Cold-Blooded Killer (em inglês). [S.l.]: Random House Publishing Group. ISBN 9780345540096 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço relacionado ao Projeto Biografias. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.