Rio Macabu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Macabu
Comprimento 120 km
Altitude da nascente 1 300 a 1 470 m
Caudal médio 6 m³/s
Foz Hidrelétrica do Macabu/Lagoa Feia
Área da bacia 1 000 km²
Delta Não

O rio Macabu é um rio que banha o estado do Rio de Janeiro, no Brasil. É o único rio fluminense que nasce e deságua duas vezes.

Etimologia[editar | editar código-fonte]

O nome Macabu foi dado pelos Sete Capitães, militares portugueses que receberam a região em sesmaria. Segundo o Roteiro dos Sete Capitães, o diário da expedição escrito por Miguel Aires Maldonado, o rio foi descoberto no dia 1 de janeiro de 1633. "Macabu" é um termo da língua geral que significa "rio das macabas" (bacaba, macaba, "macaba" e 'y, "rio").[1]

Descrição[editar | editar código-fonte]

O rio tem suas nascentes na Serra do Macabu entre os municípios de Trajano de Morais, Bom Jardim, Macaé e Nova Friburgo, em altitudes que variam de 1 300 a 1 470 metros. Percorre 30 quilômetros até formar o lago da represa de Tapera (da desativada Hidrelétrica do Macabu), na qual suas águas são desviadas para a bacia do rio Macaé por meio de um aqueduto subterrâneo da antiga hidrelétrica de Glicério. O rio é dividido e o curso do rio Macabu desaparece e reaparece.

Depois de cinco quilômetros, o rio renasce e percorre os municípios de Trajano de Morais, Conceição de Macabu, Santa Maria Madalena, Campos dos Goytacazes e Quissamã, até desaguar na Lagoa Feia e pela outra parte no rio Macaé.

Para muitos geógrafos, o rio Macabu é uma microbacia da bacia hidrográfica da Lagoa Feia, já que, juntamente com o rio Ururaí, é uma das principais fontes de água doce desta lagoa. Para outros geógrafos, o rio Macabu forma uma bacia hidrográfica independente. Seja como for, o rio Macabu é formado por afluentes como:

O rio Macabu também recebe contribuições do canal Campos-Macaé.

Apesar de ser uma das riquezas naturais do Estado do Rio de Janeiro, o rio sofre com o desmatamento e o esgotamento de suas águas para abastecimento de cidades (como Macaé) ou para irrigação de lavouras. Um dos principais acusados do seu estado atual é a Usina Hidrelétrica de Macabu, uma usina hidrelétrica desativada.

Referências

  1. NAVARRO, E. A. Dicionário de Tupi Antigoː a Língua Indígena Clássica do Brasil. São Paulo. Global. 2013. p. 583.
  • GOMES,Marcelo Abreu. ABC de Macabu - dicionário de topônimos e curiosidades. Conceição de Macabu, Gráfica Macuco, 2004.
  • GOMES,Marcelo Abreu .Macabu - a história até 1900. Conceição de Macabu, Gráfica Macuco, 1997.
  • GOMES,Marcelo Abreu. Geografia Física de Conceição de Macabu. Conceição de Macabu, Gráfica e Editora Poema, 1998.
Ícone de esboço Este artigo sobre Hidrografia do Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.