Rick Santorum

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Rick Santorum
Senador dos Estados Unidos
pela  Pensilvânia
Período 3 de janeiro de 1995
a 3 de janeiro de 2007
Antecessor(a) Harris Wofford
Sucessor(a) Bob Casey, Jr.
Membro da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos pelo 18º distrito da Pensilvânia
Período 3 de janeiro de 1991
a 3 de janeiro de 1995
Antecessor(a) Doug Walgren
Sucessor(a) Michael F. Doyle
Dados pessoais
Nome completo Richard John Santorum
Nascimento 10 de maio de 1958 (59 anos)
Winchester, Virgínia,
 Estados Unidos
Progenitores Mãe: Catherine Dughi
Pai: Aldo Santorum
Alma mater Universidade Estadual da Pensilvânia
Universidade de Pittsburgh
Esposa Karen Garver (1990–presente)
Partido Republicano
Religião Catolicismo Romano
Profissão Advogado
Assinatura Assinatura de Rick Santorum
Website ricksantorum.com

Richard John "Rick" Santorum (Winchester, 10 de maio de 1958) é um advogado e político americano. Membro do Partido Republicano, ele representou o estado da Pensilvânia na Câmara dos Representantes (1991-1995) e no Senado (1995-2007). Ele possui fortes posições conservadoras.[1][2]

Santorum foi um candidato para a nomeação republicana à presidência dos Estados Unidos na eleição de 2012. Formou um comitê presidencial exploratório em 13 de abril de 2011 para verificar as suas chances de vencer a eleição, e anunciou formalmente sua candidatura em 06 de junho de 2011.[3]

Casado e pai de 7 filhos, Santorum é católico praticante, ligado ao Opus Dei, e sempre condenou o casamento homossexual.[4]

Em 2003, em resposta a comentários anti-homossexuais por Santorum, Dan Savage iniciou um movimento para redefinir o nome "Santorum".[5][6] Savage organizou um concurso para definições do nome que relacionassem "santorum" com algum ato homossexual. A definição vencedora foi "a mistura espumosa de lubrificante e fezes que as vezes é um subproduto de sexo anal".[7][8] Savage então criou o site spreadingsantorum.com para espalhar sua definição e encorajou que links fossem feitos para o site resultando que este seja um dos primeiros nas buscas por "santorum" em várias ferramentas de buscas como Google, Yahoo! e Bing.[9][10][11]

Tentou concorrer a presidência em 2012, mas suspendeu a campanha em abril do mesmo ano.[12] Em 2015, anunciou que tentaria ganhar a nomeação do seu partido novamente para o cargo de presidente do país para as eleições de 2016.[13] Em fevereiro de 2016, contudo, ele anunciou que estava desistindo da disputa.[14] Ele foi um dos que apoiou a prisão de Julian Assange em um abaixo-assinado em 2010.[15]

Referências

  1. «Rick Santorum on the Issues». Ontheissues.org. Consultado em 18 de junho de 2010 
  2. «Social Conservatives Rally to Santorum». Nationalreview.com. 20 de dezembro de 2011. Consultado em 4 de janeiro de 2012 
  3. Começou a corrida republicana às presidenciais dos Estados Unidos
  4. Rick Santorum vence no Kansas, 'coração conservador' dos EUA, G1.globo.com
  5. Brewer, Paul Ryan (2008). Value War: Public Opinion and the Politics of Gay Rights. [S.l.]: Rowman & Littlefield. pp. 67–68, 86. ISBN 9780742562103. LCCN 2007037833. OL 10721857M 
  6. Savage, Dan (12 de junho de 2003). «Savage Love: Gas Huffer». The Stranger. ISSN 1935-9004 
  7. Dwyer, Devin (10 de maio de 2011). «Rick Santorum's 'Google Problem' Resurfaces with Jon Stewart Plug.». ABC News 
  8. Savage, Dan (15 de maio de 2003). «Savage Love: Bill, Ashton, Rick». The Stranger. ISSN 1935-9004 
  9. Mencimer, Stephanie (2010). «Rick Santorum's Anal Sex Problem». Mother Jones. ISSN 0362-8841 
  10. Amira, Dan (16 de fevereiro de 2011). «Rick Santorum Has Come to Terms With His Google Problem». New York Magazine. ISSN 0028-7369 
  11. Interview with Rick Santorum", The Daily Rundown, MSNBC, June 9, 2011.
  12. Santorum Suspends Presidential Campaign The New York Times
  13. "Rick Santorum Joins Republican 2016 Presidential Race". Página acessada em 27 de maio de 2015.
  14. "Rick Santorum drops out of presidential race". Página acessada em 3 de fevereiro de 2016.
  15. Espionage Act: How the Government Can Engage in Serious Aggression Against the People of the United States