Rio Estongue

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Arrows-move.svg
Em 23 de novembro de 2018 foi proposta a renomeação deste artigo para Stångån. Se não concorda, use a página de discussão.
Obs.: Stångån é a forma usada em textos em português. Rio Estongue não é uma forma de uso corrente em português, e foi introduzida sem abertura de discussão nem apresentação de fontes comprovativas.
Estongue
Stångån2.jpg

Estongue na região de Lincopinga

La2-demis-stangan.png
Localização
País
Coordenadas
Dimensões
Comprimento
202 km
Hidrografia
Tipo
Rio
Área da bacia
2 440 km²
Nascente
Lagos no curso
Foz

Estongue, Stong ou Stång (em sueco: Stångån) é um pequeno rio no sul da Suécia, de 202 quilômetros de extensão, dos quais 185 pertencem ao Estongue e o restante aos afluentes,[1] e bacia hidrográfica de 2440 quilômetros quadrados. É o segundo maior afluente do Motala. Se origina numa fonte em Svinhult, na Gotalândia Oriental, e atravessa Möckeln, Sörskaten, Åkroken, Save e Bringen antes de dirigir-se mais ao sul rumo a Ydrefors e Estorebro, onde vira a oeste em direção a Vemária. Na comuna de Kinda atravessa os lagos Krön, Juttern, Åsunden, Jernlunden, Grande Rängen e Erlongen antes de chegar a Roxen, perto de Lincopinga, que por sua vez deságua no Motala.[2][3][4][5] É navegável entre os lagos Åsunden e Roxen pelo Canal de Kinda.[6]

Etimologia e uso[editar | editar código-fonte]

O nome geográfico Stångån deriva possivelmente das palavras nórdicas stång (linha de demarcação) e ån (rio), significando "rio demarcador das duas margens [chamadas Västanstång e Östanstång]". O rio está mencionada como Stangaa aa, em 1399.[7]

História[editar | editar código-fonte]

Na segunda metade do século XIX, mais precisamente até os anos 1880, uma empresa de Edsvalla, em Varmlândia, detinha a posse das fazendas de Pequena Lodhult e Hökhult, que serviam para extração de madeira. Os troncos eram escoados Estongue abaixo em direção a Horn. A disponibilidade de florestas deve ter sido boa e teve grande demanda, a ponto da empresa avaliar a operação como lucrativa.[2]

Referências

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Forsman, Arne; Edlund, Lars-Erik (2018). «Stångån». Enciclopédia Nacional Sueca (em sueco). Gotemburgo: Universidade de Gotemburgo 
  • Miranda, Ulrika Junker; Hallberg, Anne (2007). «Stångån». Bonniers uppslagsbok (em sueco). Estocolmo: Albert Bonniers Förlag. p. 653. 1143 páginas. ISBN 91-0-011462-6 
  • Wahlberg, Mats (2003). «Sverige». Svenskt ortnamnslexikon (Dicionário das localidades suecas) (em sueco). Upsália: Språk- och folkminnesinstitutet e Institutionen för nordiska språk vid Uppsala universitet. ISBN 91-7229-020-X 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • Conteúdo relacionado com Stångån no Wikimedia Commons