Rio Cuanza

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Cuanza
Rio Cuanza próximo de Dondo
Rio Cuanza
Rio Cuanza
Comprimento 960 km
Nascente Mumbué, Chitembo, Bié
Altitude da nascente 1 929,74 m
Foz Oceano Atlântico
Bacia hidrográfica Bacia do Cuanza
Área da bacia 152 570 km²
Afluentes
principais
Lucala, Mucoso, Lombe, Cuíje, Cuque, Luando, Cuíva, Cuíme, Chimbamdiango, Gango, Cutato, Cunhinga, Lúbia, Cunje, Cuquema
País(es)  Angola
País da
bacia hidrográfica
 Angola

O rio Cuanza[nota 1] é o maior flúmen exclusivamente angolano.[1]

O rio Cuanza nasce em Mumbué, município do Chitembo, Bié, no Planalto Central de Angola.[2] O seu curso de 960 km desenha uma grande curva para norte e para oeste, antes de desaguar no Oceano Atlântico, na barra do Cuanza, a sul de Luanda.[3]

Sua bacia hidrográfica, a bacia do Cuanza, possui 152.570 km², sendo que o único rio plenamente navegável é o próprio Cuanza, por cerca de 258 km, desde a foz até ao Dondo/Cambambe Velho. As hidroelétricas de Cambambe, Capanda e Laúca produzem grande parte da energia eléctrica consumida em Angola.[4] Seus lagos artificiais também fornecem água para irrigação de plantações de cana-de-açúcar e outras culturas no vale do Cuanza.

É no maior afluente do Cuanza, o rio Lucala, que se encontram as grandes Quedas de Calandula.[nota 2][5] Junto da foz do rio fica o Parque Nacional da Quissama.

O vale fértil do rio Cuanza foi que permitiu o surgimento e expansão do antigo reino do Dongo, tendo também sido uma das hidrovias de penetração dos portugueses em Angola no século XVI.

O rio dá o seu nome a duas províncias de Angola — Cuanza Norte, na sua margem norte, e Cuanza Sul, na margem oposta — bem como, desde 1977, à unidade monetária nacional, o kwanza.[6]

Notas

  1. Também grafado Kwanza e, antes de 1911, Coanza e Quanza.
  2. Antes de 1975 eram conhecidas como Quedas do Duque de Bragança.

Referências

  1. Maravilhas Naturais de Angola: Rio Kwanza, o maior rio exclusivamente angolano. Chocolate Lifestyle. Dezembro de 2020.
  2. «Lei 18 de 2016 da Divisão Politico-Administrativa (Artigo 205,2)». Consultado em 23 de Agosto de 2018 
  3. Rio Kwanza - 7 Maravilhas Naturais de Angola - Documentários. RTP. 2013.
  4. Quintino, Manuel (org.). Plano Geral de Desenvolvimento e Utilização dos Recursos Hídricos da Bacia Hidrográfica do Cuanza. Ministério da Energia e Águas de Angola, 2016.
  5. Arco Íris nas Quedas de Calandula. Angola Image Bank. 2020.
  6. África em Verso: “Rio Kwanza”, por Alberto Secama. Por Dentro da África. 21 de agosto de 2015.

Ver também[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre geografia de Angola, integrado ao projecto Angola, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.