Rio Avelames

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Rio Avelâmes)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Postal do rio Avelames, início do século XX.

O rio Avelames é um rio de Portugal, situado no distrito de Vila Real.

Geomorfologia[editar | editar código-fonte]

O rio corre no fundo da bacia de Pedras Salgadas,[1] embutido no vale a cerca de dez a vinte metros.[2] Tem a sua nascente na serra do Alvão, a noroeste de Cabanes, correndo para sudeste até ao topo da escarpa a oeste da Cidadelha, à cota de 900 metros, descendo depois para cotas de 650 metros, num percurso de um quilómetro.[1] Ao deixar a bacia de Pedras Salgadas, o rio descreve um ângulo recto, cujo vértice encontra-se no prolongamento da escarpa ocidental.[3] A partir daqui, corre em direcção a nor-nordeste, até próximo de Pontes, a uma cota de 560 metros, infletindo então para oeste.[1] Na sua foz une-se ao Tâmega. No seu percurso atravessa a ponte romana de Ola em Bragado. Esta ponte de Ola é uma ponte romana de três arcos, em que o tabuleiro assenta num arco de volta perfeita, flanqueado pelos outros dois.

Associados ao rio Avelames ocorrem depósitos quaternários, com espessura inferior a dez metros. Os depósitos de terraço situam-se preferencialmente na margem direita, desde Cidadelhe até o norte de Pedras Salgadas, caracterizando-se como depósitos heterométricos, constituídos essencialmente por balastros bem rolados a rolados de corneana, quartzito e granito de matriz silto-argilosa.[4]

História[editar | editar código-fonte]

O rio atravessa a vila termal de Pedras Salgadas.[5] Em Janeiro de 2016, durante um período de mau tempo, o rio galgou as margens nesta localidade,[6] inundando o parque situado na margem direita, levando um passadiço e destruindo alguns muros.[7]

Em Julho de 2013, a autarquia de Vila Pouca de Aguiar anunciou um plano de requalificação das margens do rio Avelames, com percursos pedestres e áreas de lazer, num investimento de 1.1 milhões de euros, integrado num projecto maior de requalificação da vila de Pedras Salgadas.[5][8][9] A obra foi inaugurada dois anos depois, am Agosto de 2015, por ocasião da XIV Feira do Mel e do artesanato, com a presença do então ministro da presidência e dos assuntos parlamentares, Luís Marques Guedes.[10]

Em Novembro de 2016, o deputado José Luís Ferreira do grupo parlamentar Os Verdes, questionou o governo na Assembleia da República sobre a poluição fora detectada sendo levada pela corrente do rio por vários quilómetros.[11]

Referências

  1. a b c Baptista et al. 1993, p. 132.
  2. Serviços Geológicos 1951, p. 209.
  3. Serviços Geológicos 1951, p. 207.
  4. Silva 2004.
  5. a b Coentrão, Abel. «LOCAL PORTO. Vila Pouca de Aguiar investe sete milhões para alargar oferta turística». PÚBLICO. Consultado em 11 de Outubro de 2017 
  6. «Mau tempo volta a causar estragos em Trás-os-Montes - Diário Atual». Diário Atual. Consultado em 11 de Outubro de 2017 
  7. «Chuva e neve provocam estragos e encerram escolas no Alto Tâmega - Diário Atual». Diário Atual. Consultado em 11 de Outubro de 2017 
  8. «Investimento de 4,7ME cria 15 postos de trabalho em Pedras Salgadas». portocanal.sapo.pt. Consultado em 11 de Outubro de 2017 
  9. Público. «Pedras Salgadas Spa & Nature Park inaugurado com pompa e circunstância». fugas.publico.pt. Consultado em 11 de Outubro de 2017 
  10. «Vila Pouca de Aguiar - XIV Feira do Mel e do Artesanato - Diário Atual». Diário Atual. Consultado em 11 de Outubro de 2017 
  11. «Pedras Salgadas - Poluição no Rio Avelames suscita pergunta de Os Verdes». osverdes.pt. Consultado em 11 de Outubro de 2017 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]